No Tibete de 2020: como é realmente a vida da população local agora?

PEQUIM, 4 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- O ano de 2020 marca o 55o aniversário de fundação da Região Autônoma do Tibete, no sudoeste da China. A vida da população local mudou drasticamente desde então.

A CGTN (China Global Television Network) enviou três equipes a diferentes partes do planalto para uma série especial chamada "No Tibete de 2020" para mostrar um novo Tibete.

Durante a jornada, eles se encontraram com o povo Deng, que é uma minoria étnica na região, com nômades, tocaram instrumentos e cantaram uma canção com músicos locais.

Através de suas lentes, um novo Tibete foi apresentado ao público, não só como um destino turístico consagrado, mas também como uma bela morada para a população local.

Uma nova era

Yang Xinmeng, da CGTN, e o vlogger espanhol Noel visitaram o povo Deng, também conhecido como Dengba, um grupo étnico que vive nos moldes tradicionais nos nossos tempos modernos.

O povo Deng vive principalmente nos vales no condado de Zayu, na cidade de Nyingchi, no Tibete. Eles registram os acontecimentos fazendo nós, usam foices para cultivar as terras agrícolas e levam sempre com eles uma faca numa bainha presa ao cinto.

A equipe também mostrou ao público como são as facas tibetanas que custam US$ 100.000 e suas diferenças.

Li Jingjing, da CGTN, e Daniel Dumbrill, YouTuber, de outra equipe, conversaram com alguns nômades durante sua visita a uma tenda negra tibetana, habitação tradicional dos nômades da região. A tarefa mais importante para os nômades é cuidar de rebanhos, e eles se movimentam de um pasto a outro para encontrar as melhores áreas de pastagem.

Além do pastoreio e da agricultura, a música é também parte indispensável da vida da população local. Marco e Oscar, da CGTN, visitaram um estúdio em Lhasa e aprenderam a tocar dramyin, um alaúde tradicional de música folclórica.

Nos últimos anos, um número cada vez maior de músicos tibetanos talentosos surgiu no mercado, e um deles é Denchu AD. Ele tocou uma de suas canções de sucesso, "Se eu te encontrar em Lhasa", com outros dois repórteres nossos no estúdio.

Na Cidade de Ranwu Town, no condado de Baxoi, CIdade de Qamdo, implementou-se em 2000 um plano turístico que inclui a promoção das montanhas nevadas da cidade, dos prados e do Lago Ranwu, de acordo com uma autoridade local. "Só tínhamos bicicletas, nada de motos ou telefones, e agora todas as famílias podem ter carros e celulares", ele disse.

Essas histórias fascinantes acontecem nessas terras todos os dias, enquanto um novo Tibete é revelado ao mundo pelo olhar dos repórteres da CGTN.

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=VLLTCRXuL34

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1248734/Tibetan_Black_Tent.jpg

FONTE CGTN

PEQUIM, 4 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- O ano de 2020 marca o 55o aniversário de fundação da Região Autônoma do Tibete, no sudoeste da China. A vida da população local mudou drasticamente desde então.

A CGTN (China Global Television Network) enviou três equipes a diferentes partes do planalto para uma série especial chamada "No Tibete de 2020" para mostrar um novo Tibete.

Durante a jornada, eles se encontraram com o povo Deng, que é uma minoria étnica na região, com nômades, tocaram instrumentos e cantaram uma canção com músicos locais.

Através de suas lentes, um novo Tibete foi apresentado ao público, não só como um destino turístico consagrado, mas também como uma bela morada para a população local.

Uma nova era

Yang Xinmeng, da CGTN, e o vlogger espanhol Noel visitaram o povo Deng, também conhecido como Dengba, um grupo étnico que vive nos moldes tradicionais nos nossos tempos modernos.

O povo Deng vive principalmente nos vales no condado de Zayu, na cidade de Nyingchi, no Tibete. Eles registram os acontecimentos fazendo nós, usam foices para cultivar as terras agrícolas e levam sempre com eles uma faca numa bainha presa ao cinto.

A equipe também mostrou ao público como são as facas tibetanas que custam US$ 100.000 e suas diferenças.

Li Jingjing, da CGTN, e Daniel Dumbrill, YouTuber, de outra equipe, conversaram com alguns nômades durante sua visita a uma tenda negra tibetana, habitação tradicional dos nômades da região. A tarefa mais importante para os nômades é cuidar de rebanhos, e eles se movimentam de um pasto a outro para encontrar as melhores áreas de pastagem.

Além do pastoreio e da agricultura, a música é também parte indispensável da vida da população local. Marco e Oscar, da CGTN, visitaram um estúdio em Lhasa e aprenderam a tocar dramyin, um alaúde tradicional de música folclórica.

Nos últimos anos, um número cada vez maior de músicos tibetanos talentosos surgiu no mercado, e um deles é Denchu AD. Ele tocou uma de suas canções de sucesso, "Se eu te encontrar em Lhasa", com outros dois repórteres nossos no estúdio.

Na Cidade de Ranwu Town, no condado de Baxoi, CIdade de Qamdo, implementou-se em 2000 um plano turístico que inclui a promoção das montanhas nevadas da cidade, dos prados e do Lago Ranwu, de acordo com uma autoridade local. "Só tínhamos bicicletas, nada de motos ou telefones, e agora todas as famílias podem ter carros e celulares", ele disse.

Essas histórias fascinantes acontecem nessas terras todos os dias, enquanto um novo Tibete é revelado ao mundo pelo olhar dos repórteres da CGTN.

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=VLLTCRXuL34

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1248734/Tibetan_Black_Tent.jpg

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

No Tibete de 2020: como é realmente a vida da população local agora?

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/no-tibete-de-2020-como-e-realmente-a-vida-da-populacao-local-agora/