Guilherme Cunha Costa fala sobre a agenda ESG: ''responsabilidade ambiental e social tem nome e valor de mercado''

A sigla traduz a preocupação e busca de investidores por empresas e companhias que têm ações concretas de contribuição à sociedade

SÃO PAULO , 5 de julho de 2021 /PRNewswire/ -- O termo em inglês ESG - Environmental, Social and Governance que em português quer dizer Ambiental, Social e Governança, apesar de novo, já é conhecido mundialmente e abrange uma série de conceitos de preocupação concreta com o meio ambiente, questões sociais e administrativas.

Na prática, trata-se da responsabilidade com o desmatamento ilegal, emissão de gases, controle de práticas anticorrupção, respeito aos direitos humanos, trabalhistas e à igualdade de gênero e raça.

Muito antes da atenção global ao ESG, a Paper Excellence sempre executou ações que repercutem positivamente no planeta até os dias de hoje.

De acordo com o diretor de Relações Institucionais da empresa no Brasil, Guilherme Cunha Costa, a empresa tem como ações concretas de desenvolvimento sustentável que vão desde o respeito à biodiversidade, passando pelos eventos comunitários, aos costumes locais, até o uso de energia renovável e impacto ambiental.

"O envolvimento com comunidades locais e indígenas, por exemplo, é uma das bases da responsabilidade social corporativa e que se constrói em longo prazo. A Paper Excellence não só entende como incentiva e valoriza a importância do seu relacionamento com as comunidades locais", explica Cunha Costa.

Quanto ao meio ambiente, a matéria-prima para a produção da celulose e papel é 100% proveniente de florestas plantadas e 88% da energia utilizada nas fábricas da Paper Execellence é limpa e gerada através de biomassa de resíduos de madeira. Desde 1990, a empresa já conseguiu reduzir a pegada de carbono em 59%.

No âmbito da Governança Corporativa, a produtora global de celulose e papel mantém suas relações institucionais e governamentais em processos éticos, transparentes e que visam o diálogo entre todos os seus stakeholders, em linha com os valores da atividade mantida pela empresa.

Garantida de qualidade

Conforme explica Guilherme Cunha Costa, ainda não existe um selo que comprove a agenda ESG das companhias, no entanto, as certificações já existentes são verificadores importantes para consumidores e investidores.

"Todas as fábricas da Paper Excellence utilizam sistemas de gestão ambiental ISO-14001, além disso, obedecem a rigorosos padrões internacionais de certificação de cadeia de custódia FSC®, PEFC ™ e SFI®."

Investimentos no setor

O setor florestal de árvores cultivadas, responsável por 100% da matéria-prima para produção de celulose e papel no Brasil prevê um crescimento de R$35,5 bilhões até 2023.

Na contramão da lógica de recessão mundial, o ramo já é pautado no ESG e, portanto, tem destaque tanto para investidores quando para consumidores, que estão atentos aos itens de responsabilidade.

De acordo com a Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), o aporte de investimentos inclui florestas, novas fábricas, expansões, tecnologia e ciência. Os números representam praticamente o dobro do registrado nos quatro anos anteriores, entre 2016 e 2019.

Para o executivo da Paper Excellence, o alto nível de investimento demonstra a confiança do segmento no crescimento da economia verde. "Os investidores buscam projetos ESG, e como as empresas do setor já têm anos de experiência na execução de projetos de sustentabilidade, os resultados são nítidos e comprovados" afirma Cunha Costa.

Se para a economia é rentável, para o meio ambiente e toda a sociedade é essencial. Os nove milhões de hectares de árvores plantadas absorvem 1,88 bilhão de toneladas das emissões dos vários gases de efeito estufa (CO2eq¹) da atmosfera. Para cada 1 hectare de floresta plantada, conserva-se aproximadamente 0,7 hectare de área natural, o que é vital na produção natural de água doce potável no mundo.

Somam-se a esses números, impactos de relevância como postos de trabalho, capacitação, incentivo ao estudo e culturas locais. 

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1557490/FREEPIK___ESG_PAPER_EXCELLENCE.jpg

 

FONTE Paper Excellence Brasil

A sigla traduz a preocupação e busca de investidores por empresas e companhias que têm ações concretas de contribuição à sociedade

SÃO PAULO , 5 de julho de 2021 /PRNewswire/ -- O termo em inglês ESG - Environmental, Social and Governance que em português quer dizer Ambiental, Social e Governança, apesar de novo, já é conhecido mundialmente e abrange uma série de conceitos de preocupação concreta com o meio ambiente, questões sociais e administrativas.

Na prática, trata-se da responsabilidade com o desmatamento ilegal, emissão de gases, controle de práticas anticorrupção, respeito aos direitos humanos, trabalhistas e à igualdade de gênero e raça.

Muito antes da atenção global ao ESG, a Paper Excellence sempre executou ações que repercutem positivamente no planeta até os dias de hoje.

De acordo com o diretor de Relações Institucionais da empresa no Brasil, Guilherme Cunha Costa, a empresa tem como ações concretas de desenvolvimento sustentável que vão desde o respeito à biodiversidade, passando pelos eventos comunitários, aos costumes locais, até o uso de energia renovável e impacto ambiental.

"O envolvimento com comunidades locais e indígenas, por exemplo, é uma das bases da responsabilidade social corporativa e que se constrói em longo prazo. A Paper Excellence não só entende como incentiva e valoriza a importância do seu relacionamento com as comunidades locais", explica Cunha Costa.

Quanto ao meio ambiente, a matéria-prima para a produção da celulose e papel é 100% proveniente de florestas plantadas e 88% da energia utilizada nas fábricas da Paper Execellence é limpa e gerada através de biomassa de resíduos de madeira. Desde 1990, a empresa já conseguiu reduzir a pegada de carbono em 59%.

No âmbito da Governança Corporativa, a produtora global de celulose e papel mantém suas relações institucionais e governamentais em processos éticos, transparentes e que visam o diálogo entre todos os seus stakeholders, em linha com os valores da atividade mantida pela empresa.

Garantida de qualidade

Conforme explica Guilherme Cunha Costa, ainda não existe um selo que comprove a agenda ESG das companhias, no entanto, as certificações já existentes são verificadores importantes para consumidores e investidores.

"Todas as fábricas da Paper Excellence utilizam sistemas de gestão ambiental ISO-14001, além disso, obedecem a rigorosos padrões internacionais de certificação de cadeia de custódia FSC®, PEFC ™ e SFI®."

Investimentos no setor

O setor florestal de árvores cultivadas, responsável por 100% da matéria-prima para produção de celulose e papel no Brasil prevê um crescimento de R$35,5 bilhões até 2023.

Na contramão da lógica de recessão mundial, o ramo já é pautado no ESG e, portanto, tem destaque tanto para investidores quando para consumidores, que estão atentos aos itens de responsabilidade.

De acordo com a Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), o aporte de investimentos inclui florestas, novas fábricas, expansões, tecnologia e ciência. Os números representam praticamente o dobro do registrado nos quatro anos anteriores, entre 2016 e 2019.

Para o executivo da Paper Excellence, o alto nível de investimento demonstra a confiança do segmento no crescimento da economia verde. "Os investidores buscam projetos ESG, e como as empresas do setor já têm anos de experiência na execução de projetos de sustentabilidade, os resultados são nítidos e comprovados" afirma Cunha Costa.

Se para a economia é rentável, para o meio ambiente e toda a sociedade é essencial. Os nove milhões de hectares de árvores plantadas absorvem 1,88 bilhão de toneladas das emissões dos vários gases de efeito estufa (CO2eq¹) da atmosfera. Para cada 1 hectare de floresta plantada, conserva-se aproximadamente 0,7 hectare de área natural, o que é vital na produção natural de água doce potável no mundo.

Somam-se a esses números, impactos de relevância como postos de trabalho, capacitação, incentivo ao estudo e culturas locais. 

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1557490/FREEPIK___ESG_PAPER_EXCELLENCE.jpg

 

FONTE Paper Excellence Brasil

Você acabou de ler:

Guilherme Cunha Costa fala sobre a agenda ESG: ''responsabilidade ambiental e social tem nome e valor de mercado''

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/guilherme-cunha-costa-fala-sobre-a-agenda-esg-responsabilidade-ambiental-e-social-tem-nome-e-valor-de-mercado/