''Nenhuma obra foi paralisada por tempo indeterminado'', afirma secretário de Transportes Metropolitanos de SP, Alexandre Baldy, em LIDE LIVE

Chefe da Pasta, também fez um panorama sobre o impacto da pandemia no sistema de transporte público, que registrou aumento na demanda na última semana

SÃO PAULO, 15 de maio de 2020 /PRNewswire/ -- O Secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, foi o expositor do LIDE LIVE, promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais nesta sexta-feira (15). No evento on-line, o chefe do Pasta falou sobre "Mobilidade urbana e inter-regional em momentos de crise e pós-crise" e respondeu a perguntas de executivos e empresários de diversos setores da economia brasileira.

O evento remoto e interativo ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). O LIDE Live teve a medição do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan, do presidente do LIDE Energia, Roberto Giannetti, e do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto.

O secretário se mostrou preocupado com o crescimento de usuários no transporte em São Paulo nos últimos dias. "O rodízio [da capital paulista] foi um desafio. Tivemos aumento de 16% de circulação de passageiros na EMTU. Na CPTM e no Metrô, o aumento de demanda foi de 12% e 8%, respectivamente. Aumentamos para 75% a oferta de trens para dar segurança e combater o coronavírus".

Na Grande SP são, aproximadamente, 10,5 milhões de passageiros na CPTM, Metrô e EMTU. "Na primeira semana de isolamento em função do novo coronavírus, esse número caiu 80%, mas continuamos ofertando 60% do transporte para assegurar que todos tivessem uma estrutura adequada para se locomover evitando a proliferação do vírus", afirmou Alexandre Baldy.

Para a retomada plena das atividades, a secretaria estuda protocolos, como períodos reservados para quem tem atividades essenciais. "O transporte público é o segundo local mais propício para contaminação pela Covid-19, então tomamos todas as medidas necessárias para assegurar a saúde de quem precisa utilizar esse meio de transporte", garantiu Baldy.

O secretário afirmou que todas as obras vão ser mantidas, apesar da pandemia. "O Estado tem R$ 12 bilhões em projetos na área, contemplando 9 mil empregos diretos. No princípio da pandemia, algumas obras pararam, por conta de recomendação de saúde das empresas, mas retomaram e estão em andamento. Nenhuma obra foi paralisada por tempo indeterminado", explicou.

Alexandre Baldy, disse ainda que Pasta mantém um dos projetos considerados mais importantes do país na retomada de transporte de passageiros pelos trilhos. "Liga duas regiões muito populosas – São Paulo e Campinas - e está sendo tocado e será realizada consulta pública. Dezessete grupos privados participaram e estão dando grande contribuições", disse.

O LIDE Live teve como fornecedor oficial a RCE.

FONTE LIDE

Chefe da Pasta, também fez um panorama sobre o impacto da pandemia no sistema de transporte público, que registrou aumento na demanda na última semana

SÃO PAULO, 15 de maio de 2020 /PRNewswire/ -- O Secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, foi o expositor do LIDE LIVE, promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais nesta sexta-feira (15). No evento on-line, o chefe do Pasta falou sobre "Mobilidade urbana e inter-regional em momentos de crise e pós-crise" e respondeu a perguntas de executivos e empresários de diversos setores da economia brasileira.

O evento remoto e interativo ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). O LIDE Live teve a medição do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan, do presidente do LIDE Energia, Roberto Giannetti, e do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto.

O secretário se mostrou preocupado com o crescimento de usuários no transporte em São Paulo nos últimos dias. "O rodízio [da capital paulista] foi um desafio. Tivemos aumento de 16% de circulação de passageiros na EMTU. Na CPTM e no Metrô, o aumento de demanda foi de 12% e 8%, respectivamente. Aumentamos para 75% a oferta de trens para dar segurança e combater o coronavírus".

Na Grande SP são, aproximadamente, 10,5 milhões de passageiros na CPTM, Metrô e EMTU. "Na primeira semana de isolamento em função do novo coronavírus, esse número caiu 80%, mas continuamos ofertando 60% do transporte para assegurar que todos tivessem uma estrutura adequada para se locomover evitando a proliferação do vírus", afirmou Alexandre Baldy.

Para a retomada plena das atividades, a secretaria estuda protocolos, como períodos reservados para quem tem atividades essenciais. "O transporte público é o segundo local mais propício para contaminação pela Covid-19, então tomamos todas as medidas necessárias para assegurar a saúde de quem precisa utilizar esse meio de transporte", garantiu Baldy.

O secretário afirmou que todas as obras vão ser mantidas, apesar da pandemia. "O Estado tem R$ 12 bilhões em projetos na área, contemplando 9 mil empregos diretos. No princípio da pandemia, algumas obras pararam, por conta de recomendação de saúde das empresas, mas retomaram e estão em andamento. Nenhuma obra foi paralisada por tempo indeterminado", explicou.

Alexandre Baldy, disse ainda que Pasta mantém um dos projetos considerados mais importantes do país na retomada de transporte de passageiros pelos trilhos. "Liga duas regiões muito populosas – São Paulo e Campinas - e está sendo tocado e será realizada consulta pública. Dezessete grupos privados participaram e estão dando grande contribuições", disse.

O LIDE Live teve como fornecedor oficial a RCE.

FONTE LIDE