Implante contraceptivo pode ser disponibilizado por planos de saúde

Consulta pública sobre incorporação do método anticoncepcional para prevenção de gestação não planejada na rede privada segue aberta até 21 de novembro

SÃO PAULO, 9 de outubro de 2020 /PRNewswire/ -- Um novo método contraceptivo poderá entrar na relação de serviços que os planos de saúde devem oferecer aos beneficiários. A atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, que é listagem mínima obrigatória de exames, consultas, cirurgias e demais procedimentos que os planos de saúde devem oferecer aos consumidores, está em curso. E, neste momento, a sociedade pode contribuir, enviando opiniões sobre a ampliação da cobertura de métodos anticoncepcionais pelos planos de saúde.

A consulta pública está disponível até o dia 21 de novembro para participação da sociedade no processo de tomada de decisão. As opiniões podem ser enviadas pelo site da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A recomendação inicial do órgão que regula a atuação dos planos de saúde é pela não incorporação do implante subdérmico contraceptivo para mulheres em idade fértil, a partir dos 18 anos.

Entre as opções de contraceptivos reversíveis de longa ação disponíveis hoje – DIU de cobre e DIU Hormonal –, o implante subdérmico de etonogestrel é o método anticoncepcional mais eficaz1. É um bastonete flexível de 4 cm de comprimento, inserido no braço da mulher, cujo hormônio é liberado gradualmente no organismo, com a função de inibir a ovulação e, assim, impedir a gravidez[1], por até 3 anos. Quando analisada a eficácia de cada método, os contraceptivos de longa ação (LARCs), como é o implante subdérmico, atingem as melhores taxas, por isso, são considerados mais efetivos[2] (VER TABELA). Também são recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para a inclusão na lista básica de medicamentos ofertados pelos sistemas públicos de saúde.

Sobre a MSD

Por mais de 125 anos, a MSD cria invenções para a vida, trazendo ao mercado medicamentos inovadores para combater as doenças mais desafiadoras. MSD é o nome pelo qual é conhecida a Merck & Co. Inc. fora dos Estados Unidos e do Canadá, cuja sede fica em Kenilworth (New Jersey, EUA). Demonstramos nosso compromisso com os pacientes e com a saúde da população, aumentando o acesso aos serviços de saúde por meio de políticas, programas e parcerias de longo alcance. Hoje, a MSD continua na vanguarda da pesquisa para prevenir e tratar doenças que ameaçam pessoas e animais - incluindo câncer, doenças infecciosas como HIV e Ebola e doenças animais emergentes -, pois aspiramos ser a principal empresa biofarmacêutica intensiva em pesquisa no mundo. Para mais informações, visite www.msd.com e conecte-se conosco no Twitter, LinkedIn e YouTube.

Sobre a MSD no Brasil 

Presente no Brasil desde 1952, a MSD conta com mais de 1,9 mil funcionários no país, nas divisões de Saúde Humana, Saúde Animal e Pesquisa Clínica. Para mais informações, acesse www.msd.com.br e conecte-se conosco no Facebook, LinkedIn e YouTube.

[1] Circular aos Médicos (bula) de IMPLANON. São Paulo; Schering-Plough Indústria Farmacêutica Ltda., 2018.

[2] Peipert JF, Madden T, Allsworth JE et al. Preventing unintended pregnancies by providing no-cost contraception. Obstet Gynecol. 2012;120(6):1291-7.

CONTATO: Camilla Conde, camilla.conde@ketchum.com.br; Deborah Moratori, deborah.moratonri@ketchum.com.br 

FONTE MSD

Consulta pública sobre incorporação do método anticoncepcional para prevenção de gestação não planejada na rede privada segue aberta até 21 de novembro

SÃO PAULO, 9 de outubro de 2020 /PRNewswire/ -- Um novo método contraceptivo poderá entrar na relação de serviços que os planos de saúde devem oferecer aos beneficiários. A atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, que é listagem mínima obrigatória de exames, consultas, cirurgias e demais procedimentos que os planos de saúde devem oferecer aos consumidores, está em curso. E, neste momento, a sociedade pode contribuir, enviando opiniões sobre a ampliação da cobertura de métodos anticoncepcionais pelos planos de saúde.

A consulta pública está disponível até o dia 21 de novembro para participação da sociedade no processo de tomada de decisão. As opiniões podem ser enviadas pelo site da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A recomendação inicial do órgão que regula a atuação dos planos de saúde é pela não incorporação do implante subdérmico contraceptivo para mulheres em idade fértil, a partir dos 18 anos.

Entre as opções de contraceptivos reversíveis de longa ação disponíveis hoje – DIU de cobre e DIU Hormonal –, o implante subdérmico de etonogestrel é o método anticoncepcional mais eficaz1. É um bastonete flexível de 4 cm de comprimento, inserido no braço da mulher, cujo hormônio é liberado gradualmente no organismo, com a função de inibir a ovulação e, assim, impedir a gravidez[1], por até 3 anos. Quando analisada a eficácia de cada método, os contraceptivos de longa ação (LARCs), como é o implante subdérmico, atingem as melhores taxas, por isso, são considerados mais efetivos[2] (VER TABELA). Também são recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para a inclusão na lista básica de medicamentos ofertados pelos sistemas públicos de saúde.

Sobre a MSD

Por mais de 125 anos, a MSD cria invenções para a vida, trazendo ao mercado medicamentos inovadores para combater as doenças mais desafiadoras. MSD é o nome pelo qual é conhecida a Merck & Co. Inc. fora dos Estados Unidos e do Canadá, cuja sede fica em Kenilworth (New Jersey, EUA). Demonstramos nosso compromisso com os pacientes e com a saúde da população, aumentando o acesso aos serviços de saúde por meio de políticas, programas e parcerias de longo alcance. Hoje, a MSD continua na vanguarda da pesquisa para prevenir e tratar doenças que ameaçam pessoas e animais - incluindo câncer, doenças infecciosas como HIV e Ebola e doenças animais emergentes -, pois aspiramos ser a principal empresa biofarmacêutica intensiva em pesquisa no mundo. Para mais informações, visite www.msd.com e conecte-se conosco no Twitter, LinkedIn e YouTube.

Sobre a MSD no Brasil 

Presente no Brasil desde 1952, a MSD conta com mais de 1,9 mil funcionários no país, nas divisões de Saúde Humana, Saúde Animal e Pesquisa Clínica. Para mais informações, acesse www.msd.com.br e conecte-se conosco no Facebook, LinkedIn e YouTube.

[1] Circular aos Médicos (bula) de IMPLANON. São Paulo; Schering-Plough Indústria Farmacêutica Ltda., 2018.

[2] Peipert JF, Madden T, Allsworth JE et al. Preventing unintended pregnancies by providing no-cost contraception. Obstet Gynecol. 2012;120(6):1291-7.

CONTATO: Camilla Conde, camilla.conde@ketchum.com.br; Deborah Moratori, deborah.moratonri@ketchum.com.br 

FONTE MSD

Você acabou de ler:

Implante contraceptivo pode ser disponibilizado por planos de saúde

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/implante-contraceptivo-pode-ser-disponibilizado-por-planos-de-saude/