Motoristas de aplicativo incrementam renda com espaço publicitário urbano móvel

Startup cria conceito de mídia geolocalizada para ser exibida de dentro do carro; empresa já recebeu investimentos da ordem de R$ 4 milhões e pretende faturar R$ 2 milhões este ano

SÃO PAULO, 7 de agosto de 2020 /PRNewswire/ -- Cerca de 4 mil motoristas de aplicativos atuantes nas principais cidades do País vem funcionando como mobiliário urbano móvel, levando mensagens publicitária de diferentes anunciantes. Este novo conceito de espaço comercial é uma criação da Ad-ooh, startup que desenvolveu uma inteligência para cruzar dados relevantes de pessoas que circulam em determinada região com informações de consumo, utilizando a geolocalização e mídia programática.

A iniciativa, que já recebeu investimentos da ordem de R$ 4 milhões, teve início em 2020, antes da pandemia. Com o surto do coronavírus e a necessidade dos trabalhadores autônomos incrementarem suas rendas, o negócio encontrou terreno fértil para crescer. "Trata-se de um formato de anúncio dinâmico e inovador, que chegou em um momento oportuno. Graças a ele, estamos ajudando a distribuir renda a um dos setores mais afetados pela crise", afirma Fabiano Funari Filho, sócio-fundador da empresa.

Ele explica que os anúncios são exibidos em uma tela instalada no carro do motorista, voltada para o exterior do veículo. O equipamento é instalado pela própria Ad-ooh e o profissional recebe repasses de acordo com o quilômetro rodado. Funari ressalta que não há nenhuma burocracia para que o motorista faça a adesão: basta preencher um formulário o site da empresa (https://www.cadastroad-ooh.com/) e agendar a instalação.

De acordo com o profissional, os repasses variam de acordo com tempo, hora e região na qual o motorista circula com a tela. "Nas regiões mais nobres, os ganhos podem chegar a R$1.500", esclarece. Para o trabalhador, não há nenhum custo adicional.

Dos 4 mil motoristas, 2 mil estão concentrados na Grande São Paulo; a ideia é aumentar em 150% o número de carros no inventário. Já sobre os clientes, a meta é atingir a marca de 60 anunciantes até o fim do ano – hoje, eles somam sete. Segundo Funari, a expectativa é atingir R$ 2 milhões de faturamento até o final de 2020.

"Apesar do momento difícil pelo qual passa a economia, os anunciantes têm admirado a inovação e investido nesta nova modalidade de divulgação. Estamos otimistas, sobretudo por causa do excelente desempenho do negócio até aqui", finaliza o fundador.

 

FONTE Ad-OOH

Startup cria conceito de mídia geolocalizada para ser exibida de dentro do carro; empresa já recebeu investimentos da ordem de R$ 4 milhões e pretende faturar R$ 2 milhões este ano

SÃO PAULO, 7 de agosto de 2020 /PRNewswire/ -- Cerca de 4 mil motoristas de aplicativos atuantes nas principais cidades do País vem funcionando como mobiliário urbano móvel, levando mensagens publicitária de diferentes anunciantes. Este novo conceito de espaço comercial é uma criação da Ad-ooh, startup que desenvolveu uma inteligência para cruzar dados relevantes de pessoas que circulam em determinada região com informações de consumo, utilizando a geolocalização e mídia programática.

A iniciativa, que já recebeu investimentos da ordem de R$ 4 milhões, teve início em 2020, antes da pandemia. Com o surto do coronavírus e a necessidade dos trabalhadores autônomos incrementarem suas rendas, o negócio encontrou terreno fértil para crescer. "Trata-se de um formato de anúncio dinâmico e inovador, que chegou em um momento oportuno. Graças a ele, estamos ajudando a distribuir renda a um dos setores mais afetados pela crise", afirma Fabiano Funari Filho, sócio-fundador da empresa.

Ele explica que os anúncios são exibidos em uma tela instalada no carro do motorista, voltada para o exterior do veículo. O equipamento é instalado pela própria Ad-ooh e o profissional recebe repasses de acordo com o quilômetro rodado. Funari ressalta que não há nenhuma burocracia para que o motorista faça a adesão: basta preencher um formulário o site da empresa (https://www.cadastroad-ooh.com/) e agendar a instalação.

De acordo com o profissional, os repasses variam de acordo com tempo, hora e região na qual o motorista circula com a tela. "Nas regiões mais nobres, os ganhos podem chegar a R$1.500", esclarece. Para o trabalhador, não há nenhum custo adicional.

Dos 4 mil motoristas, 2 mil estão concentrados na Grande São Paulo; a ideia é aumentar em 150% o número de carros no inventário. Já sobre os clientes, a meta é atingir a marca de 60 anunciantes até o fim do ano – hoje, eles somam sete. Segundo Funari, a expectativa é atingir R$ 2 milhões de faturamento até o final de 2020.

"Apesar do momento difícil pelo qual passa a economia, os anunciantes têm admirado a inovação e investido nesta nova modalidade de divulgação. Estamos otimistas, sobretudo por causa do excelente desempenho do negócio até aqui", finaliza o fundador.

 

FONTE Ad-OOH