Na COP26, as ameaças climáticas aos pequenos agricultores impulsionam novos investimentos do CGIAR em pesquisa, pressionando os compromissos de 2021 para cerca de US$1 bilhão

Investimentos para a adaptação são urgentemente necessários para regiões dependentes da agricultura, como a África, que fizeram o mínimo para provocar a crise climática, mas que são as que mais sofrem

GLASGOW, Escócia, 17 de novembro de 2021 /PRNewswire/ -- Diante de evidências crescentes de que as mudanças climáticas afetarão mais fortemente as regiões dependentes da agricultura como a África Subsaariana, uma coalizão de investidores na cúpula das Nações Unidas sobre o clima prometeu hoje US$ 575 milhões para fornecer soluções climáticas inteligentes aos agricultores de países de baixa renda por meio da rede global CGIAR (Conselho de Pesquisa Agrícola Internacional) de parcerias de pesquisa agrícola. Somados aos US$ 256 milhões recentemente prometidos no evento Global Citizen Live, e outros compromissos da Suécia e da Bélgica, o CGIAR garantiu agora US$ 863 milhões este ano para enfrentar uma série de desafios climáticos que se intensificam rapidamente e que podem acabar com a luta global contra a fome e a pobreza.

Há também o potencial para que investimentos adicionais significativos no CGIAR surjam no final desta semana na COP26.

"Este aumento crítico de investimento é um pagamento bem-vindo para acelerar os esforços de adaptação climática do CGIAR que já estão proporcionando a milhões de agricultores inovações como variedades de plantações tolerantes ao estresse e novas estratégias para restaurar terras degradadas", disse Kundhavi Kadiresan, diretor administrativo, engajamento global e inovação do CGIAR. "Temos um profundo entendimento das muitas maneiras como as mudanças climáticas estão afetando a produção de alimentos em regiões de rápido crescimento como a África Subsaariana e o Sul da Ásia e um compromisso com a construção de resiliência por meio de soluções integradas e ambientalmente sustentáveis que reequilibram a relação da agricultura com a natureza."  

O CGIAR é a maior parceria de pesquisa do setor público mundial que atende às necessidades de mais de 500 milhões de pequenos agricultores responsáveis por alimentar bilhões de pessoas na África, Ásia e América Latina. O efeito das mudanças climáticas em plantações, peixes e gado é um fator-chave por trás de um aumento constante na fome que está erodindo anos de progresso.

A trajetória da ameaça climática é particularmente assustadora na África Subsaariana, onde a maioria das pessoas trabalha na agricultura e os impactos na produção de alimentos são uma das principais razões pelas quais as mudanças climáticas podem custar aos países africanos até 15% de seu PIB até 2030. Há também receios de que, na ausência de esforços agressivos para ajudar os agricultores a se adaptarem, os impactos climáticos na agricultura em regiões que já sofrem altas taxas de  pobreza e desnutrição tornarão impossível atingir os objetivos de desenvolvimento sustentável global (ODSs), prometendo fome zero e um fim à pobreza extrema até 2030.

No anúncio de financiamento de hoje, a Fundação Bill & Melinda Gates prometeu US$ 315 milhões nos próximos três anos para apoiar o trabalho do CGIAR relacionado ao clima. Metade do investimento de US$ 315 milhões da Fundação Gates apoiará as iniciativas de adaptação climática empreendidas por meio da nova carteira do CGIAR, que está racionalizando parcerias, conhecimentos e ativos do CGIAR para acelerar o ritmo de inovação que se estende aos pequenos agricultores.

Além disso, a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) prometeu US$ 215 milhões nos próximos cinco anos e a do Canadá (Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional) US$ 45 milhões.

Eles se juntaram a outros financiadores que também se comprometeram a apoiar a estratégia de pesquisa e inovação do CGIAR para 2022 em diante. A Suécia prometeu US$ 18 milhões e a Bélgica, observando que deseja continuar sua sólida parceria com o CGIAR, propôs planos para lançar um adicional de US$ 14 milhões , que ainda aguarda a aprovação do orçamento de 2022 por seu parlamento federal. 

Os investimentos anunciados hoje complementam os US$ 256 milhões prometidos ao CGIAR pela Comissão Europeia, Holanda e Bélgica no evento Global Citizen Live realizado em setembro. Esse compromisso incluiu US$ 162,4 milhões da Comissão Europeia; US$ 87 milhões da Holanda; e US$ 7 milhões da Bélgica.

"Os impactos climáticos na produção de alimentos são uma ameaça existencial para várias centenas de milhões de pessoas que dependem da agricultura para o sustento de suas famílias", disse Bill Gates, copresidente da Fundação Bill & Melinda Gates. "O CGIAR vem oferecendo soluções de alto impacto para pequenos agricultores há meio século e estou confiante de que eles podem liderar um esforço global para desenvolver as inovações necessárias para se adaptar a um clima em mudança."

"Como um dos doadores fundadores do CGIAR, a USAID tem orgulho de continuar nossa parceria de longa data ao comprometer pelo menos US$ 215 milhões ao longo de cinco anos para a pesquisa e inovação de agricultura crítica do CGIAR", disse o Dr. Jim Barnhart, assistente do administrador do Escritório para a Resiliência e a Segurança Alimentar da USAID. "As mudanças climáticas estão ameaçando a vida e os meios de subsistência de famílias e comunidades, particularmente nos países menos desenvolvidos. Esse financiamento contribuirá para aumentar a produtividade agrícola para 200 milhões de pessoas no Sul da Ásia e na África Subsaariana em 25% até 2030. O CGIAR é um parceiro importante em nosso trabalho para construir um futuro seguro para os alimentos e resiliente ao clima."

"Por 50 anos, o CGIAR desenvolveu pesquisas e inovações críticas para enfrentar a fome", disse o Honorável Harjit S. Sajjan, Ministro do Desenvolvimento Internacional e Ministro responsável pela Agência de Desenvolvimento Econômico do Pacífico do Canadá. "O Canadá é um parceiro desde o início porque acreditamos que a pesquisa científica e a inovação são necessárias para tornar os sistemas de alimentos, terras e água mais sustentáveis, equitativos e eficientes. Hoje, temos o prazer de apoiar ainda mais o trabalho do CGIAR, contribuindo com CAD 55 milhões ao longo de três anos para ajudar a acabar com a fome e construir sistemas alimentares inteligentes e sustentáveis para o clima e colocar a igualdade de gênero na vanguarda da pesquisa agrícola global para o desenvolvimento."

Os novos investimentos estão sendo desenvolvidos em uma base já sólida de trabalho climático apoiado pelo CGIAR. Por exemplo, nos últimos anos, as parcerias do CGIAR forneceram 200 variedades de milho resistente ao clima para cerca de oito milhões de famílias agrícolas e novas variedades de arroz resistente a inundações e ao sal para cerca de 18 milhões de agricultores. O CGIAR também está liderando esforços para integrar uma série de práticas de produção de alimentos inteligentes em uma rede devilas e vales inteligentes na África, Ásia e América Latina que são o lar de milhões de famílias de agricultores. Além disso, o trabalho pioneiro do CGIAR sobre a produção de alimentos com baixa emissão e alta nutrição , como a aquicultura está abrindo novos caminhos sustentáveis para melhorar as dietas e a renda nas comunidades rurais.  

A busca da COP26 para garantir mais suporte para os pequenos agricultores está recebendo um aumento significativo com o lançamento da nova Missão de Inovação Agrícola para o Clima ou AIM4C. A coalizão, que agora inclui mais de 30 países, foi formada pelos Estados Unidos e os Emirados Árabes Unidos para gerar um novo financiamento para pesquisas agrícolas básicas, parcerias internacionais e sistemas nacionais de pesquisa agrícola em países de baixa renda. Um foco importante do AIM4C é aumentar significativamente os investimentos em "sprints de inovação" – projetos preparados para transformar novos investimentos em impacto imediato para pequenos agricultores.  

Um impulso para inovação de US$ 40 milhões liderado pelo CGIAR, em parceria com a Fundação para Pesquisa em Alimentos e Agricultura (FFAR) e a Fundação Gates, viabilizará os principais aspectos de resistência ao clima das vastas coleções globais de diversidade de plantações do CGIAR. Este sprint fornecerá aos cultivadores as matérias-primas necessárias para fornecer aos agricultores uma ampla gama de variedades de safras inteligentes do ponto de vista climático.

"A urgência é evidente: se a comunidade global está realmente comprometida em acabar com a fome e a pobreza, então ela deve agir agora para apoiar as comunidades de pequenos agricultores que já estão sendo duramente atingidas pelas mudanças climáticas", disse Claudia Sadoff, Convener da Equipe de Gestão Executiva e Diretora Gerente de Pesquisa de Entrega e Impacto do CGIAR. "Existem muitas inovações interessantes disponíveis.  Mas mesmo com os anúncios de hoje, ainda há uma grande lacuna entre a magnitude da ameaça climática aos pequenos agricultores e os investimentos necessários para ajudá-los a se adaptar."   

Sadoff observou que investir em adaptação também é uma "oportunidade histórica de implementar abordagens positivas da natureza para a produção de alimentos em alguns dos ecossistemas mais valiosos e vulneráveis do mundo."

"A adaptação na agricultura significa seguir um caminho mais ecológico", disse ela. "Isso inclui oferecer tecnologias que ajudem os agricultores a cultivar mais alimentos com menos água e revitalizar paisagens degradadas por meio de estratégias holísticas que suportam a produção de alimentos e os serviços ambientais."

Notas ao editor: 

Sobre o CGIAR 

O CGIAR é uma parceria global de pesquisa para um futuro seguro para alimentos. A ciência do CGIAR é dedicada a transformar os sistemas de alimentos, terra e água no contexto de uma crise climática. Sua pesquisa é realizada por 13 Centros/Alianças do CGIAR em estreita colaboração com centenas de parceiros, incluindo institutos de pesquisa nacionais e regionais, organizações da sociedade civil, acadêmicos, organizações de desenvolvimento e o setor privado. www.cgiar.org

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1677024/COP26.jpg

 

 

FONTE CGIAR

Investimentos para a adaptação são urgentemente necessários para regiões dependentes da agricultura, como a África, que fizeram o mínimo para provocar a crise climática, mas que são as que mais sofrem

GLASGOW, Escócia, 17 de novembro de 2021 /PRNewswire/ -- Diante de evidências crescentes de que as mudanças climáticas afetarão mais fortemente as regiões dependentes da agricultura como a África Subsaariana, uma coalizão de investidores na cúpula das Nações Unidas sobre o clima prometeu hoje US$ 575 milhões para fornecer soluções climáticas inteligentes aos agricultores de países de baixa renda por meio da rede global CGIAR (Conselho de Pesquisa Agrícola Internacional) de parcerias de pesquisa agrícola. Somados aos US$ 256 milhões recentemente prometidos no evento Global Citizen Live, e outros compromissos da Suécia e da Bélgica, o CGIAR garantiu agora US$ 863 milhões este ano para enfrentar uma série de desafios climáticos que se intensificam rapidamente e que podem acabar com a luta global contra a fome e a pobreza.

Há também o potencial para que investimentos adicionais significativos no CGIAR surjam no final desta semana na COP26.

"Este aumento crítico de investimento é um pagamento bem-vindo para acelerar os esforços de adaptação climática do CGIAR que já estão proporcionando a milhões de agricultores inovações como variedades de plantações tolerantes ao estresse e novas estratégias para restaurar terras degradadas", disse Kundhavi Kadiresan, diretor administrativo, engajamento global e inovação do CGIAR. "Temos um profundo entendimento das muitas maneiras como as mudanças climáticas estão afetando a produção de alimentos em regiões de rápido crescimento como a África Subsaariana e o Sul da Ásia e um compromisso com a construção de resiliência por meio de soluções integradas e ambientalmente sustentáveis que reequilibram a relação da agricultura com a natureza."  

O CGIAR é a maior parceria de pesquisa do setor público mundial que atende às necessidades de mais de 500 milhões de pequenos agricultores responsáveis por alimentar bilhões de pessoas na África, Ásia e América Latina. O efeito das mudanças climáticas em plantações, peixes e gado é um fator-chave por trás de um aumento constante na fome que está erodindo anos de progresso.

A trajetória da ameaça climática é particularmente assustadora na África Subsaariana, onde a maioria das pessoas trabalha na agricultura e os impactos na produção de alimentos são uma das principais razões pelas quais as mudanças climáticas podem custar aos países africanos até 15% de seu PIB até 2030. Há também receios de que, na ausência de esforços agressivos para ajudar os agricultores a se adaptarem, os impactos climáticos na agricultura em regiões que já sofrem altas taxas de  pobreza e desnutrição tornarão impossível atingir os objetivos de desenvolvimento sustentável global (ODSs), prometendo fome zero e um fim à pobreza extrema até 2030.

No anúncio de financiamento de hoje, a Fundação Bill & Melinda Gates prometeu US$ 315 milhões nos próximos três anos para apoiar o trabalho do CGIAR relacionado ao clima. Metade do investimento de US$ 315 milhões da Fundação Gates apoiará as iniciativas de adaptação climática empreendidas por meio da nova carteira do CGIAR, que está racionalizando parcerias, conhecimentos e ativos do CGIAR para acelerar o ritmo de inovação que se estende aos pequenos agricultores.

Além disso, a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) prometeu US$ 215 milhões nos próximos cinco anos e a do Canadá (Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional) US$ 45 milhões.

Eles se juntaram a outros financiadores que também se comprometeram a apoiar a estratégia de pesquisa e inovação do CGIAR para 2022 em diante. A Suécia prometeu US$ 18 milhões e a Bélgica, observando que deseja continuar sua sólida parceria com o CGIAR, propôs planos para lançar um adicional de US$ 14 milhões , que ainda aguarda a aprovação do orçamento de 2022 por seu parlamento federal. 

Os investimentos anunciados hoje complementam os US$ 256 milhões prometidos ao CGIAR pela Comissão Europeia, Holanda e Bélgica no evento Global Citizen Live realizado em setembro. Esse compromisso incluiu US$ 162,4 milhões da Comissão Europeia; US$ 87 milhões da Holanda; e US$ 7 milhões da Bélgica.

"Os impactos climáticos na produção de alimentos são uma ameaça existencial para várias centenas de milhões de pessoas que dependem da agricultura para o sustento de suas famílias", disse Bill Gates, copresidente da Fundação Bill & Melinda Gates. "O CGIAR vem oferecendo soluções de alto impacto para pequenos agricultores há meio século e estou confiante de que eles podem liderar um esforço global para desenvolver as inovações necessárias para se adaptar a um clima em mudança."

"Como um dos doadores fundadores do CGIAR, a USAID tem orgulho de continuar nossa parceria de longa data ao comprometer pelo menos US$ 215 milhões ao longo de cinco anos para a pesquisa e inovação de agricultura crítica do CGIAR", disse o Dr. Jim Barnhart, assistente do administrador do Escritório para a Resiliência e a Segurança Alimentar da USAID. "As mudanças climáticas estão ameaçando a vida e os meios de subsistência de famílias e comunidades, particularmente nos países menos desenvolvidos. Esse financiamento contribuirá para aumentar a produtividade agrícola para 200 milhões de pessoas no Sul da Ásia e na África Subsaariana em 25% até 2030. O CGIAR é um parceiro importante em nosso trabalho para construir um futuro seguro para os alimentos e resiliente ao clima."

"Por 50 anos, o CGIAR desenvolveu pesquisas e inovações críticas para enfrentar a fome", disse o Honorável Harjit S. Sajjan, Ministro do Desenvolvimento Internacional e Ministro responsável pela Agência de Desenvolvimento Econômico do Pacífico do Canadá. "O Canadá é um parceiro desde o início porque acreditamos que a pesquisa científica e a inovação são necessárias para tornar os sistemas de alimentos, terras e água mais sustentáveis, equitativos e eficientes. Hoje, temos o prazer de apoiar ainda mais o trabalho do CGIAR, contribuindo com CAD 55 milhões ao longo de três anos para ajudar a acabar com a fome e construir sistemas alimentares inteligentes e sustentáveis para o clima e colocar a igualdade de gênero na vanguarda da pesquisa agrícola global para o desenvolvimento."

Os novos investimentos estão sendo desenvolvidos em uma base já sólida de trabalho climático apoiado pelo CGIAR. Por exemplo, nos últimos anos, as parcerias do CGIAR forneceram 200 variedades de milho resistente ao clima para cerca de oito milhões de famílias agrícolas e novas variedades de arroz resistente a inundações e ao sal para cerca de 18 milhões de agricultores. O CGIAR também está liderando esforços para integrar uma série de práticas de produção de alimentos inteligentes em uma rede devilas e vales inteligentes na África, Ásia e América Latina que são o lar de milhões de famílias de agricultores. Além disso, o trabalho pioneiro do CGIAR sobre a produção de alimentos com baixa emissão e alta nutrição , como a aquicultura está abrindo novos caminhos sustentáveis para melhorar as dietas e a renda nas comunidades rurais.  

A busca da COP26 para garantir mais suporte para os pequenos agricultores está recebendo um aumento significativo com o lançamento da nova Missão de Inovação Agrícola para o Clima ou AIM4C. A coalizão, que agora inclui mais de 30 países, foi formada pelos Estados Unidos e os Emirados Árabes Unidos para gerar um novo financiamento para pesquisas agrícolas básicas, parcerias internacionais e sistemas nacionais de pesquisa agrícola em países de baixa renda. Um foco importante do AIM4C é aumentar significativamente os investimentos em "sprints de inovação" – projetos preparados para transformar novos investimentos em impacto imediato para pequenos agricultores.  

Um impulso para inovação de US$ 40 milhões liderado pelo CGIAR, em parceria com a Fundação para Pesquisa em Alimentos e Agricultura (FFAR) e a Fundação Gates, viabilizará os principais aspectos de resistência ao clima das vastas coleções globais de diversidade de plantações do CGIAR. Este sprint fornecerá aos cultivadores as matérias-primas necessárias para fornecer aos agricultores uma ampla gama de variedades de safras inteligentes do ponto de vista climático.

"A urgência é evidente: se a comunidade global está realmente comprometida em acabar com a fome e a pobreza, então ela deve agir agora para apoiar as comunidades de pequenos agricultores que já estão sendo duramente atingidas pelas mudanças climáticas", disse Claudia Sadoff, Convener da Equipe de Gestão Executiva e Diretora Gerente de Pesquisa de Entrega e Impacto do CGIAR. "Existem muitas inovações interessantes disponíveis.  Mas mesmo com os anúncios de hoje, ainda há uma grande lacuna entre a magnitude da ameaça climática aos pequenos agricultores e os investimentos necessários para ajudá-los a se adaptar."   

Sadoff observou que investir em adaptação também é uma "oportunidade histórica de implementar abordagens positivas da natureza para a produção de alimentos em alguns dos ecossistemas mais valiosos e vulneráveis do mundo."

"A adaptação na agricultura significa seguir um caminho mais ecológico", disse ela. "Isso inclui oferecer tecnologias que ajudem os agricultores a cultivar mais alimentos com menos água e revitalizar paisagens degradadas por meio de estratégias holísticas que suportam a produção de alimentos e os serviços ambientais."

Notas ao editor: 

Sobre o CGIAR 

O CGIAR é uma parceria global de pesquisa para um futuro seguro para alimentos. A ciência do CGIAR é dedicada a transformar os sistemas de alimentos, terra e água no contexto de uma crise climática. Sua pesquisa é realizada por 13 Centros/Alianças do CGIAR em estreita colaboração com centenas de parceiros, incluindo institutos de pesquisa nacionais e regionais, organizações da sociedade civil, acadêmicos, organizações de desenvolvimento e o setor privado. www.cgiar.org

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1677024/COP26.jpg

 

 

FONTE CGIAR

Você acabou de ler:

Na COP26, as ameaças climáticas aos pequenos agricultores impulsionam novos investimentos do CGIAR em pesquisa, pressionando os compromissos de 2021 para cerca de US$1 bilhão

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/na-cop26-as-ameacas-climaticas-aos-pequenos-agricultores-impulsionam-novos-investimentos-do-cgiar-em-pesquisa-pressionando-os-compromissos-de-2021-para-cerca-de-us1-bilhao/