JANOME - Vai passar, Janome já enfrentou pandemias

Janome relembra trajetória de superação para fomentar ações durante a pandemia do Coronavírus Empresa japonesa foi fundada logo após a pandemia de gripe espanhola e superou uma série de crises ao longo de 100 anos de históriaMedidas para combater o Coronavírus incluem maior prazo de entregas e reorganização do espaço de trabalho.

SÃO PAULO, 28 de abril de 2020 /PRNewswire/ -- A Janome do Brasil reafirma o compromisso com seus clientes e promove uma série de mudanças em suas operações durante a crise do coronavírus. O prazo de entrega das encomendas através do nosso site janome.com.br sofreu um acréscimo de até 3 (três) dias úteis, de acordo com comunicado de medidas preventivas enviado pelos Correios.

A Janome acredita que providências devem ser tomadas o mais rapidamente possível para que a pandemia seja controlada. A empresa apoia as medidas de segurança destacadas pelo Ministério da Saúde e pela OMS e reorganizou seu espaço de trabalho para torná-lo mais seguro à sua equipe, com práticas como manutenção de distância mínima em áreas de comum acesso, uso de álcool gel e equipes em home office.

Essa não é a primeira vez que a Janome passa por uma crise de proporções globais. Também não será a primeira que será superada. A centenária história da organização mostra que crises podem ser superadas quando há união, solidariedade e sacrifício, valores que a empresa convida seus clientes a compartilhar e que permeiam a pioneira trajetória da Janome no ramo das máquinas de costura.

Fundada em 1921 pelo Sr Yosaku Ose, a então PINE Sewing Machine foi a primeira empresa de máquinas de costura caseiras fundada no Japão. A inovadora tecnologia da bobina redonda e o design prático caiu como uma luva para a nova classe trabalhadora, resultado das mudanças na Restauração Meiji em 1868. Eles precisavam costurar as próprias roupas e viam na máquina mais leve e prática uma forma de ajudarem a si mesmos e aos próximos.

O Japão vivia um momento de totalitarismo político quando a primeira fábrica de produção em larga escala foi concluída em Koganei, Tóquio. As dificuldades experimentadas após a Grande Depressão, com diminuição de 50% nas exportações, desemprego nas cidades e queda do preço do arroz e da seda, foram superadas com um forte senso coletivo. Camponeses se ajudavam com refeições coletivas. Trabalhadores na cidade compartilhavam espaços públicos.

Mas a grande virada veio com a derrota na Segunda Guerra Mundial. Devastado, o país entrou em colapso. O Império foi dissolvido. O exército foi desmantelado. De 1945 a 1952, o Japão viveu um momento de incerteza e grandes ameaças materiais, como falta de água, comida e suprimentos; e ameaças psicológicas, com o temor de uma nova guerra e a perda de entes queridos. A reconstrução do país demoraria anos. Era preciso confiar no processo. Era preciso se doar hoje para colher amanhã. Poucas vezes na história houve uma mudança tão rápida de valores e costumes como a que o país experimentou naquela época.

A partir de 1954, o Japão viveu o chamado "milagre econômico" e se transformou na segunda maior economia do mundo. A Janome fez parte do movimento e integrou o keiretsu (colaboração entre bancos, fabricantes e distribuidores) e do shushin koyo (emprego vitalício) para se tornar a maior fabricante de máquinas de costura no Japão. Em 1960, a Janome adquire a "New England PINE Machine", que inspirou a criação anos antes. Em 1969, estabelece a fábrica em Taiwan, primeira fora do Japão. Em 1971, a Janome cria a primeira máquina de costura programável do planeta, e em 1979, lança a primeira programável para uso caseiro. Na década de 1970, a Janome se consolidou como a maior fabricante mundial de máquinas de costura doméstica e seus produtos são conhecidos de ponta a ponta no planeta.

A Janome acredita que a pandemia do Coronavírus será superada com os mesmos valores que a empresa viu nascer nos piores momentos da história do Japão. Da Restauração Meiji até as turbulências da Era Taishō; da devastação após a Segunda Guerra Mundial ao Milagre Econômico, o país se pautou num tripé de disciplina, sacrifício e responsabilidade para seguir em frente. A geração "dankai", nascida após a Segunda Guerra Mundial, coloca o coletivo acima do individual em todas as suas ações. Sabe que é preciso trabalhar e se esforçar no presente para colher um futuro melhor. Entende que períodos de turbulência devem ser tratados com calma, racionalidade e apoio na ciência. E aprecia o valor da coletividade e do papel de cada indivíduo num bem maior.

A peculiar organização social que fez do país uma potência é a mesma que o afasta de uma crise maior num momento que o mundo revê suas prioridades.

No dia 07 de abril, o primeiro-ministro Shinzo Abe declarou "estado de emergência" exatos 82 dias após o primeiro caso ser registrado no país. Em nenhum outro país esse período foi tão grande. Enquanto o mundo tomava medidas drásticas, o Japão contou com uma colaboração irrestrita da população, que diminuiu aglomerações, adotou o home office e fechou escolas e bares. Com uma das maiores densidades populacionais do mundo – 336 pessoas por km² - o Japão tem costumes que sabidamente evitam a proliferação de doenças, como o uso de máscaras, forte higiene pessoal e cumprimentos à distância.

A crise do Coronavírus passará. Quando? Ainda não se sabe. Mas ao seu término, o mundo terá uma oportunidade de rever suas prioridades. De revisitar seus conceitos. De repensar sua organização social, política e econômica. Uma grande crise pode ser também o começo de uma sociedade mais organizada e justa. Mais igualitária e feliz. Algo que a Janome viu acontecer bem de perto ao longo de seus 100 anos de história.

www.janome.com.br

FONTE Janome do Brasil

Janome relembra trajetória de superação para fomentar ações durante a pandemia do Coronavírus Empresa japonesa foi fundada logo após a pandemia de gripe espanhola e superou uma série de crises ao longo de 100 anos de históriaMedidas para combater o Coronavírus incluem maior prazo de entregas e reorganização do espaço de trabalho.

SÃO PAULO, 28 de abril de 2020 /PRNewswire/ -- A Janome do Brasil reafirma o compromisso com seus clientes e promove uma série de mudanças em suas operações durante a crise do coronavírus. O prazo de entrega das encomendas através do nosso site janome.com.br sofreu um acréscimo de até 3 (três) dias úteis, de acordo com comunicado de medidas preventivas enviado pelos Correios.

A Janome acredita que providências devem ser tomadas o mais rapidamente possível para que a pandemia seja controlada. A empresa apoia as medidas de segurança destacadas pelo Ministério da Saúde e pela OMS e reorganizou seu espaço de trabalho para torná-lo mais seguro à sua equipe, com práticas como manutenção de distância mínima em áreas de comum acesso, uso de álcool gel e equipes em home office.

Essa não é a primeira vez que a Janome passa por uma crise de proporções globais. Também não será a primeira que será superada. A centenária história da organização mostra que crises podem ser superadas quando há união, solidariedade e sacrifício, valores que a empresa convida seus clientes a compartilhar e que permeiam a pioneira trajetória da Janome no ramo das máquinas de costura.

Fundada em 1921 pelo Sr Yosaku Ose, a então PINE Sewing Machine foi a primeira empresa de máquinas de costura caseiras fundada no Japão. A inovadora tecnologia da bobina redonda e o design prático caiu como uma luva para a nova classe trabalhadora, resultado das mudanças na Restauração Meiji em 1868. Eles precisavam costurar as próprias roupas e viam na máquina mais leve e prática uma forma de ajudarem a si mesmos e aos próximos.

O Japão vivia um momento de totalitarismo político quando a primeira fábrica de produção em larga escala foi concluída em Koganei, Tóquio. As dificuldades experimentadas após a Grande Depressão, com diminuição de 50% nas exportações, desemprego nas cidades e queda do preço do arroz e da seda, foram superadas com um forte senso coletivo. Camponeses se ajudavam com refeições coletivas. Trabalhadores na cidade compartilhavam espaços públicos.

Mas a grande virada veio com a derrota na Segunda Guerra Mundial. Devastado, o país entrou em colapso. O Império foi dissolvido. O exército foi desmantelado. De 1945 a 1952, o Japão viveu um momento de incerteza e grandes ameaças materiais, como falta de água, comida e suprimentos; e ameaças psicológicas, com o temor de uma nova guerra e a perda de entes queridos. A reconstrução do país demoraria anos. Era preciso confiar no processo. Era preciso se doar hoje para colher amanhã. Poucas vezes na história houve uma mudança tão rápida de valores e costumes como a que o país experimentou naquela época.

A partir de 1954, o Japão viveu o chamado "milagre econômico" e se transformou na segunda maior economia do mundo. A Janome fez parte do movimento e integrou o keiretsu (colaboração entre bancos, fabricantes e distribuidores) e do shushin koyo (emprego vitalício) para se tornar a maior fabricante de máquinas de costura no Japão. Em 1960, a Janome adquire a "New England PINE Machine", que inspirou a criação anos antes. Em 1969, estabelece a fábrica em Taiwan, primeira fora do Japão. Em 1971, a Janome cria a primeira máquina de costura programável do planeta, e em 1979, lança a primeira programável para uso caseiro. Na década de 1970, a Janome se consolidou como a maior fabricante mundial de máquinas de costura doméstica e seus produtos são conhecidos de ponta a ponta no planeta.

A Janome acredita que a pandemia do Coronavírus será superada com os mesmos valores que a empresa viu nascer nos piores momentos da história do Japão. Da Restauração Meiji até as turbulências da Era Taishō; da devastação após a Segunda Guerra Mundial ao Milagre Econômico, o país se pautou num tripé de disciplina, sacrifício e responsabilidade para seguir em frente. A geração "dankai", nascida após a Segunda Guerra Mundial, coloca o coletivo acima do individual em todas as suas ações. Sabe que é preciso trabalhar e se esforçar no presente para colher um futuro melhor. Entende que períodos de turbulência devem ser tratados com calma, racionalidade e apoio na ciência. E aprecia o valor da coletividade e do papel de cada indivíduo num bem maior.

A peculiar organização social que fez do país uma potência é a mesma que o afasta de uma crise maior num momento que o mundo revê suas prioridades.

No dia 07 de abril, o primeiro-ministro Shinzo Abe declarou "estado de emergência" exatos 82 dias após o primeiro caso ser registrado no país. Em nenhum outro país esse período foi tão grande. Enquanto o mundo tomava medidas drásticas, o Japão contou com uma colaboração irrestrita da população, que diminuiu aglomerações, adotou o home office e fechou escolas e bares. Com uma das maiores densidades populacionais do mundo – 336 pessoas por km² - o Japão tem costumes que sabidamente evitam a proliferação de doenças, como o uso de máscaras, forte higiene pessoal e cumprimentos à distância.

A crise do Coronavírus passará. Quando? Ainda não se sabe. Mas ao seu término, o mundo terá uma oportunidade de rever suas prioridades. De revisitar seus conceitos. De repensar sua organização social, política e econômica. Uma grande crise pode ser também o começo de uma sociedade mais organizada e justa. Mais igualitária e feliz. Algo que a Janome viu acontecer bem de perto ao longo de seus 100 anos de história.

www.janome.com.br

FONTE Janome do Brasil