Instituto Não Aceito Corrupção premia iniciativas que priorizam o combate à prática no Brasil

A terceira edição do PNAC terá quatro categorias: Academia e Tecnologia para estudantes de graduação e pós, e Empresas e Jornalismo Investigativo para profissionais das respectivas áreas

SÃO PAULO, 17 de novembro de 2021 /PRNewswire/ -- Os primeiros registros de corrupção no Brasil são tão antigos quanto a história do País. Ao longo dos séculos a prática se mostrou constante e daninha, independentemente de sistemas políticos, governos ou ideologias. Sempre envolveu números estratosféricos, o que causou imenso prejuízo ao desenvolvimento da nação. É fundamental que se conscientize a sociedade de que o problema é perene, merece atenção continuada e requer o fomento para promoção e divulgação de soluções técnicas, criativas e replicáveis.

O Instituto Não Aceito Corrupção (INAC) criou o Prêmio Nacional Não Aceito Corrupção. O objetivo é estimular a discussão sobre conceitos e soluções práticas relacionadas à corrupção e seu combate no Brasil, com projetos acadêmicos, aplicativos, reportagens investigativas, além de estudos de casos empresariais, contribuindo, assim, para a sensibilização, mobilização e a divulgação dos conceitos relacionados ao tema do Prêmio.

A terceira edição do PNAC terá quatro categorias: as tradicionais Academia e Tecnologia para estudantes de graduação e pós, e as novas categorias Empresas e Jornalismo Investigativo para profissionais das respectivas áreas.

As inscrições estão abertas desde o dia 10 de novembro e vão até o dia 10 de dezembro.

Originalmente o PNAC foi concebido como concurso cultural, destinado a estudantes universitários de graduação e pós-graduação, que buscavam contribuir para a sensibilização, a mobilização e a divulgação dos conceitos relacionados ao tema do combate à corrupção. A primeira edição em 2016 contou com a apresentação de artigos acadêmicos, contendo soluções práticas e eficientes para a prevenção e o enfrentamento da prática no Brasil.

"O Prêmio pode contribuir com o debate, reunindo idéias, projetos e trabalhos, que mostram que o combate à corrupção depende de cada um de nós. A corrupção existe no 'jeitinho brasileiro incorporado' da 'rachadinha', por exemplo, e as pessoas, às vezes, nem percebem onde e quando ela está acontecendo. Existem ferramentas aplicáveis à construção de uma cidadania ética e solidária", explica Roberto Livianu, presidente do INAC.

Podem ser inscritos:

- Projetos acadêmicos (artigos, estudos de caso e pesquisas)

- Tecnologia – projetos acadêmicos com versões executáveis finalizadas, demos ou protótipos de aplicativos móveis ou plataformas web que contribuam para a sensibilização, a mobilização e a divulgação dos conceitos relacionados ao tema do PNAC.

- Imprensa - Jornalismo Investigativo - reportagens investigativas (únicas ou série), publicadas entre 01/01/2020 e 29/11/2021.

- Empresas/ Governança - Estudos de casos que descrevam boas práticas de governança corporativa relativas a ações realizadas entre 01/01/2020 e 29/11/2021.

Compõem a banca julgadora Ágatha Camargo Paraventi, doutora e mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP; Caio Túlio Costa, jornalista e pioneiro em comunicação digital; Laura Barros, doutora e mestre em Direito do Estado pela Universidade de São Paulo; Paulo Saldiva, médico formado pela Universidade de São Paulo, com PhD, professor titular do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina USP; Reynaldo Goto, engenheiro mecatrônico, pós-graduado em Marketing e Finanças.

Serviço

Prêmio Não Aceito Corrupção

Data de inscrição: 10/novembro a 10/dezembro de 2021

Julgamento: dezembro/2021 a fevereiro/2022

Premiação: março/2022

Categorias: projetos acadêmicos/ Tecnologia, Empresas/ Governança, Imprensa/ Jornalismo Investigativo.

Prêmios: Os vencedores de cada categoria receberão um laptop. Os segundos colocados, um tablet; e os terceiros colocados, um leitor de livros digital.

Inscrições e informações: http://premionaoaceitocorrupcao.com.br/

Sobre o INAC

O Instituto Não Aceito Corrupção é uma associação apartidária, sem fins lucrativos, fundada em 2015. Seus pilares de atuação são baseados em pesquisa, elaboração de políticas públicas, educação e mobilização. Usa dados concretos para fazer uma discussão qualificada de leis e projetos de lei, contribuindo para a adoção de regras eficientes no enfrentamento ao mau uso dos recursos públicos. Ademais, dissemina conhecimento, ferramentas de fiscalização do Poder Público, transparência e acesso à informação, entre outros, com o objetivo de reverter a cultura de corrupção que, por tanto tempo, tem vigorado no Brasil. Para saber mais, acesse o site.

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1690947/INAC_Premio_Nao_Aceito_Corrup__o_2021.jpg

 

FONTE Instituto Não Aceito Corrupção

A terceira edição do PNAC terá quatro categorias: Academia e Tecnologia para estudantes de graduação e pós, e Empresas e Jornalismo Investigativo para profissionais das respectivas áreas

SÃO PAULO, 17 de novembro de 2021 /PRNewswire/ -- Os primeiros registros de corrupção no Brasil são tão antigos quanto a história do País. Ao longo dos séculos a prática se mostrou constante e daninha, independentemente de sistemas políticos, governos ou ideologias. Sempre envolveu números estratosféricos, o que causou imenso prejuízo ao desenvolvimento da nação. É fundamental que se conscientize a sociedade de que o problema é perene, merece atenção continuada e requer o fomento para promoção e divulgação de soluções técnicas, criativas e replicáveis.

O Instituto Não Aceito Corrupção (INAC) criou o Prêmio Nacional Não Aceito Corrupção. O objetivo é estimular a discussão sobre conceitos e soluções práticas relacionadas à corrupção e seu combate no Brasil, com projetos acadêmicos, aplicativos, reportagens investigativas, além de estudos de casos empresariais, contribuindo, assim, para a sensibilização, mobilização e a divulgação dos conceitos relacionados ao tema do Prêmio.

A terceira edição do PNAC terá quatro categorias: as tradicionais Academia e Tecnologia para estudantes de graduação e pós, e as novas categorias Empresas e Jornalismo Investigativo para profissionais das respectivas áreas.

As inscrições estão abertas desde o dia 10 de novembro e vão até o dia 10 de dezembro.

Originalmente o PNAC foi concebido como concurso cultural, destinado a estudantes universitários de graduação e pós-graduação, que buscavam contribuir para a sensibilização, a mobilização e a divulgação dos conceitos relacionados ao tema do combate à corrupção. A primeira edição em 2016 contou com a apresentação de artigos acadêmicos, contendo soluções práticas e eficientes para a prevenção e o enfrentamento da prática no Brasil.

"O Prêmio pode contribuir com o debate, reunindo idéias, projetos e trabalhos, que mostram que o combate à corrupção depende de cada um de nós. A corrupção existe no 'jeitinho brasileiro incorporado' da 'rachadinha', por exemplo, e as pessoas, às vezes, nem percebem onde e quando ela está acontecendo. Existem ferramentas aplicáveis à construção de uma cidadania ética e solidária", explica Roberto Livianu, presidente do INAC.

Podem ser inscritos:

- Projetos acadêmicos (artigos, estudos de caso e pesquisas)

- Tecnologia – projetos acadêmicos com versões executáveis finalizadas, demos ou protótipos de aplicativos móveis ou plataformas web que contribuam para a sensibilização, a mobilização e a divulgação dos conceitos relacionados ao tema do PNAC.

- Imprensa - Jornalismo Investigativo - reportagens investigativas (únicas ou série), publicadas entre 01/01/2020 e 29/11/2021.

- Empresas/ Governança - Estudos de casos que descrevam boas práticas de governança corporativa relativas a ações realizadas entre 01/01/2020 e 29/11/2021.

Compõem a banca julgadora Ágatha Camargo Paraventi, doutora e mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP; Caio Túlio Costa, jornalista e pioneiro em comunicação digital; Laura Barros, doutora e mestre em Direito do Estado pela Universidade de São Paulo; Paulo Saldiva, médico formado pela Universidade de São Paulo, com PhD, professor titular do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina USP; Reynaldo Goto, engenheiro mecatrônico, pós-graduado em Marketing e Finanças.

Serviço

Prêmio Não Aceito Corrupção

Data de inscrição: 10/novembro a 10/dezembro de 2021

Julgamento: dezembro/2021 a fevereiro/2022

Premiação: março/2022

Categorias: projetos acadêmicos/ Tecnologia, Empresas/ Governança, Imprensa/ Jornalismo Investigativo.

Prêmios: Os vencedores de cada categoria receberão um laptop. Os segundos colocados, um tablet; e os terceiros colocados, um leitor de livros digital.

Inscrições e informações: http://premionaoaceitocorrupcao.com.br/

Sobre o INAC

O Instituto Não Aceito Corrupção é uma associação apartidária, sem fins lucrativos, fundada em 2015. Seus pilares de atuação são baseados em pesquisa, elaboração de políticas públicas, educação e mobilização. Usa dados concretos para fazer uma discussão qualificada de leis e projetos de lei, contribuindo para a adoção de regras eficientes no enfrentamento ao mau uso dos recursos públicos. Ademais, dissemina conhecimento, ferramentas de fiscalização do Poder Público, transparência e acesso à informação, entre outros, com o objetivo de reverter a cultura de corrupção que, por tanto tempo, tem vigorado no Brasil. Para saber mais, acesse o site.

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1690947/INAC_Premio_Nao_Aceito_Corrup__o_2021.jpg

 

FONTE Instituto Não Aceito Corrupção

Você acabou de ler:

Instituto Não Aceito Corrupção premia iniciativas que priorizam o combate à prática no Brasil

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/instituto-nao-aceito-corrupcao-premia-iniciativas-que-priorizam-o-combate-a-pratica-no-brasil/