'Impactos da pandemia serão transitórios e limitados', afirma embaixador chinês no Brasil

Yang Wanming afirmou que a maior parte dos trabalhadores chineses já retornaram ao trabalho. Ele também analisou novas oportunidades de negócio com o Brasil.

SÃO PAULO, 22 de junho de 2020 /PRNewswire/ -- O Embaixador Plenipotenciário da República Popular da China, Yang Wanming, foi o expositor do LIDE LIVE desta sexta-feira (19). O representante do governo chinês no Brasil falou sobre a "Parceria estratégica sino-brasileira pós-pandemia: oportunidades e desafios" e respondeu a questionamentos de líderes empresariais.

O evento remoto ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações das autoridades de saúde brasileiras e internacionais. A transmissão teve participação de Marcelo Braga Nascimento, presidente do LIDE China, e a mediação do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan, e do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto.

"De janeiro a maio, a exportação brasileira caiu 7%, mas as vendas externas para a China aumentaram em 2,4%. Esse resultado é encorajador e demonstra grande potencial. Com a nova urbanização e sofisticação, vai crescer a demanda chinesa por produtos brasileiros de alto valor agregado", afirmou o embaixador.

Yang Wanming explicou que as perspectivas chinesas são positivas para os próximos anos. "É necessário analisar a situação econômica da China de forma ampla e a longo prazo. Nós temos uma sólida base na economia, com crescimento do PIB em 6,1% em 2019, a maior entre as principais economias do mundo".

O embaixador disse que o a renda per capita dos chineses ultrapassou U$ 10 mil no ano passado. "Temos expectativa de crescer em mais U$ 10 mil dólares em 15 anos. Possuímos o maior e mais potente polo industrial e o maior mercado consumidor do mundo, que contribuiu com mais de 57% do PIB de 2019".

Diante da pandemia, a China registrou a primeira retração trimestral desde 1992. "Os impactos da pandemia serão transitórios e limitados. Tivemos queda de 6,8% no primeiro trimestre deste ano. Lançamos mais de 90 iniciativas para promover melhorias na cadeia produtiva e 95% dos funcionários já voltaram ao trabalho".

O LIDE LIVE teve como patrocinador SPIC Brasil. A RCE foi a fornecedora oficial do evento.

Informações à imprensa

Alan Cruz - alancruz@grupodoria.com.br

Claudio Pimentel - claudiopimentel@grupodoria.com.br

FONTE LIDE

Yang Wanming afirmou que a maior parte dos trabalhadores chineses já retornaram ao trabalho. Ele também analisou novas oportunidades de negócio com o Brasil.

SÃO PAULO, 22 de junho de 2020 /PRNewswire/ -- O Embaixador Plenipotenciário da República Popular da China, Yang Wanming, foi o expositor do LIDE LIVE desta sexta-feira (19). O representante do governo chinês no Brasil falou sobre a "Parceria estratégica sino-brasileira pós-pandemia: oportunidades e desafios" e respondeu a questionamentos de líderes empresariais.

O evento remoto ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações das autoridades de saúde brasileiras e internacionais. A transmissão teve participação de Marcelo Braga Nascimento, presidente do LIDE China, e a mediação do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan, e do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto.

"De janeiro a maio, a exportação brasileira caiu 7%, mas as vendas externas para a China aumentaram em 2,4%. Esse resultado é encorajador e demonstra grande potencial. Com a nova urbanização e sofisticação, vai crescer a demanda chinesa por produtos brasileiros de alto valor agregado", afirmou o embaixador.

Yang Wanming explicou que as perspectivas chinesas são positivas para os próximos anos. "É necessário analisar a situação econômica da China de forma ampla e a longo prazo. Nós temos uma sólida base na economia, com crescimento do PIB em 6,1% em 2019, a maior entre as principais economias do mundo".

O embaixador disse que o a renda per capita dos chineses ultrapassou U$ 10 mil no ano passado. "Temos expectativa de crescer em mais U$ 10 mil dólares em 15 anos. Possuímos o maior e mais potente polo industrial e o maior mercado consumidor do mundo, que contribuiu com mais de 57% do PIB de 2019".

Diante da pandemia, a China registrou a primeira retração trimestral desde 1992. "Os impactos da pandemia serão transitórios e limitados. Tivemos queda de 6,8% no primeiro trimestre deste ano. Lançamos mais de 90 iniciativas para promover melhorias na cadeia produtiva e 95% dos funcionários já voltaram ao trabalho".

O LIDE LIVE teve como patrocinador SPIC Brasil. A RCE foi a fornecedora oficial do evento.

Informações à imprensa

Alan Cruz - alancruz@grupodoria.com.br

Claudio Pimentel - claudiopimentel@grupodoria.com.br

FONTE LIDE