Home office, entrega a domicílio e novos modelos de negócio: o que pequenas marcas podem fazer durante a pandemia

Líder no mercado global de máquinas de costura domésticas, Janome aconselha reflexão no modelo de negócios para quem vive da costura

SÃO PAULO, 18 de maio de 2020 /PRNewswire/ -- A pandemia do novo Coronavírus mudou drasticamente a economia em 2020. Estima-se que os prejuízos nas áreas mais afetadas, como o turismo, passem dos 3 bilhões de dólares nesse ano. Desde março, grande parte dos países europeus e latinos convivem com o fechamento do comércio por conta da quarentena.

A Janome sabe que nada será como antes nessa crise global. E sabe também que mudanças na sociedade, na maneira como pessoas consomem e produzem pode ser benéfica para todos. Líder global no segmento de máquinas de costura domésticas, a empresa lista uma série de recomendações para empreendedores, costureiros, donos de ateliês e de pequenos negócios que estão passando por um momento de reestruturação.

A impossibilidade de se vender roupas presencialmente pode dar início à transformação digital. Segundo pesquisa do Google, o comércio eletrônico deve chegar em 2021 com crescimento de média de 12,4 % ao ano desde 2016. É uma participação de 9,5% no comércio total. Para o setor da moda e vestuário, a venda online já representa boa parte do mercado e é acompanhada por desafios que podem ser solucionados nesse momento.

O principal deles é disponibilizar um leque completo de roupas ao consumidor via internet e possibilitar uma experiência extremamente personalizada. Um ecommerce campeão deve ter cores, medidas, fotos ilustrativas e clareza quanto aos prazos de entrega. Novas tecnologias já possibilitam também que o consumidor "prove" a roupa sem sair de casa, a partir da realidade virtual. Apostar em tecnologias assim pode garantir um bom número de vendas.

Outro desafio é a produção em home office. A história centenária da Janome mostra que a costura pode ser feita em casa sem problemas. Basta organização: ter tipos variados de tecido, fios e linhas pode ajudar na hora de atender pedidos. As máquinas de costura domésticas da empresa possuem compactação e automação que facilitam tarefas repetitivas dentro da costura e ajudam o papel da costureira.

Quem encara a crise como possibilidade para empreender pode se beneficiar das possibilidades que as máquinas Janome trazem. É possível bordar em vários tecidos, como tecidos normais, duplos e bordados. Também é possível oferecer serviços de customização, reparo e conserto em roupas sem sair de casa. A dica é começar na vizinhança e usar as redes sociais, com páginas no Facebook e Instagram, para divulgar o trabalho e angariar mais seguidores – ou melhor, clientes. Os aplicativos de mensagens instantâneas, como Whatsapp e Telegram, podem ser poderosas ferramentas para organizar e atender pedidos.

O SEBRAE é um aliado de sempre do pequeno, médio e grande empreendedor. O tempo em casa pode ser aproveitado para fazer os variados cursos disponíveis gratuitamente na plataforma. Dentro do setor de costura, "Como montar um ateliê de costura" e "Gestão financeira para pequenas empresas" são títulos que podem ajudar o pequeno empreendedor a aproveitar melhor o tempo parado.

A Janome reafirma seu compromisso com as recomendações de saúde da OMS e adota o comércio eletrônico há bastante tempo. Nesse momento, a empresa mantém práticas de higienização e distanciamento social entre os trabalhadores que estão na linha de frente da empresa nesse momento. Esse é um dever não apenas de uma empresa, mas de todos no enfrentamento à pandemia do Coronavírus.

FONTE Janome do Brasil

Líder no mercado global de máquinas de costura domésticas, Janome aconselha reflexão no modelo de negócios para quem vive da costura

SÃO PAULO, 18 de maio de 2020 /PRNewswire/ -- A pandemia do novo Coronavírus mudou drasticamente a economia em 2020. Estima-se que os prejuízos nas áreas mais afetadas, como o turismo, passem dos 3 bilhões de dólares nesse ano. Desde março, grande parte dos países europeus e latinos convivem com o fechamento do comércio por conta da quarentena.

A Janome sabe que nada será como antes nessa crise global. E sabe também que mudanças na sociedade, na maneira como pessoas consomem e produzem pode ser benéfica para todos. Líder global no segmento de máquinas de costura domésticas, a empresa lista uma série de recomendações para empreendedores, costureiros, donos de ateliês e de pequenos negócios que estão passando por um momento de reestruturação.

A impossibilidade de se vender roupas presencialmente pode dar início à transformação digital. Segundo pesquisa do Google, o comércio eletrônico deve chegar em 2021 com crescimento de média de 12,4 % ao ano desde 2016. É uma participação de 9,5% no comércio total. Para o setor da moda e vestuário, a venda online já representa boa parte do mercado e é acompanhada por desafios que podem ser solucionados nesse momento.

O principal deles é disponibilizar um leque completo de roupas ao consumidor via internet e possibilitar uma experiência extremamente personalizada. Um ecommerce campeão deve ter cores, medidas, fotos ilustrativas e clareza quanto aos prazos de entrega. Novas tecnologias já possibilitam também que o consumidor "prove" a roupa sem sair de casa, a partir da realidade virtual. Apostar em tecnologias assim pode garantir um bom número de vendas.

Outro desafio é a produção em home office. A história centenária da Janome mostra que a costura pode ser feita em casa sem problemas. Basta organização: ter tipos variados de tecido, fios e linhas pode ajudar na hora de atender pedidos. As máquinas de costura domésticas da empresa possuem compactação e automação que facilitam tarefas repetitivas dentro da costura e ajudam o papel da costureira.

Quem encara a crise como possibilidade para empreender pode se beneficiar das possibilidades que as máquinas Janome trazem. É possível bordar em vários tecidos, como tecidos normais, duplos e bordados. Também é possível oferecer serviços de customização, reparo e conserto em roupas sem sair de casa. A dica é começar na vizinhança e usar as redes sociais, com páginas no Facebook e Instagram, para divulgar o trabalho e angariar mais seguidores – ou melhor, clientes. Os aplicativos de mensagens instantâneas, como Whatsapp e Telegram, podem ser poderosas ferramentas para organizar e atender pedidos.

O SEBRAE é um aliado de sempre do pequeno, médio e grande empreendedor. O tempo em casa pode ser aproveitado para fazer os variados cursos disponíveis gratuitamente na plataforma. Dentro do setor de costura, "Como montar um ateliê de costura" e "Gestão financeira para pequenas empresas" são títulos que podem ajudar o pequeno empreendedor a aproveitar melhor o tempo parado.

A Janome reafirma seu compromisso com as recomendações de saúde da OMS e adota o comércio eletrônico há bastante tempo. Nesse momento, a empresa mantém práticas de higienização e distanciamento social entre os trabalhadores que estão na linha de frente da empresa nesse momento. Esse é um dever não apenas de uma empresa, mas de todos no enfrentamento à pandemia do Coronavírus.

FONTE Janome do Brasil