Índice Global de Terrorismo de 2020: Mortes por terrorismo atingem o mínimo em cinco anos, mas surgem novos riscos

LONDRES, 25 de novembro de 2020 /PRNewswire/ --

  • As mortes por terrorismo em todo o mundo caíram pelo quinto ano consecutivo em 2019 totalizando 13.826, uma redução de 15% em relação ao ano anterior 
  • Na América do Norte, Europa Ocidental e Oceania, os ataques de extrema direita aumentaram 250% desde 2014, os números agora são mais altos do que em qualquer momento dos últimos 50 anos 
  • 63 países registraram pelo menos uma morte por terrorismo, o menor número desde 2013 
  • O impacto econômico global do terrorismo foi de US$ 16,4 bilhões em 2019, uma redução de 25% em relação ao ano anterior 
  • O centro de gravidade do Estado Islâmico do Iraque e Levante (Islamic State of Iraq and the Levant, ISIL) é transferido para a África Subsaariana com o aumento de 67% no total de mortes na região pelo ISIL 
  • Em 2019, o ISIL e seus afiliados também foram responsáveis por ataques em 27 países 

O Índice de Terrorismo Global de 2020 (Global Terrorism Index, GTI) constatou que as mortes por terrorismo caíram pelo quinto ano consecutivo desde o pico em 2014. O número de mortes agora diminuiu 59% desde 2014 para 13.826. Os conflitos continuam sendo o principal motivador do terrorismo, sendo que mais de 9% das mortes por terrorismo em 2019 ocorreram em países já em conflito.

O Índice Anual de Terrorismo Global, agora em seu oitavo ano, é desenvolvido por um grupo de reflexão líder do Instituto de Economia e Paz (Institute of Economics and Peace, IEP) e oferece o recurso mais abrangente sobre as tendências do terrorismo global.

As maiores reduções nas mortes ocorreram no Afeganistão e na Nigéria, no entanto, eles ainda são os únicos dois países que sofreram mais de 1.000 mortes por terrorismo. A queda no número de mortes também foi refletida nas pontuações dos países, com 103 de melhoria comparado a 35 de piora. Este é o maior número de países a registrar melhoria ano a ano desde o início do índice.

Apesar da queda geral no impacto global, o terrorismo continua sendo uma ameaça significativa e séria em muitos países. Em 2019, houve 63 países que registraram pelo menos uma morte em um ataque terrorista, e o maior aumento no terrorismo ocorreu em Burkina Faso, onde as mortes aumentaram 590%. Outros países que deterioraram substancialmente são Sri Lanka, Moçambique, Mali e Níger.

Algumas outras principais descobertas são:

  • Os dez países sob maior impacto do terrorismo são: Afeganistão, Iraque, Nigéria, Síria, Somália, Iêmen, Paquistão, Índia, República Democrática do Congo e Filipinas
  • Pelo segundo ano consecutivo, o Sul da Ásia é a região sob maior impacto do terrorismo, enquanto a América Central e o Caribe registraram o menor impacto
  • A região do Oriente Médio e Norte da África (Middle East and North Africa, MENA) registrou a maior melhoria regional no terrorismo pelo segundo ano consecutivo, registrando o menor número de mortes desde 2003

Steve Killelea, presidente executivo do IEP : "Ao entrarmos em uma nova década, estamos vendo o aparecimento de novas ameaças de terrorismo. A ascensão da extrema direita no Ocidente e as deteriorações no Sahel são exemplos importantes. Além disso, como visto no recentes ataques na França e na Áustria, muitos grupos menores simpatizantes das filosofias do ISIL ainda estão ativos. Para romper essas influências, três iniciativas principais são necessárias: quebrar a cobertura da mídia e redes sociais on-line, interromper o financiamento e diminuir o número de simpatizantes."

O GTI usa uma série de fatores para calcular sua pontuação, incluindo o número de incidentes, fatalidades, ferimentos e danos materiais. O Taleban continuou sendo o grupo terrorista mais mortal do mundo em 2019; no entanto, as mortes de terroristas atribuídas ao grupo diminuíram 18%. A força e a influência do ISIL também continuaram a diminuir, pela primeira vez desde que se tornou ativo, o grupo foi responsável por menos de mil mortes em um ano. 

Apesar da redução na atividade do ISIL no Oriente Médio e Norte da África, os grupos afiliados do ISIL permanecem ativos em todo o mundo, com 27 países registrando um ataque pelo ISIL ou seus afiliados. A África Subsaariana foi a região mais atingida, com sete dos dez países apresentando os maiores aumentos de mortes por terrorismo na região. Os afiliados do ISIL são os principais responsáveis pelo aumento, com 41% de todas as mortes relacionadas ao ISIL que houve na África Subsaariana.

Na América do Norte, Europa Ocidental e Oceania, a ameaça do terrorismo político de extrema direita tem aumentado nos últimos cinco anos. Nessas regiões, os incidentes de extrema direita aumentaram 250% entre 2014 e 2019. Houve 89 mortes atribuídas a terroristas de extrema direita em 2019. Na última década, as medidas de resiliência social têm diminuído em muitas das economias economicamente avançadas. É provável que essa tendência continue em razão da prolongada desaceleração econômica causada pela COVID-19, que provavelmente aumentará a instabilidade política e a violência. 

Desde que a COVID-19 foi declarada uma pandemia global pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março de 2020, os dados preliminares sugerem queda tanto em incidentes quanto em mortes por terrorismo na maioria das regiões do mundo. No entanto, a pandemia da COVID-19 provavelmente apresentará desafios de combate ao terrorismo novos e distintos. É importante que as iniciativas de combate ao terrorismo não sejam restringidas devido às reduções nos gastos do governo resultantes da desaceleração econômica. As reduções na assistência internacional para operações de combate ao terrorismo na região MENA e na África Subsaariana podem ser contraproducentes.

Thomas Morgan, pesquisador sênior do IEP, explica os resultados: "Entre 2011 e 2019, as rebeliões e manifestações violentas no Ocidente aumentaram 277%. Há sérias preocupações de que a deterioração das condições econômicas resultará em mais pessoas alienadas e suscetíveis à propaganda extremista."

A queda do terrorismo também foi acompanhada por uma redução de 25% no impacto econômico global do terrorismo, que totalizou US$ 16,4 bilhões em 2019. Comparado a outras formas de violência, como homicídio, conflito armado e despesas militares, o terrorismo é uma pequena porcentagem do custo global total da violência, que foi de US$ 14,5 trilhões em 2019. No entanto, o impacto econômico real do terrorismo é muito maior, uma vez que esses números não levam em conta o impacto indireto sobre os negócios, investimentos e custos associados a agências de segurança no combate ao terrorismo.

Notas aos editores 

O relatório completo do GTI 2020 e o mapa interativo estão disponíveis em:visionofhumanity.org ou economicsandpeace.org  

Seguir: @GlobPeaceIndex

Curtir: facebook.com/globalpeaceindex

Índice Global de Terrorismo (GTI) 

O GTI do Institute for Economics & Peace oferece um resumo abrangente das principais tendências e padrões globais do terrorismo nos últimos 18 anos. O relatório classifica 163 países (99,7% da população mundial) de acordo com o impacto imposto pelo terrorismo. Os indicadores incluem o número de incidentes terroristas, mortes, feridos e danos materiais.

Banco de Dados de Terrorismo Global 

O GTI usa dados do Banco de Dados de Terrorismo Global (Global Terrorism Database, GTD) sobre terrorismo do Consórcio Nacional para o Estudo do Terrorismo e Respostas ao Terrorismo (Study of Terrorism and Responses to Terrorism, START), um Centro de Excelência do Departamento de Segurança Interna liderado pela  Universidade de Maryland. O banco oferece o recurso mais abrangente sobre as tendências terroristas globais.

Institute for Economics & Peace 

O Instituto para Economia e Paz (Institute for Economics & Peace, IEP) é o grupo de reflexão líder mundial dedicado ao desenvolvimento de métricas para analisar a paz e quantificar seu valor econômico. Isso é feito desenvolvendo índices globais e nacionais, incluindo o Índice de Paz Global anual, calculando o custo econômico da violência e entendendo a Paz Positiva, que são as atitudes, instituições e estruturas que criam e sustentam sociedades pacíficas.

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/792052/IEP_Logo.jpg

 

 

FONTE Institute for Economics & Peace

LONDRES, 25 de novembro de 2020 /PRNewswire/ --

  • As mortes por terrorismo em todo o mundo caíram pelo quinto ano consecutivo em 2019 totalizando 13.826, uma redução de 15% em relação ao ano anterior 
  • Na América do Norte, Europa Ocidental e Oceania, os ataques de extrema direita aumentaram 250% desde 2014, os números agora são mais altos do que em qualquer momento dos últimos 50 anos 
  • 63 países registraram pelo menos uma morte por terrorismo, o menor número desde 2013 
  • O impacto econômico global do terrorismo foi de US$ 16,4 bilhões em 2019, uma redução de 25% em relação ao ano anterior 
  • O centro de gravidade do Estado Islâmico do Iraque e Levante (Islamic State of Iraq and the Levant, ISIL) é transferido para a África Subsaariana com o aumento de 67% no total de mortes na região pelo ISIL 
  • Em 2019, o ISIL e seus afiliados também foram responsáveis por ataques em 27 países 

O Índice de Terrorismo Global de 2020 (Global Terrorism Index, GTI) constatou que as mortes por terrorismo caíram pelo quinto ano consecutivo desde o pico em 2014. O número de mortes agora diminuiu 59% desde 2014 para 13.826. Os conflitos continuam sendo o principal motivador do terrorismo, sendo que mais de 9% das mortes por terrorismo em 2019 ocorreram em países já em conflito.

O Índice Anual de Terrorismo Global, agora em seu oitavo ano, é desenvolvido por um grupo de reflexão líder do Instituto de Economia e Paz (Institute of Economics and Peace, IEP) e oferece o recurso mais abrangente sobre as tendências do terrorismo global.

As maiores reduções nas mortes ocorreram no Afeganistão e na Nigéria, no entanto, eles ainda são os únicos dois países que sofreram mais de 1.000 mortes por terrorismo. A queda no número de mortes também foi refletida nas pontuações dos países, com 103 de melhoria comparado a 35 de piora. Este é o maior número de países a registrar melhoria ano a ano desde o início do índice.

Apesar da queda geral no impacto global, o terrorismo continua sendo uma ameaça significativa e séria em muitos países. Em 2019, houve 63 países que registraram pelo menos uma morte em um ataque terrorista, e o maior aumento no terrorismo ocorreu em Burkina Faso, onde as mortes aumentaram 590%. Outros países que deterioraram substancialmente são Sri Lanka, Moçambique, Mali e Níger.

Algumas outras principais descobertas são:

  • Os dez países sob maior impacto do terrorismo são: Afeganistão, Iraque, Nigéria, Síria, Somália, Iêmen, Paquistão, Índia, República Democrática do Congo e Filipinas
  • Pelo segundo ano consecutivo, o Sul da Ásia é a região sob maior impacto do terrorismo, enquanto a América Central e o Caribe registraram o menor impacto
  • A região do Oriente Médio e Norte da África (Middle East and North Africa, MENA) registrou a maior melhoria regional no terrorismo pelo segundo ano consecutivo, registrando o menor número de mortes desde 2003

Steve Killelea, presidente executivo do IEP : "Ao entrarmos em uma nova década, estamos vendo o aparecimento de novas ameaças de terrorismo. A ascensão da extrema direita no Ocidente e as deteriorações no Sahel são exemplos importantes. Além disso, como visto no recentes ataques na França e na Áustria, muitos grupos menores simpatizantes das filosofias do ISIL ainda estão ativos. Para romper essas influências, três iniciativas principais são necessárias: quebrar a cobertura da mídia e redes sociais on-line, interromper o financiamento e diminuir o número de simpatizantes."

O GTI usa uma série de fatores para calcular sua pontuação, incluindo o número de incidentes, fatalidades, ferimentos e danos materiais. O Taleban continuou sendo o grupo terrorista mais mortal do mundo em 2019; no entanto, as mortes de terroristas atribuídas ao grupo diminuíram 18%. A força e a influência do ISIL também continuaram a diminuir, pela primeira vez desde que se tornou ativo, o grupo foi responsável por menos de mil mortes em um ano. 

Apesar da redução na atividade do ISIL no Oriente Médio e Norte da África, os grupos afiliados do ISIL permanecem ativos em todo o mundo, com 27 países registrando um ataque pelo ISIL ou seus afiliados. A África Subsaariana foi a região mais atingida, com sete dos dez países apresentando os maiores aumentos de mortes por terrorismo na região. Os afiliados do ISIL são os principais responsáveis pelo aumento, com 41% de todas as mortes relacionadas ao ISIL que houve na África Subsaariana.

Na América do Norte, Europa Ocidental e Oceania, a ameaça do terrorismo político de extrema direita tem aumentado nos últimos cinco anos. Nessas regiões, os incidentes de extrema direita aumentaram 250% entre 2014 e 2019. Houve 89 mortes atribuídas a terroristas de extrema direita em 2019. Na última década, as medidas de resiliência social têm diminuído em muitas das economias economicamente avançadas. É provável que essa tendência continue em razão da prolongada desaceleração econômica causada pela COVID-19, que provavelmente aumentará a instabilidade política e a violência. 

Desde que a COVID-19 foi declarada uma pandemia global pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março de 2020, os dados preliminares sugerem queda tanto em incidentes quanto em mortes por terrorismo na maioria das regiões do mundo. No entanto, a pandemia da COVID-19 provavelmente apresentará desafios de combate ao terrorismo novos e distintos. É importante que as iniciativas de combate ao terrorismo não sejam restringidas devido às reduções nos gastos do governo resultantes da desaceleração econômica. As reduções na assistência internacional para operações de combate ao terrorismo na região MENA e na África Subsaariana podem ser contraproducentes.

Thomas Morgan, pesquisador sênior do IEP, explica os resultados: "Entre 2011 e 2019, as rebeliões e manifestações violentas no Ocidente aumentaram 277%. Há sérias preocupações de que a deterioração das condições econômicas resultará em mais pessoas alienadas e suscetíveis à propaganda extremista."

A queda do terrorismo também foi acompanhada por uma redução de 25% no impacto econômico global do terrorismo, que totalizou US$ 16,4 bilhões em 2019. Comparado a outras formas de violência, como homicídio, conflito armado e despesas militares, o terrorismo é uma pequena porcentagem do custo global total da violência, que foi de US$ 14,5 trilhões em 2019. No entanto, o impacto econômico real do terrorismo é muito maior, uma vez que esses números não levam em conta o impacto indireto sobre os negócios, investimentos e custos associados a agências de segurança no combate ao terrorismo.

Notas aos editores 

O relatório completo do GTI 2020 e o mapa interativo estão disponíveis em:visionofhumanity.org ou economicsandpeace.org  

Seguir: @GlobPeaceIndex

Curtir: facebook.com/globalpeaceindex

Índice Global de Terrorismo (GTI) 

O GTI do Institute for Economics & Peace oferece um resumo abrangente das principais tendências e padrões globais do terrorismo nos últimos 18 anos. O relatório classifica 163 países (99,7% da população mundial) de acordo com o impacto imposto pelo terrorismo. Os indicadores incluem o número de incidentes terroristas, mortes, feridos e danos materiais.

Banco de Dados de Terrorismo Global 

O GTI usa dados do Banco de Dados de Terrorismo Global (Global Terrorism Database, GTD) sobre terrorismo do Consórcio Nacional para o Estudo do Terrorismo e Respostas ao Terrorismo (Study of Terrorism and Responses to Terrorism, START), um Centro de Excelência do Departamento de Segurança Interna liderado pela  Universidade de Maryland. O banco oferece o recurso mais abrangente sobre as tendências terroristas globais.

Institute for Economics & Peace 

O Instituto para Economia e Paz (Institute for Economics & Peace, IEP) é o grupo de reflexão líder mundial dedicado ao desenvolvimento de métricas para analisar a paz e quantificar seu valor econômico. Isso é feito desenvolvendo índices globais e nacionais, incluindo o Índice de Paz Global anual, calculando o custo econômico da violência e entendendo a Paz Positiva, que são as atitudes, instituições e estruturas que criam e sustentam sociedades pacíficas.

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/792052/IEP_Logo.jpg

 

 

FONTE Institute for Economics & Peace

Você acabou de ler:

Índice Global de Terrorismo de 2020: Mortes por terrorismo atingem o mínimo em cinco anos, mas surgem novos riscos

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/indice-global-de-terrorismo-de-2020-mortes-por-terrorismo-atingem-o-minimo-em-cinco-anos-mas-surgem-novos-riscos/