LAFIS: Inflação acelera em abril e distancia o índice acumulado de 12 meses da meta do Copom

SÃO PAULO, 10 de maio de 2019 /PRNewswire/ -- De acordo com a divulgação feita pelo IBGE, o IPCA variou 0,54% no mês de abril. Essa variação para o mês é a maior desde abril de 2016.

Neste sentido, o que se observou, foi uma aceleração da curva inflacionária acumulada em 12 meses (4,94%), atingindo um patamar acima do centro da meta estipulada pelo Banco Central (4,25% a.a).

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, apenas Artigos de Residência (-0,01%) apresentou deflação de março para abril.

Na parte das altas, o grupo Saúde e cuidados pessoais foi o que apresentou a maior variação (1,51%) e o maior impacto (0,18 p.p.). Dentro deste grupo, as principais altas foram ditadas pelos remédios (2,25%), refletindo o reajuste anual (em que o Governo autorizou reajuste até o limite de 4,33%), que passou a vigorar em abril; higiene pessoal (2,76%), com destaque para os perfumes (de 1,45% em março para 6,56% em abril) e plano de saúde (0,80%).

O segundo grupo que mais impactou foi Transportes (0,17 p.p.) no IPCA de abril. A gasolina foi o principal impacto individual no mês (2,66%), seguido por passagem aérea (5,32%) e ônibus urbano (0,74%).

Além destes pode-se destacar as altas de alimentação fora de domicílio (+0,64%), tomate (28,64%), frango inteiro (3,32%) e cebola (8,62%) foram alguns dos itens que mais influenciaram a elevação do grupo Alimentação e Bebidas, bem como as altas de energia elétrica (0,10%), taxa de água e esgoto (0,49%) e gás encanado (1,38%) que impactaram inflacionariamente o grupo Habitação.

Perspectivas: Os altos índices apresentados nos últimos dois meses (março e e abril), fizeram a Lafis ajustar  levemente suas projeções do IPCA para 2019, o qual deverá apresentar inflação de 4,76% ao fim do ano.

Especialista Responsável:

Felipe Souza: Economista Chefe. Mestre em Economia pela UNESP Araraquara. Iniciou as atividades na Lafis em 2010, onde é macroeconomista (ênfase em política monetária - inflação e juros), além de ser responsável pelo acompanhamento dos setor de transportes e indústria de base.

Mais Informações:

Lafis Consultoria – www.lafis.com.br

Caique Rocha – caique.rocha@lafis.com.br

(11) 3257-2952

FONTE Lafis

SÃO PAULO, 10 de maio de 2019 /PRNewswire/ -- De acordo com a divulgação feita pelo IBGE, o IPCA variou 0,54% no mês de abril. Essa variação para o mês é a maior desde abril de 2016.

Neste sentido, o que se observou, foi uma aceleração da curva inflacionária acumulada em 12 meses (4,94%), atingindo um patamar acima do centro da meta estipulada pelo Banco Central (4,25% a.a).

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, apenas Artigos de Residência (-0,01%) apresentou deflação de março para abril.

Na parte das altas, o grupo Saúde e cuidados pessoais foi o que apresentou a maior variação (1,51%) e o maior impacto (0,18 p.p.). Dentro deste grupo, as principais altas foram ditadas pelos remédios (2,25%), refletindo o reajuste anual (em que o Governo autorizou reajuste até o limite de 4,33%), que passou a vigorar em abril; higiene pessoal (2,76%), com destaque para os perfumes (de 1,45% em março para 6,56% em abril) e plano de saúde (0,80%).

O segundo grupo que mais impactou foi Transportes (0,17 p.p.) no IPCA de abril. A gasolina foi o principal impacto individual no mês (2,66%), seguido por passagem aérea (5,32%) e ônibus urbano (0,74%).

Além destes pode-se destacar as altas de alimentação fora de domicílio (+0,64%), tomate (28,64%), frango inteiro (3,32%) e cebola (8,62%) foram alguns dos itens que mais influenciaram a elevação do grupo Alimentação e Bebidas, bem como as altas de energia elétrica (0,10%), taxa de água e esgoto (0,49%) e gás encanado (1,38%) que impactaram inflacionariamente o grupo Habitação.

Perspectivas: Os altos índices apresentados nos últimos dois meses (março e e abril), fizeram a Lafis ajustar  levemente suas projeções do IPCA para 2019, o qual deverá apresentar inflação de 4,76% ao fim do ano.

Especialista Responsável:

Felipe Souza: Economista Chefe. Mestre em Economia pela UNESP Araraquara. Iniciou as atividades na Lafis em 2010, onde é macroeconomista (ênfase em política monetária - inflação e juros), além de ser responsável pelo acompanhamento dos setor de transportes e indústria de base.

Mais Informações:

Lafis Consultoria – www.lafis.com.br

Caique Rocha – caique.rocha@lafis.com.br

(11) 3257-2952

FONTE Lafis