Investimento em África: União Europeia e Fundação Bill e Melinda Gates comprometem-se a investir mais 100 milhões de euros

BRUXELAS, 25 January 2018 / PRN Africa / -- A Fundação Bill e Melinda Gates anunciou hoje a sua intenção de contribuir para o Plano de Investimento Externo da UE.

A contribuição da Fundação Gates consistirá numa dotação de 50 milhões de dólares US (40,9 milhões de euros) e numa verba adicional de 12,5 milhões de dólares US (10,2 milhões de euros) para assistência técnica, destinados a financiar projetos de investimento no setor da saúde em África, no âmbito do quadro europeu de promoção de investimentos sustentáveis em África. Esta mutualização de recursos, que permitirá replicar mais rapidamente os projetos bem-sucedidos, visa incentivar os investimentos privados adicionais para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A Comissão Europeia acolhe com satisfação este forte apoio aos esforços que desenvolve em prol do desenvolvimento sustentável em África e anunciou uma contribuição adicional de 50 milhões de euros.

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, declarou: «Cerca de um terço do investimento direto estrangeiro em África provém da UE, o que está a ajudar a criar emprego e a estimular o crescimento nos dois continentes. No entanto, se queremos melhorar o clima empresarial e criar uma plataforma que ajude os empreendedores africanos a crescer, não podemos ficar por aqui. A participação do setor privado e das organizações filantrópicas é indispensável e, neste sentido, agradeço o precioso empenho da Fundação Bill e Melinda Gates. Trata-se de um investimento no nosso futuro comum. Com esta parceria, a Europa e a África apoiam-se e ajudam-se mutuamente a prosperar e a tornar o mundo num lugar mais seguro, mais estável e mais sustentável.»

Bill Gates declarou: «Ao melhorar as condições de saúde, abrimos caminho a uma sociedade mais próspera e mais produtiva. Desde 2000, a África subsariana tem feito grandes progressos neste domínio, mas é preciso intensificar os incentivos à investigação e à inovação em benefício dos mais pobres. Congratulamo-nos em verificar que em parceria com os países africanos, a Comissão Europeia lidera o combate às profundas desigualdades em matéria de saúde que subsistem a nível global. Através desta iniciativa, criaremos condições para que as pessoas e as comunidades possam sair da pobreza.»

Esta nova parceria no setor da saúde vem no seguimento de uma primeira iniciativa conjunta com a UE, anunciada em 12 de dezembro de 2017 na Cimeira do Planeta Único em Paris, que visa apoiar a criação de instrumentos e de técnicas em benefício dos pequenos agricultores nos países em desenvolvimento. Através desta iniciativa, a Comissão contribuirá com 270 milhões de euros e a Fundação Bill e Melinda Gates com 300 milhões de dólares US (244,7 milhões de euros) para financiar a investigação no domínio da agricultura, nomeadamente a fim de ajudar os agricultores mais pobres a adaptarem-se melhor às condições cada vez mais difíceis resultantes das alterações climáticas. França, Alemanha, Itália, Espanha e outros Estados-Membros da UE também participarão neste programa.

Contexto

A União Europeia e a África colaboram para enfrentar problemáticas comuns, desde o investimento na juventude, a promoção do desenvolvimento sustentável e o reforço da paz e da segurança até ao estímulo do investimento no continente africano, o apoio à boa governação e a uma melhor gestão do fenómeno migratório.

Adotado em setembro de 2017, o Plano de Investimento Externo da UE visa estimular o investimento em países parceiros de África e nos países abrangidos pela Vizinhança Europeia, nomeadamente através de uma nova garantia do Fundo Europeu para o Desenvolvimento Sustentável (FEDS) no valor de 1,5 mil milhões de euros.

Esta iniciativa ambiciosa apoia instrumentos financeiros inovadores tais como garantias em prol do investimento privado. Com um volume de 4,1 mil milhões de euros provenientes do orçamento da UE, permitirá mobilizar até 44 mil milhões de euros de investimentos privados até 2020. Esses investimentos contribuirão sobretudo para melhorar as infraestruturas sociais e económicas (por exemplo, infraestruturas municipais e serviços de proximidade), prestar apoio a pequenas e médias empresas e a projetos de microfinanciamento e de criação de emprego, principalmente destinados aos jovens.

Copyright União Europeia, 1995-2018

SOURCE Comissão europeia

BRUXELAS, 25 January 2018 / PRN Africa / -- A Fundação Bill e Melinda Gates anunciou hoje a sua intenção de contribuir para o Plano de Investimento Externo da UE.

A contribuição da Fundação Gates consistirá numa dotação de 50 milhões de dólares US (40,9 milhões de euros) e numa verba adicional de 12,5 milhões de dólares US (10,2 milhões de euros) para assistência técnica, destinados a financiar projetos de investimento no setor da saúde em África, no âmbito do quadro europeu de promoção de investimentos sustentáveis em África. Esta mutualização de recursos, que permitirá replicar mais rapidamente os projetos bem-sucedidos, visa incentivar os investimentos privados adicionais para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A Comissão Europeia acolhe com satisfação este forte apoio aos esforços que desenvolve em prol do desenvolvimento sustentável em África e anunciou uma contribuição adicional de 50 milhões de euros.

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, declarou: «Cerca de um terço do investimento direto estrangeiro em África provém da UE, o que está a ajudar a criar emprego e a estimular o crescimento nos dois continentes. No entanto, se queremos melhorar o clima empresarial e criar uma plataforma que ajude os empreendedores africanos a crescer, não podemos ficar por aqui. A participação do setor privado e das organizações filantrópicas é indispensável e, neste sentido, agradeço o precioso empenho da Fundação Bill e Melinda Gates. Trata-se de um investimento no nosso futuro comum. Com esta parceria, a Europa e a África apoiam-se e ajudam-se mutuamente a prosperar e a tornar o mundo num lugar mais seguro, mais estável e mais sustentável.»

Bill Gates declarou: «Ao melhorar as condições de saúde, abrimos caminho a uma sociedade mais próspera e mais produtiva. Desde 2000, a África subsariana tem feito grandes progressos neste domínio, mas é preciso intensificar os incentivos à investigação e à inovação em benefício dos mais pobres. Congratulamo-nos em verificar que em parceria com os países africanos, a Comissão Europeia lidera o combate às profundas desigualdades em matéria de saúde que subsistem a nível global. Através desta iniciativa, criaremos condições para que as pessoas e as comunidades possam sair da pobreza.»

Esta nova parceria no setor da saúde vem no seguimento de uma primeira iniciativa conjunta com a UE, anunciada em 12 de dezembro de 2017 na Cimeira do Planeta Único em Paris, que visa apoiar a criação de instrumentos e de técnicas em benefício dos pequenos agricultores nos países em desenvolvimento. Através desta iniciativa, a Comissão contribuirá com 270 milhões de euros e a Fundação Bill e Melinda Gates com 300 milhões de dólares US (244,7 milhões de euros) para financiar a investigação no domínio da agricultura, nomeadamente a fim de ajudar os agricultores mais pobres a adaptarem-se melhor às condições cada vez mais difíceis resultantes das alterações climáticas. França, Alemanha, Itália, Espanha e outros Estados-Membros da UE também participarão neste programa.

Contexto

A União Europeia e a África colaboram para enfrentar problemáticas comuns, desde o investimento na juventude, a promoção do desenvolvimento sustentável e o reforço da paz e da segurança até ao estímulo do investimento no continente africano, o apoio à boa governação e a uma melhor gestão do fenómeno migratório.

Adotado em setembro de 2017, o Plano de Investimento Externo da UE visa estimular o investimento em países parceiros de África e nos países abrangidos pela Vizinhança Europeia, nomeadamente através de uma nova garantia do Fundo Europeu para o Desenvolvimento Sustentável (FEDS) no valor de 1,5 mil milhões de euros.

Esta iniciativa ambiciosa apoia instrumentos financeiros inovadores tais como garantias em prol do investimento privado. Com um volume de 4,1 mil milhões de euros provenientes do orçamento da UE, permitirá mobilizar até 44 mil milhões de euros de investimentos privados até 2020. Esses investimentos contribuirão sobretudo para melhorar as infraestruturas sociais e económicas (por exemplo, infraestruturas municipais e serviços de proximidade), prestar apoio a pequenas e médias empresas e a projetos de microfinanciamento e de criação de emprego, principalmente destinados aos jovens.

Copyright União Europeia, 1995-2018

SOURCE Comissão europeia