Huge Networks explica como funciona o processo de mitigação de um ataque de negação de serviço distribuído (DDoS)

SÃO PAULO, 30 de Setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Os ataques de negação de serviço distribuído seguem sendo uma das principais armas utilizadas por cibercriminosos na internet. Em 2021, até o momento, a Huge Networks já mitigou 712.666 anomalias e o número de ataques não param de aumentar. Um dos principais erros cometidos pelas empresas que operam na internet é deixar de lado questões primordiais como sua segurança e a de seus usuários. Mitigar ataques DDoS, por exemplo, é um processo complexo que exige a experiência e a expertise de uma equipe qualificada e preparada para o desafio.

Segundo dados apresentados pela Huge Networks, entre os anos de 2016 e 2017, a empresa enfrentou uma onda de ataques originados do botnet Mirai — o maior ataque de negação de serviço distribuído de todos os tempos —, que utilizou 600.000 dispositivos da Internet das Coisas para atacar diversas empresas no mundo todo. No período citado pela companhia, cerca de 518.800 anomalias foram detectadas e mitigadas.

Ainda segundo a empresa, os anos de 2018 e 2019 apresentaram uma baixa na frequência de ataques (80.200 anomalias mitigadas). Porém, os anos consecutivos serviram de alerta vermelho para quem tem um empreendimento na internet. Com a pandemia, muitos negócios migraram para o digital e isso certamente chamou a atenção dos cibercriminosos. De acordo com a Huge Networks, somente neste período pandêmico, mais de 900.000 anomalias já foram detectadas e mitigadas.

A mitigação dos ataques é feita com o auxílio de tecnologia de ponta

Os ataques estão cada vez mais complexos e os criminosos estão inovando nos métodos e técnicas utilizadas para surpreender as defesas das vítimas. Para que uma proteção contra ataques DDoS funcione, é necessário existir uma equipe especializada, tecnologia moderna e uma infraestrutura robusta. De acordo com a Huge Networks, a detecção e mitigação dos ataques é efetiva graças a uma equipe de especialistas que monitoram — 24 horas por dia e 7 dias por semana — todo o tráfego da rede. Além disso, a empresa diz que sua proteção conta com uma Inteligência Artificial que utiliza um recurso chamado "base learning" para avaliar o comportamento dos ataques e dessa forma, se adaptar a cada nova situação — gerando assim uma efetividade de 99,9 % na mitigação dos ataques DDoS.

Recentemente, a Huge Networks abriu seu 20° ponto de presença na cidade de Frankfurt, Alemanha. De acordo com a empresa, este é mais um passo importante para o crescimento da organização e também para aumentar ainda mais a segurança, estabilidade e desempenho de todos os clientes e parceiros que integram a sua rede.

Como funciona na prática a proteção DDoS?

Tudo começa com uma equipe humana, responsável por realizar uma análise minuciosa de todo tráfego gerado na rede do cliente. O time é formado por analistas de redes, engenheiros de TI e especialistas com anos de experiência na área. Porém, além de um time qualificado e atento a todo tráfego gerado na rede, é necessário contar com uma tecnologia moderna. De acordo com a Huge Networks, suas soluções se diferenciam no mercado pela flexibilidade, segurança, inovação e desempenho. Ainda segundo a empresa, toda segurança oferecida se deve a uma rede global criada para atender qualquer infraestrutura de rede — em qualquer lugar do mundo.

Na prática, a mitigação dos ataques é feita através de três tipos de soluções: nuvem (HugeGuard Cloud), instalação física (HugeGuard Appliance On-Premise) ou no modelo híbrido (HugeGuard Hybrid). As soluções foram desenvolvidas para atender o mercado de forma abrangente e com a melhor tecnologia existente no segmento de cibersegurança.

1. HugeGuard Cloud

O tráfego chega até o scrubbing center (centro de mitigação), passa por um filtro e em seguida apenas os usuários legítimos são entregues à rede do cliente. A instalação da proteção em nuvem não necessita de equipamentos ou disponibilização de um espaço físico na infraestrutura do cliente. A solução realiza a inspeção de pacotes DPI (deep packet inspection), bloqueando somente o padrão da anomalia e eliminando a necessidade da utilização de RTBH/Blackhole — roteamento BGP + IP Anycast com latência baixa e precisão de mitigação de 99% em até 5 segundos sob garantia de SLA.

2. HugeGuard Appliance On-Premise

Neste tipo de proteção, um equipamento é instalado na infraestrutura do cliente e fica responsável por defendê-lo dos ataques. Oferece uma latência extremamente baixa e 200 Gbps por equipamento. A solução possui ASICs com chips para TLS/SSL/IPsec, atuando com full offload em velocidades wire speed, independentemente da quantidade de conexões ou tamanho de pacote, o que torna simples algumas tarefas antes inimagináveis, como a mitigação de ataques na camada da aplicação (OSI L7) em até 1ms.

3. HugeGuard Hybrid

Algumas empresas necessitam de um reforço extra devido a quantidade de tráfego que passa pela sua infraestrutura. De acordo com com a Huge Networks, o modelo híbrido utiliza um equipamento físico como linha de frente da defesa e a nuvem serve como uma retaguarda para emergências. Em casos em que a o appliance é comprometido, a proteção cloud entra em ação para garantir que a infraestrutura fique protegida de qualquer eventual ataque.

Todo processo é feito automaticamente, ou seja, a proteção é feita sem a necessidade de esforço por parte do cliente. Segundo a empresa, essa é uma maneira do usuário da solução focar em tracionar o seu negócio sem ter nenhuma preocupação com agentes externos que visam prejudicar sua infraestrutura. Ainda segundo a Huge Networks, o cliente tem total transparência dos eventos que ocorrem em sua rede através de uma plataforma chamada Huge Guard — é possível visualizar gráficos, monitorar anomalias em tempo real, acessar relatórios, etc.

Sobre a Huge Networks

A Huge Networks oferece a mais alta expertise e tecnologia em sistemas de cibersegurança e performance para um mercado global cada vez mais conectado. Com mais de 8 anos de mercado, a Huge Networks conta com poderosas soluções de prevenção e mitigação de ataques DDoS, além de produtos inovadores de gestão e distribuição de conteúdo na rede. A empresa atua em mais de 10 países, possui dezenas de datacenters pelo globo e oferece capacidade agregada de resposta com mais de 10 Tbps, acima dos padrões do mercado, garantindo serviços de alta qualidade e confiabilidade a centenas de clientes espalhados pelo planeta.

www.huge-networks.com

Contato:

Huge networks

marketing@huge-networks.com 

+55 11 3090 4441

FONTE Huge Networks

SÃO PAULO, 30 de Setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Os ataques de negação de serviço distribuído seguem sendo uma das principais armas utilizadas por cibercriminosos na internet. Em 2021, até o momento, a Huge Networks já mitigou 712.666 anomalias e o número de ataques não param de aumentar. Um dos principais erros cometidos pelas empresas que operam na internet é deixar de lado questões primordiais como sua segurança e a de seus usuários. Mitigar ataques DDoS, por exemplo, é um processo complexo que exige a experiência e a expertise de uma equipe qualificada e preparada para o desafio.

Segundo dados apresentados pela Huge Networks, entre os anos de 2016 e 2017, a empresa enfrentou uma onda de ataques originados do botnet Mirai — o maior ataque de negação de serviço distribuído de todos os tempos —, que utilizou 600.000 dispositivos da Internet das Coisas para atacar diversas empresas no mundo todo. No período citado pela companhia, cerca de 518.800 anomalias foram detectadas e mitigadas.

Ainda segundo a empresa, os anos de 2018 e 2019 apresentaram uma baixa na frequência de ataques (80.200 anomalias mitigadas). Porém, os anos consecutivos serviram de alerta vermelho para quem tem um empreendimento na internet. Com a pandemia, muitos negócios migraram para o digital e isso certamente chamou a atenção dos cibercriminosos. De acordo com a Huge Networks, somente neste período pandêmico, mais de 900.000 anomalias já foram detectadas e mitigadas.

A mitigação dos ataques é feita com o auxílio de tecnologia de ponta

Os ataques estão cada vez mais complexos e os criminosos estão inovando nos métodos e técnicas utilizadas para surpreender as defesas das vítimas. Para que uma proteção contra ataques DDoS funcione, é necessário existir uma equipe especializada, tecnologia moderna e uma infraestrutura robusta. De acordo com a Huge Networks, a detecção e mitigação dos ataques é efetiva graças a uma equipe de especialistas que monitoram — 24 horas por dia e 7 dias por semana — todo o tráfego da rede. Além disso, a empresa diz que sua proteção conta com uma Inteligência Artificial que utiliza um recurso chamado "base learning" para avaliar o comportamento dos ataques e dessa forma, se adaptar a cada nova situação — gerando assim uma efetividade de 99,9 % na mitigação dos ataques DDoS.

Recentemente, a Huge Networks abriu seu 20° ponto de presença na cidade de Frankfurt, Alemanha. De acordo com a empresa, este é mais um passo importante para o crescimento da organização e também para aumentar ainda mais a segurança, estabilidade e desempenho de todos os clientes e parceiros que integram a sua rede.

Como funciona na prática a proteção DDoS?

Tudo começa com uma equipe humana, responsável por realizar uma análise minuciosa de todo tráfego gerado na rede do cliente. O time é formado por analistas de redes, engenheiros de TI e especialistas com anos de experiência na área. Porém, além de um time qualificado e atento a todo tráfego gerado na rede, é necessário contar com uma tecnologia moderna. De acordo com a Huge Networks, suas soluções se diferenciam no mercado pela flexibilidade, segurança, inovação e desempenho. Ainda segundo a empresa, toda segurança oferecida se deve a uma rede global criada para atender qualquer infraestrutura de rede — em qualquer lugar do mundo.

Na prática, a mitigação dos ataques é feita através de três tipos de soluções: nuvem (HugeGuard Cloud), instalação física (HugeGuard Appliance On-Premise) ou no modelo híbrido (HugeGuard Hybrid). As soluções foram desenvolvidas para atender o mercado de forma abrangente e com a melhor tecnologia existente no segmento de cibersegurança.

1. HugeGuard Cloud

O tráfego chega até o scrubbing center (centro de mitigação), passa por um filtro e em seguida apenas os usuários legítimos são entregues à rede do cliente. A instalação da proteção em nuvem não necessita de equipamentos ou disponibilização de um espaço físico na infraestrutura do cliente. A solução realiza a inspeção de pacotes DPI (deep packet inspection), bloqueando somente o padrão da anomalia e eliminando a necessidade da utilização de RTBH/Blackhole — roteamento BGP + IP Anycast com latência baixa e precisão de mitigação de 99% em até 5 segundos sob garantia de SLA.

2. HugeGuard Appliance On-Premise

Neste tipo de proteção, um equipamento é instalado na infraestrutura do cliente e fica responsável por defendê-lo dos ataques. Oferece uma latência extremamente baixa e 200 Gbps por equipamento. A solução possui ASICs com chips para TLS/SSL/IPsec, atuando com full offload em velocidades wire speed, independentemente da quantidade de conexões ou tamanho de pacote, o que torna simples algumas tarefas antes inimagináveis, como a mitigação de ataques na camada da aplicação (OSI L7) em até 1ms.

3. HugeGuard Hybrid

Algumas empresas necessitam de um reforço extra devido a quantidade de tráfego que passa pela sua infraestrutura. De acordo com com a Huge Networks, o modelo híbrido utiliza um equipamento físico como linha de frente da defesa e a nuvem serve como uma retaguarda para emergências. Em casos em que a o appliance é comprometido, a proteção cloud entra em ação para garantir que a infraestrutura fique protegida de qualquer eventual ataque.

Todo processo é feito automaticamente, ou seja, a proteção é feita sem a necessidade de esforço por parte do cliente. Segundo a empresa, essa é uma maneira do usuário da solução focar em tracionar o seu negócio sem ter nenhuma preocupação com agentes externos que visam prejudicar sua infraestrutura. Ainda segundo a Huge Networks, o cliente tem total transparência dos eventos que ocorrem em sua rede através de uma plataforma chamada Huge Guard — é possível visualizar gráficos, monitorar anomalias em tempo real, acessar relatórios, etc.

Sobre a Huge Networks

A Huge Networks oferece a mais alta expertise e tecnologia em sistemas de cibersegurança e performance para um mercado global cada vez mais conectado. Com mais de 8 anos de mercado, a Huge Networks conta com poderosas soluções de prevenção e mitigação de ataques DDoS, além de produtos inovadores de gestão e distribuição de conteúdo na rede. A empresa atua em mais de 10 países, possui dezenas de datacenters pelo globo e oferece capacidade agregada de resposta com mais de 10 Tbps, acima dos padrões do mercado, garantindo serviços de alta qualidade e confiabilidade a centenas de clientes espalhados pelo planeta.

www.huge-networks.com

Contato:

Huge networks

marketing@huge-networks.com 

+55 11 3090 4441

FONTE Huge Networks

Você acabou de ler:

Huge Networks explica como funciona o processo de mitigação de um ataque de negação de serviço distribuído (DDoS)

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/huge-networks-explica-como-funciona-o-processo-de-mitigacao-de-um-ataque-de-negacao-de-servico-distribuido-ddos/