LAFIS: Setor de serviços recua novamente em fevereiro e perde ganho observado dezembro de 2018

SÃO PAULO, 18 de abril de 2019 /PRNewswire/ -- De acordo com os dados divulgados pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), o faturamento nominal do setor de shopping centers no Brasil cresceu 6,5% em 2018 frente ao ano anterior, alcançando R$ 178,7 bilhões. Apesar do número de empreendimentos ter passado de 571, em 2017, para 563 unidades em 2018, a Área Bruta Locável (ABL) cresceu 4,8%, com 16,3 milhões m², reforçando a estratégia das administradoras em modernizar e expandir os espaços já existentes a fim de melhor aproveitá-los e aumentar a variedade de serviços prestados.

Conforme comentado anteriormente, dentre as cinco atividades contempladas pela pesquisa, três apresentaram recuo mensal na série ajustada, sendo elas "Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio" (-2,6%), "Outros serviços" (-3,8%) e "Serviços prestados às famílias" (-1,1%). Já "Serviços de informação e comunicação" (0,8%) foi a única atividade que avançou no mês de fevereiro, uma vez que "Serviços profissionais, administrativos e complementares" (0,0%) permaneceu estável.

No que diz respeito à comparação com o mesmo período do ano anterior, a decomposição do resultado mostra que todas as cinco atividades avaliadas registraram altas, o que não acontecia desde dezembro de 2012 e que representa 53,6% das 166 atividades contempladas na pesquisa, sendo elas: "Serviços de informação e comunicação" (6,2%), "Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio" (2,4%), "Serviços prestados às famílias" (4,3%), "Outros serviços" (5,0%) e "Serviços profissionais, administrativos e complementares" (1,6%).

Apesar do desempenho negativo na análise da variação mensal, influenciado principalmente pela pressão dos setores de transporte aéreo de passageiros, atividades imobiliárias e financeiras auxiliares (como bolsa de valores), e restaurantes e hotéis, o resultado foi favorecido por uma questão sazonal. Isto porque, com o carnaval comemorado no dia 5 de março de 2019, o mês de fevereiro desde ano obteve dois dias úteis a mais que o mesmo período do ano anterior, o que propiciou a realização de um maior número de contratos de prestação de serviços.

Porém, cabe destacar também que os recuos acumulados no ano, e que eliminaram os ganhos referentes a dezembro de 2018, mostram uma oscilação do crescimento do setor de serviços no país, mantendo-se em um patamar 11,4% abaixo do nível recorde já observado na série histórica. Ou seja, não se observou ainda uma recuperação e um crescimento consistentes do setor.

No que diz respeito à variação da receita nominal dos serviços, em fevereiro, esta recuou 0,4% em relação a janeiro de 2019, e, em comparação com fevereiro de 2018, a variação foi positiva em 6,5%. A taxa acumulada nos últimos 12 meses manteve-se positiva, alcançando um crescimento igual a 3,6%.

Especialista Responsável: Fernanda Rodrigues

Fernanda Rodrigues - Graduada em Ciências Econômicas e mestre em Economia Aplicada, ambos pela Universidade Federal de São Carlos, atua como Especialista Setorial em Serviços ao Consumidor, canalizando esforços para o desenvolvimento e processamento de pesquisas quantitativas/qualitativas relacionadas aos mais variados tipos de serviços - comércio varejista geral, bancos, sistemas de saúde, e-business, entre outros.

Mais Informações:

Lafis Consultoria – www.lafis.com.br

Caique Rocha – caique.rocha@lafis.com.br

(11) 3257-2952

FONTE Lafis

SÃO PAULO, 18 de abril de 2019 /PRNewswire/ -- De acordo com os dados divulgados pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), o faturamento nominal do setor de shopping centers no Brasil cresceu 6,5% em 2018 frente ao ano anterior, alcançando R$ 178,7 bilhões. Apesar do número de empreendimentos ter passado de 571, em 2017, para 563 unidades em 2018, a Área Bruta Locável (ABL) cresceu 4,8%, com 16,3 milhões m², reforçando a estratégia das administradoras em modernizar e expandir os espaços já existentes a fim de melhor aproveitá-los e aumentar a variedade de serviços prestados.

Conforme comentado anteriormente, dentre as cinco atividades contempladas pela pesquisa, três apresentaram recuo mensal na série ajustada, sendo elas "Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio" (-2,6%), "Outros serviços" (-3,8%) e "Serviços prestados às famílias" (-1,1%). Já "Serviços de informação e comunicação" (0,8%) foi a única atividade que avançou no mês de fevereiro, uma vez que "Serviços profissionais, administrativos e complementares" (0,0%) permaneceu estável.

No que diz respeito à comparação com o mesmo período do ano anterior, a decomposição do resultado mostra que todas as cinco atividades avaliadas registraram altas, o que não acontecia desde dezembro de 2012 e que representa 53,6% das 166 atividades contempladas na pesquisa, sendo elas: "Serviços de informação e comunicação" (6,2%), "Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio" (2,4%), "Serviços prestados às famílias" (4,3%), "Outros serviços" (5,0%) e "Serviços profissionais, administrativos e complementares" (1,6%).

Apesar do desempenho negativo na análise da variação mensal, influenciado principalmente pela pressão dos setores de transporte aéreo de passageiros, atividades imobiliárias e financeiras auxiliares (como bolsa de valores), e restaurantes e hotéis, o resultado foi favorecido por uma questão sazonal. Isto porque, com o carnaval comemorado no dia 5 de março de 2019, o mês de fevereiro desde ano obteve dois dias úteis a mais que o mesmo período do ano anterior, o que propiciou a realização de um maior número de contratos de prestação de serviços.

Porém, cabe destacar também que os recuos acumulados no ano, e que eliminaram os ganhos referentes a dezembro de 2018, mostram uma oscilação do crescimento do setor de serviços no país, mantendo-se em um patamar 11,4% abaixo do nível recorde já observado na série histórica. Ou seja, não se observou ainda uma recuperação e um crescimento consistentes do setor.

No que diz respeito à variação da receita nominal dos serviços, em fevereiro, esta recuou 0,4% em relação a janeiro de 2019, e, em comparação com fevereiro de 2018, a variação foi positiva em 6,5%. A taxa acumulada nos últimos 12 meses manteve-se positiva, alcançando um crescimento igual a 3,6%.

Especialista Responsável: Fernanda Rodrigues

Fernanda Rodrigues - Graduada em Ciências Econômicas e mestre em Economia Aplicada, ambos pela Universidade Federal de São Carlos, atua como Especialista Setorial em Serviços ao Consumidor, canalizando esforços para o desenvolvimento e processamento de pesquisas quantitativas/qualitativas relacionadas aos mais variados tipos de serviços - comércio varejista geral, bancos, sistemas de saúde, e-business, entre outros.

Mais Informações:

Lafis Consultoria – www.lafis.com.br

Caique Rocha – caique.rocha@lafis.com.br

(11) 3257-2952

FONTE Lafis