''Não há motivos para paramos o estado inteiro. Precisamos falar de convívio responsável com o vírus'', diz governador de SC, Carlos Moisés, em LIDE Live

Segundo chefe do Executivo catarinense, a reabertura das atividades comerciais no Estado ocorre em regiões onde não há avanço da pandemia de Covid-19

SÃO PAULO, 8 de maio de 2020 /PRNewswire/ -- O governador do Estado de Santa Catarina, Carlos Moisés, foi o expositor do LIDE Live desta sexta-feira (08), promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais. No evento on-line, o chefe do Executivo catarinense falou sobre o "Cenário atual nos estados e medidas em defesa da vida e da economia" e respondeu a perguntas de executivos e empresários de diversos setores da economia brasileira.

O evento remoto e interativo ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). O LIDE Live teve a medição do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan, e do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto.

Carlos Moisés falou sobre o trabalho para conter os impactos da pandemia no estado e dos resultados obtidos até o momento. "A nossa estratégia foi dividida em fases para aprender e entender o novo cenário, modelar e remodelar a inteligência de dados de diversos setores e definir a segurança para a reabertura planejada e gradual da atividade econômica, agindo regionalmente no estado".

Segundo o governador catarinense, já possível iniciar a reabertura do comércio de maneira gradativa. "Fomos um dos primeiros estados a decretar isolamento social. Tomamos essa medida assim que confirmamos o primeiro caso de transmissão comunitária em Santa Catarina. A partir de agora, vamos expedir ações localmente, em parceria com as prefeituras, em determinadas regiões".

Moisés ainda explicou que a volta das atividades fica condicionada ao avanço da pandemia e não descartou novos fechamentos. "Não há motivos para paramos o estado inteiro. Precisamos falar de convívio responsável com o vírus. Se não temos remédio ou vacina, temos que preparar o sistema de saúde. Público de risco deve ficar em casa. Quem precisar sair, respeite as regras de convívio".

O LIDE Live teve como fornecedor oficial a RCE.

FONTE LIDE

Segundo chefe do Executivo catarinense, a reabertura das atividades comerciais no Estado ocorre em regiões onde não há avanço da pandemia de Covid-19

SÃO PAULO, 8 de maio de 2020 /PRNewswire/ -- O governador do Estado de Santa Catarina, Carlos Moisés, foi o expositor do LIDE Live desta sexta-feira (08), promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais. No evento on-line, o chefe do Executivo catarinense falou sobre o "Cenário atual nos estados e medidas em defesa da vida e da economia" e respondeu a perguntas de executivos e empresários de diversos setores da economia brasileira.

O evento remoto e interativo ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). O LIDE Live teve a medição do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan, e do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto.

Carlos Moisés falou sobre o trabalho para conter os impactos da pandemia no estado e dos resultados obtidos até o momento. "A nossa estratégia foi dividida em fases para aprender e entender o novo cenário, modelar e remodelar a inteligência de dados de diversos setores e definir a segurança para a reabertura planejada e gradual da atividade econômica, agindo regionalmente no estado".

Segundo o governador catarinense, já possível iniciar a reabertura do comércio de maneira gradativa. "Fomos um dos primeiros estados a decretar isolamento social. Tomamos essa medida assim que confirmamos o primeiro caso de transmissão comunitária em Santa Catarina. A partir de agora, vamos expedir ações localmente, em parceria com as prefeituras, em determinadas regiões".

Moisés ainda explicou que a volta das atividades fica condicionada ao avanço da pandemia e não descartou novos fechamentos. "Não há motivos para paramos o estado inteiro. Precisamos falar de convívio responsável com o vírus. Se não temos remédio ou vacina, temos que preparar o sistema de saúde. Público de risco deve ficar em casa. Quem precisar sair, respeite as regras de convívio".

O LIDE Live teve como fornecedor oficial a RCE.

FONTE LIDE