Hangzhou da China vê desenvolvimento urbano coordenado com proteção a Patrimônio Histórico Mundial

HANGZHOU, China, 14 de julho de 2020 /PRNewswire/ -- Em 6 de julho, a cidade oriental chinesa de Hangzhou lançou o "Dia de Hangzhou Liangzhu " e a primeira Semana Cultural de Hangzhou Liangzhu, que é também o festival exclusivo para os "mais jovens" (escolhidos por último) dos três patrimônios históricos mundiais de Hangzhou, de acordo com o governo municipal de Hangzhou.

Na 43ª Conferência do Patrimônio Histórico Mundial, realizada um ano atrás em Baku, capital do Azerbaijão, as Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu foram incluídas na lista do Patrimônio Histórico Mundial. Hangzhou decidiu que 6 de julho é o "Dia de Hangzhou Liangzhu " e 24 de junho, o "Dia do Lago do Oeste de Hangzhou ". Estes dois dias são as datas em que os dois renomados sítios de Hangzhou foram oficialmente incluídos na lista do Patrimônio Histórico Mundial.

Do Lago do Oeste até o Grande Canal, e então as Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu, Hangzhou já possui três patrimônios culturais mundiais, indicando que Hangzhou é uma antiga cidade com diferentes heranças culturais demonstrando o contexto claro e completo da história e cultura chinesas.

Em Hangzhou, os três sítios estão inteiramente situados em centros de desenvolvimento urbano. Isto também faz com que Hangzhou dê atenção especial ao senso de participação dos cidadãos e a simbiose entre seres humanos e a natureza no processo de proteção abrangente dos três sítios do patrimônio mundial. Após anos de exploração, um método simbiótico e integrado de proteção que combina patrimônio cultural, desenvolvimento urbano e residentes urbanos formou-se gradualmente.

Em chinês, "Liangzhu" significa um belo continente na água. Cidade e água sempre foram simbióticas no desenvolvimento. Os ancestrais que fundaram a cidade sempre viveram em à beira d'água, e a antiga cidade de Liangzhu não é exceção. O polo periférico de conservação da água da antiga cidade de Liangzhu é o mais antigo sítio de projeto de conservação da água de larga escala descoberto até agora na China. Ele inclui sistemas complexos de irrigação e desenvolvimento e manutenção agrícola. Foi de excepcional significado numa era em que os seres humanos não possuíam cavalos domesticados. .

Após a inclusão na lista do Patrimônio Histórico Mundial, é responsabilidade comum de todas as partes efetivamente proteger todos esses sítios históricos.

"A primeira prioridade é proteger e a segunda, compartilhar os frutos da conservação". Este é o princípio da equipe de gestão das Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu, que é responsável pelo contato com 24 aldeias da reserva durante o ano para coordenar a proteção ao sítio e a vida e produção.

Ao mesmo tempo, Hangzhou criou um modelo de "zona especial" para proteção de sítios de grande porte que em larga escala tem mantido a integridade e a autenticidade dos sítios, inclusive a construção do Parque das Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu. Agora o parque preserva e restaura o ecossistema original das terras pantanosas numa grande área e restaura o velho estilo campestre daquela época. Além disso, a inspeção de rotina e alerta tecnológico precoce de 114 quilômetros quadrados de área de patrimônio e das zonas-tampão estão reforçados por meios de assistência tecnológica e científica na coleta e análise de dados.

Este tipo de crescimento e integração compartilhados entre sítios e cidades históricas, cidades e pessoas também foi observado na proteção do Lago do Oeste em gerações anteriores. Hoje, ao passear pelas montanhas e rios do Lago do Oeste, uma marca da harmoniosa coexistência entre seres humanos e a natureza pode ser encontrada por toda a parte.

Já 13 séculos atrás, Bai Juyi, um famoso poeta e funcionário do governo de Hangzhou, construiu projetos de conservação da água em Hangzhou, organizou pessoas para a construção de barragens e armazenamento de água para irrigar terras agrícolas. A Ponte de Su, um famoso ponto cênico no Lago do Oeste, também batizada em memória de Su Dongpo, um famoso funcionário e escritor de Hangzhou que, dez séculos passados, governou o Lago do Oeste. Desde 2002, o Lago do Oeste, também o ponto cênico mais importante de Hangzhou, tornou-se o parque central da cidade, com mais de 130 pontos cênicos ao longo do Parque do Lago do Oeste gratuitamente abertos ao público.

Park So-Hyun, a examinadora-chefe da candidatura do Lago do Oeste para patrimônio mundial e uma especialista do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS, em inglês), ficou maravilhada com a boa coordenação do desenvolvimento urbano de Hangzhou e a proteção lacustre no Lago do Oeste. Ela disse que os próprios aborígines são os componentes da paisagem cultural e compartilham a responsabilidade da proteção do patrimônio com a equipe de gestão.

Desde tempos antigos, a relação harmoniosa entre Hangzhou e o Lago do Oeste jamais se rompeu. Diferentes gerações de funcionários e moradores locais de Hangzhou têm um consenso de devolver o lago às pessoas e proteger o Lago do Oeste – um ato consciente coletivo que já dura há milhares de anos.

Em última análise, a proteção do patrimônio cultural não pode ser separada dos esforços dos moradores da cidade. Pode-se ver que a proteção das Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu e do Lago do Oeste realmente se tornou uma tarefa de todos em Hangzhou. Na coexistência harmoniosa de seres humanos, natureza e cidades, e na proteção contínua do patrimônio cultural, a filosofia da nação chinesa, seu gosto estético único e temperamento tradicional também foram continuamente herdados.

FONTE Hangzhou Municipal Government

HANGZHOU, China, 14 de julho de 2020 /PRNewswire/ -- Em 6 de julho, a cidade oriental chinesa de Hangzhou lançou o "Dia de Hangzhou Liangzhu " e a primeira Semana Cultural de Hangzhou Liangzhu, que é também o festival exclusivo para os "mais jovens" (escolhidos por último) dos três patrimônios históricos mundiais de Hangzhou, de acordo com o governo municipal de Hangzhou.

Na 43ª Conferência do Patrimônio Histórico Mundial, realizada um ano atrás em Baku, capital do Azerbaijão, as Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu foram incluídas na lista do Patrimônio Histórico Mundial. Hangzhou decidiu que 6 de julho é o "Dia de Hangzhou Liangzhu " e 24 de junho, o "Dia do Lago do Oeste de Hangzhou ". Estes dois dias são as datas em que os dois renomados sítios de Hangzhou foram oficialmente incluídos na lista do Patrimônio Histórico Mundial.

Do Lago do Oeste até o Grande Canal, e então as Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu, Hangzhou já possui três patrimônios culturais mundiais, indicando que Hangzhou é uma antiga cidade com diferentes heranças culturais demonstrando o contexto claro e completo da história e cultura chinesas.

Em Hangzhou, os três sítios estão inteiramente situados em centros de desenvolvimento urbano. Isto também faz com que Hangzhou dê atenção especial ao senso de participação dos cidadãos e a simbiose entre seres humanos e a natureza no processo de proteção abrangente dos três sítios do patrimônio mundial. Após anos de exploração, um método simbiótico e integrado de proteção que combina patrimônio cultural, desenvolvimento urbano e residentes urbanos formou-se gradualmente.

Em chinês, "Liangzhu" significa um belo continente na água. Cidade e água sempre foram simbióticas no desenvolvimento. Os ancestrais que fundaram a cidade sempre viveram em à beira d'água, e a antiga cidade de Liangzhu não é exceção. O polo periférico de conservação da água da antiga cidade de Liangzhu é o mais antigo sítio de projeto de conservação da água de larga escala descoberto até agora na China. Ele inclui sistemas complexos de irrigação e desenvolvimento e manutenção agrícola. Foi de excepcional significado numa era em que os seres humanos não possuíam cavalos domesticados. .

Após a inclusão na lista do Patrimônio Histórico Mundial, é responsabilidade comum de todas as partes efetivamente proteger todos esses sítios históricos.

"A primeira prioridade é proteger e a segunda, compartilhar os frutos da conservação". Este é o princípio da equipe de gestão das Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu, que é responsável pelo contato com 24 aldeias da reserva durante o ano para coordenar a proteção ao sítio e a vida e produção.

Ao mesmo tempo, Hangzhou criou um modelo de "zona especial" para proteção de sítios de grande porte que em larga escala tem mantido a integridade e a autenticidade dos sítios, inclusive a construção do Parque das Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu. Agora o parque preserva e restaura o ecossistema original das terras pantanosas numa grande área e restaura o velho estilo campestre daquela época. Além disso, a inspeção de rotina e alerta tecnológico precoce de 114 quilômetros quadrados de área de patrimônio e das zonas-tampão estão reforçados por meios de assistência tecnológica e científica na coleta e análise de dados.

Este tipo de crescimento e integração compartilhados entre sítios e cidades históricas, cidades e pessoas também foi observado na proteção do Lago do Oeste em gerações anteriores. Hoje, ao passear pelas montanhas e rios do Lago do Oeste, uma marca da harmoniosa coexistência entre seres humanos e a natureza pode ser encontrada por toda a parte.

Já 13 séculos atrás, Bai Juyi, um famoso poeta e funcionário do governo de Hangzhou, construiu projetos de conservação da água em Hangzhou, organizou pessoas para a construção de barragens e armazenamento de água para irrigar terras agrícolas. A Ponte de Su, um famoso ponto cênico no Lago do Oeste, também batizada em memória de Su Dongpo, um famoso funcionário e escritor de Hangzhou que, dez séculos passados, governou o Lago do Oeste. Desde 2002, o Lago do Oeste, também o ponto cênico mais importante de Hangzhou, tornou-se o parque central da cidade, com mais de 130 pontos cênicos ao longo do Parque do Lago do Oeste gratuitamente abertos ao público.

Park So-Hyun, a examinadora-chefe da candidatura do Lago do Oeste para patrimônio mundial e uma especialista do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMOS, em inglês), ficou maravilhada com a boa coordenação do desenvolvimento urbano de Hangzhou e a proteção lacustre no Lago do Oeste. Ela disse que os próprios aborígines são os componentes da paisagem cultural e compartilham a responsabilidade da proteção do patrimônio com a equipe de gestão.

Desde tempos antigos, a relação harmoniosa entre Hangzhou e o Lago do Oeste jamais se rompeu. Diferentes gerações de funcionários e moradores locais de Hangzhou têm um consenso de devolver o lago às pessoas e proteger o Lago do Oeste – um ato consciente coletivo que já dura há milhares de anos.

Em última análise, a proteção do patrimônio cultural não pode ser separada dos esforços dos moradores da cidade. Pode-se ver que a proteção das Ruínas Arqueológicas da Cidade de Liangzhu e do Lago do Oeste realmente se tornou uma tarefa de todos em Hangzhou. Na coexistência harmoniosa de seres humanos, natureza e cidades, e na proteção contínua do patrimônio cultural, a filosofia da nação chinesa, seu gosto estético único e temperamento tradicional também foram continuamente herdados.

FONTE Hangzhou Municipal Government