Há mais de 10 anos, a telemedicina em cardiologia fornece atendimento remoto a pacientes no Brasil

Tecnologia de vanguarda da BIOTRONIK monitora pacientes com dispositivos cardíacos eletrônicos implantáveis e transmite automaticamente dados diários do paciente para que os médicos tenham um relatório completo disponível e sempre que necessário. Novo estudo aponta redução segura de 69,5% no acompanhamento presencial em consultório de pacientes com marcapasso, processo que ajuda a aliviar a pressão nos sistemas de saúde e minimiza situações de possível contágio em tempos de pandemia

SÃO PAULO, 3 de junho de 2020 /PRNewswire/ -- A recente regulamentação da telemedicina no Brasil em virtude do COVID-19 pode ampliar a gama de recursos oferecidos pelo monitoramento remoto de pacientes cardíacos. Essa tecnologia já pode ser vista no BIOTRONIK Home Monitoring®, um sistema de monitoramento remoto para DCEIs (Dispositivos Cardíacos Eletrônicos Implantáveis), que já está no Brasil há mais de 10 anos.

Com esse sistema, cardiologistas e arritmologistas podem monitorar e ser alertados remotamente sobre eventos clinicamente relevantes de seus pacientes. A tecnologia registra continuamente a atividade cardíaca do paciente, permitindo, em alguns casos, o diagnóstico precoce por mais de 30 dias, de acordo com o estudo de Varma N, publicado no Circulation (2010), e a intervenção desses eventos, como fibrilação atrial ou taquiarritmia cardíaca.

Essa tecnologia foi apoiada pelo estudo europeu de Hindricks G, publicado no The Lancet (2014), que confirmou que o uso ativo do Home Monitoring® mostra uma redução significativa na mortalidade por todas as causas em pacientes com desfibriladores cardíacos implantáveis (CDI) e terapia de ressincronização cardíaca (CRT-Ds), ajuda a dar a médicos e pacientes uma ajuda e proteção adicional. Como resultado, nos últimos anos, tornou-se uma prática recomendada para um maior número de pacientes com insuficiência cardíaca o recebimento de CDIs e CRT-Ds ativados com a função de telemonitoramento – e esse número continua crescendo.

Em um ambiente pós-COVID-19, onde o sistema de saúde já está sob pressão, o monitoramento remoto desempenhará um papel significativo para ajudar a reduzir a necessidade de visitas pessoais, de acordo com o estudo de Garcia-Fernandez FJ e publicado no EHJ (2019), e a lista de espera para avaliações de emergência, já que o médico pode remotamente avaliar a situação e priorizar casos.

De acordo com um *estudo recente de Watanab E, publicado na Circulation Arrhythmia and Electrophysiology (2020), é possível reduzir em até 69,5% o acompanhamento presencial em consultório. Como principal investigador do estudo, o Dr. Eiichi Watanab, da Faculdade de Medicina da Universidade de Saúde Fujita, Aichi no Japão, diz que o monitoramento remoto reduziu o número de visitas presenciais sem aumentar os eventos adversos e sem aumentar as despesas médicas. "Essa abordagem oferece vantagens para todos os grupos relevantes: os pacientes economizam tempo e despesas com viagens aos hospitais, os hospitais tem menos carga de trabalho, pressão nas clínicas e as operadoras de saúde economizam com custos em procedimentos de diagnóstico redundantes", afirma.

"Em um momento em que minimizar a interação pessoal desnecessária é uma estratégia essencial para ajudar a proteger pacientes e médicos da propagação de doença, a redução das visitas pessoais realizadas pelo Home Monitoring® é de grande importância", explica o Dr. Alexey Peroni, cardiologista e Diretor de Assuntos Científicos BIOTRONIK LATAM. "Esses resultados foram alcançados enquanto ainda mostravam reduções nas taxas de hospitalização para pacientes com insuficiência cardíaca e uma redução na taxa de choques inapropriados em pacientes com CDI".

Estudos também confirmaram que o Home Monitoring® pode ser usado para ajudar a manter pacientes vulneráveis afastados do hospital e das clínicas, ajudando a reduzir a pressão, além de ajudar a diminuir a carga de trabalho dos profissionais em 40%: "Os médicos ainda obtêm os dados de que precisam e verificam se são necessárias mudanças significativas, enquanto os pacientes podem permanecer mais seguros e tranquilos em casa," conclui Peroni.

A BIOTRONIK foi a primeira empresa do mundo a lançar um sistema de monitoramento remoto, pioneiro há 20 anos, sendo 10 anos no Brasil. O Home Monitoring® - um sistema premiado - agora é usado em mais de 60 países, incluindo o Brasil.

*Novo estudo reafirma segurança e eficiência da avaliação remota de pacientes com marcapasso

Os resultados publicados este ano na Circulation Arrhythmia and Electrophysiology confirmaram que o BIOTRONIK Home Monitoring® fornece o gerenciamento seguro e econômico de pacientes com marcapassos, indicando que ele pode substituir com garantias a prática comum do acompanhamento e rotina em consultório para os pacientes de marcapasso. Isso é particularmente importante na prática do distanciamento social durante o COVID 19 e ajuda a aliviar a pressão em Hospitais e Clínicas.

O estudo Multicêntrico "At Home" (Em Casa), do Dr. Eiichi Watanab, avaliou se o acompanhamento remoto é tão seguro quanto o acompanhamento em consultório e se as visitas podem ser reduzidas por meio desta ferramenta. Os investigadores analisaram o tratamento após o implante de 1.108 pacientes com marcapassos durante o período de dois anos. É o maior estudo randomizado com o acompanhamento de maior duração do monitoramento remoto, apenas de pacientes com marcapasso.

Os pacientes foram divididos aleatoriamente em dos diferentes grupos: Acompanhamento Remoto (AR) ou Acompanhamento convencional em consultório (AC). Ambos os grupos foram monitorados por meio de transmissões automáticas diárias usando o Home Monitoring. Enquanto o grupo AC foi submetido à avaliações na clínica a cada seis meses, o grupo AR não compareceu regularmente ao acompanhamento presencial.

Algumas descobertas importantes:

- Nenhuma diferença significativa entre os grupos AR e AC em relação à segurança (desfecho primário determinado com um composto de mortalidade, AVC ou procedimento cirúrgico).

- Redução de 69,5% no acompanhamento presencial em consultório (710 no grupo AR em comparação com o AC com 2.275).

- Redução de 11% nos custos associados com acompanhamento do marcapasso.

O uso de DCEIs

Os DCEIs (marcapassos, desfibriladores cardioversores implantáveis e ressincronizadores) são utilizados em pacientes com arritmias cardíacas, ou seja, distúrbios na formação ou condução do estímulo cardíaco elétrico e que causam alterações na regularidade e/ou frequência dos batimentos cardíacos.

Quando essas alterações ocorrem, a função miocárdica pode ser prejudicada, reduzindo a capacidade funcional do coração. As consequências são: diminuição da qualidade de vida, aumento do risco de morte súbita, acidente vascular encefálico (AVE) e infarto agudo do miocárdio.

Estudos recentes mostram que esse monitoramento ajuda os médicos a detectar fibrilação atrial com antecedência e reduz o número de choques inapropriados em 90% e as taxas de hospitalização relacionadas em 73%, de acordo com estudo de Guedon-Moreau L publicado no J Cardiovasc Electrophysiol (2014).

Sobre a BIOTRONIK 

A BIOTRONIK é uma empresa líder em dispositivos médicos que desenvolve soluções cardiovasculares e endovasculares confiáveis e inovadoras há mais de 50 anos. Impulsionadas pela missão de combinar com perfeição a tecnologia ao corpo humano, as inovações da BIOTRONIK prestam cuidados que salvam e melhoram anualmente as vidas de milhões de pacientes diagnosticados com doenças cardiovasculares. A BIOTRONIK possui sede em Berlim, Alemanha, e está presente em mais de 100 países.

Para obter mais informações, visite: www.biotronik.com 

Twitter: @BIOTRONIK_News 

LinkedIn: www.linkedin.com/company/biotronik

FONTE BIOTRONIK

Tecnologia de vanguarda da BIOTRONIK monitora pacientes com dispositivos cardíacos eletrônicos implantáveis e transmite automaticamente dados diários do paciente para que os médicos tenham um relatório completo disponível e sempre que necessário. Novo estudo aponta redução segura de 69,5% no acompanhamento presencial em consultório de pacientes com marcapasso, processo que ajuda a aliviar a pressão nos sistemas de saúde e minimiza situações de possível contágio em tempos de pandemia

SÃO PAULO, 3 de junho de 2020 /PRNewswire/ -- A recente regulamentação da telemedicina no Brasil em virtude do COVID-19 pode ampliar a gama de recursos oferecidos pelo monitoramento remoto de pacientes cardíacos. Essa tecnologia já pode ser vista no BIOTRONIK Home Monitoring®, um sistema de monitoramento remoto para DCEIs (Dispositivos Cardíacos Eletrônicos Implantáveis), que já está no Brasil há mais de 10 anos.

Com esse sistema, cardiologistas e arritmologistas podem monitorar e ser alertados remotamente sobre eventos clinicamente relevantes de seus pacientes. A tecnologia registra continuamente a atividade cardíaca do paciente, permitindo, em alguns casos, o diagnóstico precoce por mais de 30 dias, de acordo com o estudo de Varma N, publicado no Circulation (2010), e a intervenção desses eventos, como fibrilação atrial ou taquiarritmia cardíaca.

Essa tecnologia foi apoiada pelo estudo europeu de Hindricks G, publicado no The Lancet (2014), que confirmou que o uso ativo do Home Monitoring® mostra uma redução significativa na mortalidade por todas as causas em pacientes com desfibriladores cardíacos implantáveis (CDI) e terapia de ressincronização cardíaca (CRT-Ds), ajuda a dar a médicos e pacientes uma ajuda e proteção adicional. Como resultado, nos últimos anos, tornou-se uma prática recomendada para um maior número de pacientes com insuficiência cardíaca o recebimento de CDIs e CRT-Ds ativados com a função de telemonitoramento – e esse número continua crescendo.

Em um ambiente pós-COVID-19, onde o sistema de saúde já está sob pressão, o monitoramento remoto desempenhará um papel significativo para ajudar a reduzir a necessidade de visitas pessoais, de acordo com o estudo de Garcia-Fernandez FJ e publicado no EHJ (2019), e a lista de espera para avaliações de emergência, já que o médico pode remotamente avaliar a situação e priorizar casos.

De acordo com um *estudo recente de Watanab E, publicado na Circulation Arrhythmia and Electrophysiology (2020), é possível reduzir em até 69,5% o acompanhamento presencial em consultório. Como principal investigador do estudo, o Dr. Eiichi Watanab, da Faculdade de Medicina da Universidade de Saúde Fujita, Aichi no Japão, diz que o monitoramento remoto reduziu o número de visitas presenciais sem aumentar os eventos adversos e sem aumentar as despesas médicas. "Essa abordagem oferece vantagens para todos os grupos relevantes: os pacientes economizam tempo e despesas com viagens aos hospitais, os hospitais tem menos carga de trabalho, pressão nas clínicas e as operadoras de saúde economizam com custos em procedimentos de diagnóstico redundantes", afirma.

"Em um momento em que minimizar a interação pessoal desnecessária é uma estratégia essencial para ajudar a proteger pacientes e médicos da propagação de doença, a redução das visitas pessoais realizadas pelo Home Monitoring® é de grande importância", explica o Dr. Alexey Peroni, cardiologista e Diretor de Assuntos Científicos BIOTRONIK LATAM. "Esses resultados foram alcançados enquanto ainda mostravam reduções nas taxas de hospitalização para pacientes com insuficiência cardíaca e uma redução na taxa de choques inapropriados em pacientes com CDI".

Estudos também confirmaram que o Home Monitoring® pode ser usado para ajudar a manter pacientes vulneráveis afastados do hospital e das clínicas, ajudando a reduzir a pressão, além de ajudar a diminuir a carga de trabalho dos profissionais em 40%: "Os médicos ainda obtêm os dados de que precisam e verificam se são necessárias mudanças significativas, enquanto os pacientes podem permanecer mais seguros e tranquilos em casa," conclui Peroni.

A BIOTRONIK foi a primeira empresa do mundo a lançar um sistema de monitoramento remoto, pioneiro há 20 anos, sendo 10 anos no Brasil. O Home Monitoring® - um sistema premiado - agora é usado em mais de 60 países, incluindo o Brasil.

*Novo estudo reafirma segurança e eficiência da avaliação remota de pacientes com marcapasso

Os resultados publicados este ano na Circulation Arrhythmia and Electrophysiology confirmaram que o BIOTRONIK Home Monitoring® fornece o gerenciamento seguro e econômico de pacientes com marcapassos, indicando que ele pode substituir com garantias a prática comum do acompanhamento e rotina em consultório para os pacientes de marcapasso. Isso é particularmente importante na prática do distanciamento social durante o COVID 19 e ajuda a aliviar a pressão em Hospitais e Clínicas.

O estudo Multicêntrico "At Home" (Em Casa), do Dr. Eiichi Watanab, avaliou se o acompanhamento remoto é tão seguro quanto o acompanhamento em consultório e se as visitas podem ser reduzidas por meio desta ferramenta. Os investigadores analisaram o tratamento após o implante de 1.108 pacientes com marcapassos durante o período de dois anos. É o maior estudo randomizado com o acompanhamento de maior duração do monitoramento remoto, apenas de pacientes com marcapasso.

Os pacientes foram divididos aleatoriamente em dos diferentes grupos: Acompanhamento Remoto (AR) ou Acompanhamento convencional em consultório (AC). Ambos os grupos foram monitorados por meio de transmissões automáticas diárias usando o Home Monitoring. Enquanto o grupo AC foi submetido à avaliações na clínica a cada seis meses, o grupo AR não compareceu regularmente ao acompanhamento presencial.

Algumas descobertas importantes:

- Nenhuma diferença significativa entre os grupos AR e AC em relação à segurança (desfecho primário determinado com um composto de mortalidade, AVC ou procedimento cirúrgico).

- Redução de 69,5% no acompanhamento presencial em consultório (710 no grupo AR em comparação com o AC com 2.275).

- Redução de 11% nos custos associados com acompanhamento do marcapasso.

O uso de DCEIs

Os DCEIs (marcapassos, desfibriladores cardioversores implantáveis e ressincronizadores) são utilizados em pacientes com arritmias cardíacas, ou seja, distúrbios na formação ou condução do estímulo cardíaco elétrico e que causam alterações na regularidade e/ou frequência dos batimentos cardíacos.

Quando essas alterações ocorrem, a função miocárdica pode ser prejudicada, reduzindo a capacidade funcional do coração. As consequências são: diminuição da qualidade de vida, aumento do risco de morte súbita, acidente vascular encefálico (AVE) e infarto agudo do miocárdio.

Estudos recentes mostram que esse monitoramento ajuda os médicos a detectar fibrilação atrial com antecedência e reduz o número de choques inapropriados em 90% e as taxas de hospitalização relacionadas em 73%, de acordo com estudo de Guedon-Moreau L publicado no J Cardiovasc Electrophysiol (2014).

Sobre a BIOTRONIK 

A BIOTRONIK é uma empresa líder em dispositivos médicos que desenvolve soluções cardiovasculares e endovasculares confiáveis e inovadoras há mais de 50 anos. Impulsionadas pela missão de combinar com perfeição a tecnologia ao corpo humano, as inovações da BIOTRONIK prestam cuidados que salvam e melhoram anualmente as vidas de milhões de pacientes diagnosticados com doenças cardiovasculares. A BIOTRONIK possui sede em Berlim, Alemanha, e está presente em mais de 100 países.

Para obter mais informações, visite: www.biotronik.com 

Twitter: @BIOTRONIK_News 

LinkedIn: www.linkedin.com/company/biotronik

FONTE BIOTRONIK

Você acabou de ler:

Há mais de 10 anos, a telemedicina em cardiologia fornece atendimento remoto a pacientes no Brasil

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/ha-mais-de-10-anos-a-telemedicina-em-cardiologia-fornece-atendimento-remoto-a-pacientes-no-brasil/