Natura &Co apresenta crescimento de dois dígitos em lucratividade no quarto trimestre

Crescimento é impulsionado pelas três marcas, em ano marcado pela aquisição da Avon Products, Inc.

SÃO PAULO, 5 de março de 2020 /PRNewswire/ -- A Natura &Co apresentou forte desempenho no quarto trimestre de 2019, com crescimento de receita em todas as suas três marcas, Natura, The Body Shop e Aesop, e um aumento de 12,2% no EBITDA ajustado.

O resultado do quarto trimestre encerra mais um ano transformador para a Natura &Co. Em maio de 2019, o grupo anunciou a aquisição da Avon Products, Inc., criando o quarto maior grupo do mundo dedicado ao setor de beleza, líder na relação direta com o consumidor, com um portfólio de marcas icônicas. Essa transação foi oficialmente concluída em 3 de janeiro de 2020.

A receita líquida consolidada de Natura &Co atingiu R$ 4,7 bilhões no quarto trimestre, um aumento de 7,3% em base reportada e de 6,1% em moeda constante. O EBITDA ajustado foi de R$ 816,7 milhões, um crescimento expressivo de 12,2%. O lucro operacional ajustado, que exclui custos e impostos relacionados à aquisição da Avon e à criação de Natura &Co Holding SA, teve forte alta de 18,2% no quarto trimestre. O lucro líquido, de R$ 14,3 milhões, foi impactado por esses efeitos.

No acumulado do ano, a receita líquida consolidada cresceu 7,8% em base reportada e 7,0% em moeda constante, para R$ 14,4 bilhões. O EBITDA ajustado aumentou 7,5%, para R$ 2 bilhões, e o lucro operacional ajustado aumentou 5,7%.

O trimestre passado foi marcado por novos avanços em sustentabilidade: a Natura se tornou a primeira empresa de beleza no Brasil a obter a Patente Verde do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), pelo uso de resíduos da biodiversidade brasileira como insumo de produção, enquanto a The Body Shop ganhou o prêmio de Inovação em Plástico da Ethical Corporation por seu programa de Comércio Justo com Comunidades.

"O ano de 2019 foi mais um período de crescimento e transformação para Natura &Co, pois continuamos a fazer avanços significativos na construção de um grupo multimarca e multicanal movido por propósitos. Nossos resultados seguem demonstrando nossa capacidade de atender um número cada vez maior de clientes, em diferentes faixas de preço e canais de distribuição", declarou Roberto Marques, principal executivo do grupo Natura &Co.

Marques ressalta que "a Natura apresentou um crescimento consistente, evoluindo seu modelo de venda por relações e sua estratégia multicanal; a The Body Shop continuou a implementar com sucesso seu plano de transformação e expandiu a margem; enquanto os negócios da Aesop aumentaram fortemente no quarto trimestre, resultando em mais um ano de robusto crescimento de dois dígitos."

"Obviamente, o ano de 2019 foi marcado pelo anúncio da aquisição da Avon, que concluímos com sucesso antes do previsto, logo após o Ano Novo. Continuamos a ver grandes oportunidades de expansão e potencial para obter sinergias significativas. Junto com a Avon, estamos criando um grupo ainda mais comprometido em gerar impacto social, econômico e ambiental positivo, com uma voz mais potente para defender as causas que são importantes para nós. Juntos, começamos nossa jornada para construir não a melhor empresa de beleza do mundo, mas a melhor empresa de beleza PARA o mundo", conclui o executivo

A receita líquida da Natura no Brasil aumentou 3% no quarto trimestre, um desempenho muito expressivo em relação a uma base de comparação bastante alta. A produtividade das consultoras aumentou pelo 13º trimestre consecutivo. A plataforma digital da Natura agora tem mais de 900 mil consultoras ativas no Brasil e as vendas on-line cresceram dois dígitos. O conjunto das outras operações na América Latina registrou avanço de 10,6% na receita líquida em reais e de 28,9% em moeda constante. A Argentina teve um desempenho substancial, apesar do ambiente de mercado difícil, e o México e a Colômbia também apresentaram forte expansão. O EBITDA e a margem aumentaram no quarto trimestre, tanto no Brasil quanto na América Latina. No ano, as vendas cresceram 4% no Brasil e 13,5% na América Latina (23,9% em moeda constante).

A The Body Shop continua a avançar em seu plano de transformação. A receita líquida subiu 6,7% em reais no quarto trimestre. As vendas cresceram 5,4% no Reino Unido, destacando o prestígio da marca em seu maior mercado. O EBITDA ajustado cresceu 7,8%, com aumento na margem de 20 pontos base. As vendas no ano tiveram alta de 6,3% e o EBITDA ajustado cresceu 15,5%, com crescimento de margem de 90 pontos base.

A Aesop exibiu novamente um desempenho excepcional. A receita em reais aumentou 25,7% e em moeda constante a alta foi de 13,4%. O crescimento das vendas em lojas, em bases comparáveis, foi de 7% no trimestre. Sete novas lojas exclusivas foram abertas no período, elevando o total para 247. O EBITDA cresceu 44,8% no trimestre, com margem crescendo 360 pontos base. No ano, as vendas cresceram 22,5% em reais e 12,3% em moeda constante, enquanto o EBITDA aumentou 40%, com expansão da margem em 210 pontos base.

A relação entre dívida líquida e EBITDA da Natura &Co ficou em 2,41 vezes no fim do ano, contra 2,71 vezes no quarto trimestre de 2018, ajudada por uma sólida geração de caixa. O grupo está em linha com a meta de redução para 1,4 vezes até 2021, nível de alavancagem anterior à aquisição da The Body Shop.

Sobre Natura &Co

Resultado da combinação entre Natura, Aesop e The Body Shop, Natura &Co consolida a criação de um grupo de cosméticos global, multicanal e multimarcas, movido por propósitos. Em 2018, a Natura &Co registrou receita líquida de R$ 13,4 bilhões. As três empresas do grupo estão empenhadas em gerar impactos econômicos, sociais e ambientais positivos. Fundada em 1969 por Luiz Seabra, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética, líder no setor de venda direta no Brasil. Fundada em 1976 em Brighton, na Inglaterra, por Anita Roddick, a The Body Shop é uma marca de beleza global que procura fazer diferença no mundo. Criada em 1987, a marca australiana Aesop tem a missão de oferecer um portfólio de produtos superlativos para a pele, cabelo e corpo. Saiba mais em www.naturaeco.com

CAUTELA COM RELAÇÃO A FORWARD-LOOKING STATEMENTS

Declarações e projeções feitas nesta apresentação (ou nos documentos a que faz referência) que não constituem fatos consumados ou informações podem representar forward-looking statements, conforme definido no Private Securities Litigation Reform Act of 1995. Dentre outros, tais forward-looking statements podem incluir declarações e projeções referentes à transação proposta envolvendo Natura e Avon; crenças referentes à geração de valor resultante da transação proposta entre Natura e Avon; o cronograma esperado para a conclusão da transação; benefícios e sinergias da transação; oportunidades futuras para a companhia combinada; e quaisquer outras declarações e projeções referentes a crenças, expectativas, planos, intenções, condições financeiras ou a performance de Avon e Natura. Em certos casos, palavras como "estimativa", "projeto", "previsão", "plano", "crê", "poderá", "espera", "antecipa", "pretende", "planejada", "potencial", "pode", "expectativa", "poderia", "irá/será", "iria/seria" e expressões similares, ou as expressões correspondentes em sentido oposto, poderão indicar forward-looking statements. Tais forward-looking statements são baseados nas expectativas e crenças de Natura e Avon referentes a eventos futuros e envolvendo riscos e incertezas que podem fazer com que os efetivos resultados difiram materialmente das expectativas atuais. Estes fatores são de difícil previsão exata e podem estar fora do controle de Natura e Avon. Forward-looking statements presentes nesta apresentação ou em outro documento baseiam-se em fatos ocorridos apenas até a data em que elaboradas. Novas incertezas e riscos surgem com o tempo e é impossível que Natura e Avon prevejam estes eventos ou a maneira como podem afetar Natura ou Avon. Portanto, não se deve basear em quaisquer forward-looking statements como indicativos de eventos futuros. Exceto se exigido por lei, nem Natura e nem Avon tem o dever ou a intenção de atualizar ou revisar as projeções e estimativas nesta apresentação ou em outro documento após a data de divulgação desta apresentação. Sob a luz destes riscos e incertezas, investidores devem ter em mente que resultados, eventos ou desenvolvimentos discutidos em quaisquer forward-looking statements presentes nesta apresentação podem não ocorrer. Incertezas e fatores de risco que podem afetar a performance futura de Natura e/ou Avon e fazer com que os resultados difiram dos forward-looking statements presentes nesta apresentação incluem, mas não se limitam a: (a) a capacidade das partes de consumar a transação ou satisfazer as condições para a conclusão, incluindo o recebimento das aprovações dos acionistas e o recebimento de aprovações regulatórias requeridas para a transação nos termos esperados no cronograma antecipado; (b) a capacidade das partes de atender expectativas referentes ao timing, completude e o tratamento contábil e fiscal da transação; (c) a possibilidade de que quaisquer dos benefícios antecipados na transação proposta não se concretizem ou não se concretizem no prazo previsto; (d) o risco de a integração das operações da Avon com aquelas da Natura seja materialmente atrasada ou se torne mais custosa ou difícil que o esperado; (e) o fracasso do fechamento da transação proposta por qualquer outro motivo; (f) o efeito do anúncio da transação nas relações com consumidores e consultores e resultados operacionais (incluindo, mas não se limitando a, dificuldades na manutenção de relações com funcionários e consumidores); (g) diluição causada pela subscrição de ações ordinárias adicionais de Natura em conexão com a transação; (h) a possibilidade de que a incorporação possa ser mais custosa para completar que o antecipado, incluindo como resultado de fatores ou eventos inesperados; (i) o desvio do tempo dos administradores com assuntos relacionados à transação, (j) a possibilidade de que o tratamento contábil e fiscal proposto não seja atingido; (k) os riscos descritos no item 4 do Formulário de Referência de Natura de 2018, versão 15, protocolado junto à Comissão de Valores Mobiliários em 24 de abril de 2019; e (l) os riscos descritos no Item 1A das Demonstrações Financeiras da Avon no Formulário 10-K e determinadas informações eventuais protocoladas nos Formulários 10-Q e 8-K.

(For purposes of comparison, the results in this press release exclude the IFRS 16 new accounting standard for lease agreements. The reported results, including the impacts of IFRS 16, are disclosed in the company's financial statements. Adjusted results exclude effects that are not considered recurring not comparable between the periods under analysis.)

FONTE Natura &Co

Crescimento é impulsionado pelas três marcas, em ano marcado pela aquisição da Avon Products, Inc.

SÃO PAULO, 5 de março de 2020 /PRNewswire/ -- A Natura &Co apresentou forte desempenho no quarto trimestre de 2019, com crescimento de receita em todas as suas três marcas, Natura, The Body Shop e Aesop, e um aumento de 12,2% no EBITDA ajustado.

O resultado do quarto trimestre encerra mais um ano transformador para a Natura &Co. Em maio de 2019, o grupo anunciou a aquisição da Avon Products, Inc., criando o quarto maior grupo do mundo dedicado ao setor de beleza, líder na relação direta com o consumidor, com um portfólio de marcas icônicas. Essa transação foi oficialmente concluída em 3 de janeiro de 2020.

A receita líquida consolidada de Natura &Co atingiu R$ 4,7 bilhões no quarto trimestre, um aumento de 7,3% em base reportada e de 6,1% em moeda constante. O EBITDA ajustado foi de R$ 816,7 milhões, um crescimento expressivo de 12,2%. O lucro operacional ajustado, que exclui custos e impostos relacionados à aquisição da Avon e à criação de Natura &Co Holding SA, teve forte alta de 18,2% no quarto trimestre. O lucro líquido, de R$ 14,3 milhões, foi impactado por esses efeitos.

No acumulado do ano, a receita líquida consolidada cresceu 7,8% em base reportada e 7,0% em moeda constante, para R$ 14,4 bilhões. O EBITDA ajustado aumentou 7,5%, para R$ 2 bilhões, e o lucro operacional ajustado aumentou 5,7%.

O trimestre passado foi marcado por novos avanços em sustentabilidade: a Natura se tornou a primeira empresa de beleza no Brasil a obter a Patente Verde do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), pelo uso de resíduos da biodiversidade brasileira como insumo de produção, enquanto a The Body Shop ganhou o prêmio de Inovação em Plástico da Ethical Corporation por seu programa de Comércio Justo com Comunidades.

"O ano de 2019 foi mais um período de crescimento e transformação para Natura &Co, pois continuamos a fazer avanços significativos na construção de um grupo multimarca e multicanal movido por propósitos. Nossos resultados seguem demonstrando nossa capacidade de atender um número cada vez maior de clientes, em diferentes faixas de preço e canais de distribuição", declarou Roberto Marques, principal executivo do grupo Natura &Co.

Marques ressalta que "a Natura apresentou um crescimento consistente, evoluindo seu modelo de venda por relações e sua estratégia multicanal; a The Body Shop continuou a implementar com sucesso seu plano de transformação e expandiu a margem; enquanto os negócios da Aesop aumentaram fortemente no quarto trimestre, resultando em mais um ano de robusto crescimento de dois dígitos."

"Obviamente, o ano de 2019 foi marcado pelo anúncio da aquisição da Avon, que concluímos com sucesso antes do previsto, logo após o Ano Novo. Continuamos a ver grandes oportunidades de expansão e potencial para obter sinergias significativas. Junto com a Avon, estamos criando um grupo ainda mais comprometido em gerar impacto social, econômico e ambiental positivo, com uma voz mais potente para defender as causas que são importantes para nós. Juntos, começamos nossa jornada para construir não a melhor empresa de beleza do mundo, mas a melhor empresa de beleza PARA o mundo", conclui o executivo

A receita líquida da Natura no Brasil aumentou 3% no quarto trimestre, um desempenho muito expressivo em relação a uma base de comparação bastante alta. A produtividade das consultoras aumentou pelo 13º trimestre consecutivo. A plataforma digital da Natura agora tem mais de 900 mil consultoras ativas no Brasil e as vendas on-line cresceram dois dígitos. O conjunto das outras operações na América Latina registrou avanço de 10,6% na receita líquida em reais e de 28,9% em moeda constante. A Argentina teve um desempenho substancial, apesar do ambiente de mercado difícil, e o México e a Colômbia também apresentaram forte expansão. O EBITDA e a margem aumentaram no quarto trimestre, tanto no Brasil quanto na América Latina. No ano, as vendas cresceram 4% no Brasil e 13,5% na América Latina (23,9% em moeda constante).

A The Body Shop continua a avançar em seu plano de transformação. A receita líquida subiu 6,7% em reais no quarto trimestre. As vendas cresceram 5,4% no Reino Unido, destacando o prestígio da marca em seu maior mercado. O EBITDA ajustado cresceu 7,8%, com aumento na margem de 20 pontos base. As vendas no ano tiveram alta de 6,3% e o EBITDA ajustado cresceu 15,5%, com crescimento de margem de 90 pontos base.

A Aesop exibiu novamente um desempenho excepcional. A receita em reais aumentou 25,7% e em moeda constante a alta foi de 13,4%. O crescimento das vendas em lojas, em bases comparáveis, foi de 7% no trimestre. Sete novas lojas exclusivas foram abertas no período, elevando o total para 247. O EBITDA cresceu 44,8% no trimestre, com margem crescendo 360 pontos base. No ano, as vendas cresceram 22,5% em reais e 12,3% em moeda constante, enquanto o EBITDA aumentou 40%, com expansão da margem em 210 pontos base.

A relação entre dívida líquida e EBITDA da Natura &Co ficou em 2,41 vezes no fim do ano, contra 2,71 vezes no quarto trimestre de 2018, ajudada por uma sólida geração de caixa. O grupo está em linha com a meta de redução para 1,4 vezes até 2021, nível de alavancagem anterior à aquisição da The Body Shop.

Sobre Natura &Co

Resultado da combinação entre Natura, Aesop e The Body Shop, Natura &Co consolida a criação de um grupo de cosméticos global, multicanal e multimarcas, movido por propósitos. Em 2018, a Natura &Co registrou receita líquida de R$ 13,4 bilhões. As três empresas do grupo estão empenhadas em gerar impactos econômicos, sociais e ambientais positivos. Fundada em 1969 por Luiz Seabra, a Natura é uma multinacional brasileira de higiene e cosmética, líder no setor de venda direta no Brasil. Fundada em 1976 em Brighton, na Inglaterra, por Anita Roddick, a The Body Shop é uma marca de beleza global que procura fazer diferença no mundo. Criada em 1987, a marca australiana Aesop tem a missão de oferecer um portfólio de produtos superlativos para a pele, cabelo e corpo. Saiba mais em www.naturaeco.com

CAUTELA COM RELAÇÃO A FORWARD-LOOKING STATEMENTS

Declarações e projeções feitas nesta apresentação (ou nos documentos a que faz referência) que não constituem fatos consumados ou informações podem representar forward-looking statements, conforme definido no Private Securities Litigation Reform Act of 1995. Dentre outros, tais forward-looking statements podem incluir declarações e projeções referentes à transação proposta envolvendo Natura e Avon; crenças referentes à geração de valor resultante da transação proposta entre Natura e Avon; o cronograma esperado para a conclusão da transação; benefícios e sinergias da transação; oportunidades futuras para a companhia combinada; e quaisquer outras declarações e projeções referentes a crenças, expectativas, planos, intenções, condições financeiras ou a performance de Avon e Natura. Em certos casos, palavras como "estimativa", "projeto", "previsão", "plano", "crê", "poderá", "espera", "antecipa", "pretende", "planejada", "potencial", "pode", "expectativa", "poderia", "irá/será", "iria/seria" e expressões similares, ou as expressões correspondentes em sentido oposto, poderão indicar forward-looking statements. Tais forward-looking statements são baseados nas expectativas e crenças de Natura e Avon referentes a eventos futuros e envolvendo riscos e incertezas que podem fazer com que os efetivos resultados difiram materialmente das expectativas atuais. Estes fatores são de difícil previsão exata e podem estar fora do controle de Natura e Avon. Forward-looking statements presentes nesta apresentação ou em outro documento baseiam-se em fatos ocorridos apenas até a data em que elaboradas. Novas incertezas e riscos surgem com o tempo e é impossível que Natura e Avon prevejam estes eventos ou a maneira como podem afetar Natura ou Avon. Portanto, não se deve basear em quaisquer forward-looking statements como indicativos de eventos futuros. Exceto se exigido por lei, nem Natura e nem Avon tem o dever ou a intenção de atualizar ou revisar as projeções e estimativas nesta apresentação ou em outro documento após a data de divulgação desta apresentação. Sob a luz destes riscos e incertezas, investidores devem ter em mente que resultados, eventos ou desenvolvimentos discutidos em quaisquer forward-looking statements presentes nesta apresentação podem não ocorrer. Incertezas e fatores de risco que podem afetar a performance futura de Natura e/ou Avon e fazer com que os resultados difiram dos forward-looking statements presentes nesta apresentação incluem, mas não se limitam a: (a) a capacidade das partes de consumar a transação ou satisfazer as condições para a conclusão, incluindo o recebimento das aprovações dos acionistas e o recebimento de aprovações regulatórias requeridas para a transação nos termos esperados no cronograma antecipado; (b) a capacidade das partes de atender expectativas referentes ao timing, completude e o tratamento contábil e fiscal da transação; (c) a possibilidade de que quaisquer dos benefícios antecipados na transação proposta não se concretizem ou não se concretizem no prazo previsto; (d) o risco de a integração das operações da Avon com aquelas da Natura seja materialmente atrasada ou se torne mais custosa ou difícil que o esperado; (e) o fracasso do fechamento da transação proposta por qualquer outro motivo; (f) o efeito do anúncio da transação nas relações com consumidores e consultores e resultados operacionais (incluindo, mas não se limitando a, dificuldades na manutenção de relações com funcionários e consumidores); (g) diluição causada pela subscrição de ações ordinárias adicionais de Natura em conexão com a transação; (h) a possibilidade de que a incorporação possa ser mais custosa para completar que o antecipado, incluindo como resultado de fatores ou eventos inesperados; (i) o desvio do tempo dos administradores com assuntos relacionados à transação, (j) a possibilidade de que o tratamento contábil e fiscal proposto não seja atingido; (k) os riscos descritos no item 4 do Formulário de Referência de Natura de 2018, versão 15, protocolado junto à Comissão de Valores Mobiliários em 24 de abril de 2019; e (l) os riscos descritos no Item 1A das Demonstrações Financeiras da Avon no Formulário 10-K e determinadas informações eventuais protocoladas nos Formulários 10-Q e 8-K.

(For purposes of comparison, the results in this press release exclude the IFRS 16 new accounting standard for lease agreements. The reported results, including the impacts of IFRS 16, are disclosed in the company's financial statements. Adjusted results exclude effects that are not considered recurring not comparable between the periods under analysis.)

FONTE Natura &Co

Você acabou de ler:

Natura &Co apresenta crescimento de dois dígitos em lucratividade no quarto trimestre

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/natura-co-apresenta-crescimento-de-dois-digitos-em-lucratividade-no-quarto-trimestre/