Nova pesquisa revela as melhores opções de migração de investimentos para melhorar a resiliência climática

LONDRES, 17 de maio de 2022 /PRNewswire/ -- Em resposta a novos alertas de que o mundo provavelmente aquecerá mais de 1,5° C nos próximos cinco anos, a Henley & Partners em parceria com Deep Knowledge Analytics lançou hoje o Investment Migration Climate Resilience Index — uma nova ferramenta analítica exclusiva para avaliar a resiliência climática do seu próprio país e explorar opções de programas de migração de investimento que oferecem um caminho para direitos de residência ou aquisição de cidadania em locais mais resilientes ao clima em troca de um investimento significativo na economia do país anfitrião.

Empregando mais de 900 pontos de dados diferentes em cinco parâmetros e considerando os principais fatores de vulnerabilidade, prontidão para alavancar investimentos climáticos e capacidade econômica de adaptação, o novo estudo inovador produziu uma pontuação de Resiliência Climática para 180 países e os separou em três faixas de resiliência: maior resiliência (pontuação de 60 ou mais em 100), resiliência média (pontuação de 45 a 59,9) e menor resiliência (pontuação de 44,9 ou menos). A realidade preocupante é que a grande maioria – 142 países – se enquadra na faixa de resiliência mais baixa, onde os cidadãos correm mais risco de eventos ambientais extremos, como incêndios florestais, furacões, ondas de calor, inundações, secas e tempestades. A infraestrutura será mais fraca e mais exposta, e a capacidade de se preparar e responder às consequências de eventos climáticos extremos será menor.

O Investment Migration Climate Resilience Index combina de forma única dados do PIB do Banco Mundial (a média do PIB normalizado e do PIB per capita para cada país) com a mais recente Iniciativa de Adaptação Global de Notre Dame da Universidade de Notre Dame (ND-GAIN) Índice do País, que resume a vulnerabilidade dos países às mudanças climáticas e a prontidão para converter investimentos financeiros (financiamento climático) em medidas de adaptação ao clima. Ao adicionar dados do PIB à combinação, o novo Global Climate Resilience Ranking da Henley & Partners incorpora a importante consideração da capacidade econômica de um país de se adaptar às mudanças climáticas e proteger seus cidadãos contra os efeitos mais adversos.

Surpreendentemente, os cinco primeiros países estão todos no hemisfério norte. Os EUA estão em 1ºlugar, com uma pontuação de resiliência climática de 70,6, seguido pela Alemanha (70,3), Reino Unido (69,4), Suíça (68,4) e Canadá (68,3) em 5º lugar por uma margem estreita. Ainda menos surpreendente, os países subsaarianos ocupam as cinco últimas posições, no qual Chade aparece como o país menos resiliente ao clima do mundo, em 136º lugar, com uma pontuação de apenas 19,1 em 100. 

O CEO da Henley & Partners, Dr. Juerg Steffen, afirma que as preocupações com as mudanças climáticas estão cada vez mais informando as estratégias de localização de ativos de longo prazo de investidores internacionais, proprietários de negócios e empreendedores. "As mudanças climáticas já estão impactando em todos os aspectos de nossas vidas, portanto, ao investir em um país mais resiliente ao clima, além dos direitos de residência ou de uma cidadania complementar, os investidores ganham o direito de realocar suas famílias, seus ativos e infraestrutura crítica para um lugar mais resiliente que será capaz de resistir melhor a choques climáticos futuros."

Dentre os únicos quinze países do mundo que são classificados como de maior resiliência, sete mantêm programas de migração por investimento, incluindo o US EB-5 Immigrant Investor Program, o UK Tier 1 Innovator Visa, o Swiss Residence Program, que a Henley & Partners projetou para cidadãos não pertencentes à UE e não pertencentes à EFTA, o Start-Up Visa Program do Canadá, o Business Innovation and Investment Program, o Luxembourg Residence by Investment Program e o Italy Residence by Investment Program.

Há oito opções de migração de investimento em países de resiliência média, incluindo o Singapore Global Investor Program, o Immigrant Investor Program da Irlanda, as cláusulas de Austria Citizenship by Investment, o Spain Residence by Investment Program, o New Zealand Residence by Investment Program, as novas opções de visto de residência dos Emirados Árabes Unidos, o Portugal Golden Residence Permit Program e o Turkey Citizenship by Investment Program.

Dominic Volek, diretor de clientes privados do grupo Henley & Partners, diz que ninguém deve planejar a longo prazo sem considerar o fator de mudança climática. "Os países e cidades mais resilientes atrairão talentos e investidores globais em busca de "paraísos climáticos" que se prepararam para o que está por vir. Chegou a hora de construir ativamente portfólios resilientes ao clima prontos para o futuro se você quiser reduzir seu risco ao impacto inevitável dos desastres climáticos."

Leia o comunicado de imprensa completo

FONTE Henley & Partners

LONDRES, 17 de maio de 2022 /PRNewswire/ -- Em resposta a novos alertas de que o mundo provavelmente aquecerá mais de 1,5° C nos próximos cinco anos, a Henley & Partners em parceria com Deep Knowledge Analytics lançou hoje o Investment Migration Climate Resilience Index — uma nova ferramenta analítica exclusiva para avaliar a resiliência climática do seu próprio país e explorar opções de programas de migração de investimento que oferecem um caminho para direitos de residência ou aquisição de cidadania em locais mais resilientes ao clima em troca de um investimento significativo na economia do país anfitrião.

Empregando mais de 900 pontos de dados diferentes em cinco parâmetros e considerando os principais fatores de vulnerabilidade, prontidão para alavancar investimentos climáticos e capacidade econômica de adaptação, o novo estudo inovador produziu uma pontuação de Resiliência Climática para 180 países e os separou em três faixas de resiliência: maior resiliência (pontuação de 60 ou mais em 100), resiliência média (pontuação de 45 a 59,9) e menor resiliência (pontuação de 44,9 ou menos). A realidade preocupante é que a grande maioria – 142 países – se enquadra na faixa de resiliência mais baixa, onde os cidadãos correm mais risco de eventos ambientais extremos, como incêndios florestais, furacões, ondas de calor, inundações, secas e tempestades. A infraestrutura será mais fraca e mais exposta, e a capacidade de se preparar e responder às consequências de eventos climáticos extremos será menor.

O Investment Migration Climate Resilience Index combina de forma única dados do PIB do Banco Mundial (a média do PIB normalizado e do PIB per capita para cada país) com a mais recente Iniciativa de Adaptação Global de Notre Dame da Universidade de Notre Dame (ND-GAIN) Índice do País, que resume a vulnerabilidade dos países às mudanças climáticas e a prontidão para converter investimentos financeiros (financiamento climático) em medidas de adaptação ao clima. Ao adicionar dados do PIB à combinação, o novo Global Climate Resilience Ranking da Henley & Partners incorpora a importante consideração da capacidade econômica de um país de se adaptar às mudanças climáticas e proteger seus cidadãos contra os efeitos mais adversos.

Surpreendentemente, os cinco primeiros países estão todos no hemisfério norte. Os EUA estão em 1ºlugar, com uma pontuação de resiliência climática de 70,6, seguido pela Alemanha (70,3), Reino Unido (69,4), Suíça (68,4) e Canadá (68,3) em 5º lugar por uma margem estreita. Ainda menos surpreendente, os países subsaarianos ocupam as cinco últimas posições, no qual Chade aparece como o país menos resiliente ao clima do mundo, em 136º lugar, com uma pontuação de apenas 19,1 em 100. 

O CEO da Henley & Partners, Dr. Juerg Steffen, afirma que as preocupações com as mudanças climáticas estão cada vez mais informando as estratégias de localização de ativos de longo prazo de investidores internacionais, proprietários de negócios e empreendedores. "As mudanças climáticas já estão impactando em todos os aspectos de nossas vidas, portanto, ao investir em um país mais resiliente ao clima, além dos direitos de residência ou de uma cidadania complementar, os investidores ganham o direito de realocar suas famílias, seus ativos e infraestrutura crítica para um lugar mais resiliente que será capaz de resistir melhor a choques climáticos futuros."

Dentre os únicos quinze países do mundo que são classificados como de maior resiliência, sete mantêm programas de migração por investimento, incluindo o US EB-5 Immigrant Investor Program, o UK Tier 1 Innovator Visa, o Swiss Residence Program, que a Henley & Partners projetou para cidadãos não pertencentes à UE e não pertencentes à EFTA, o Start-Up Visa Program do Canadá, o Business Innovation and Investment Program, o Luxembourg Residence by Investment Program e o Italy Residence by Investment Program.

Há oito opções de migração de investimento em países de resiliência média, incluindo o Singapore Global Investor Program, o Immigrant Investor Program da Irlanda, as cláusulas de Austria Citizenship by Investment, o Spain Residence by Investment Program, o New Zealand Residence by Investment Program, as novas opções de visto de residência dos Emirados Árabes Unidos, o Portugal Golden Residence Permit Program e o Turkey Citizenship by Investment Program.

Dominic Volek, diretor de clientes privados do grupo Henley & Partners, diz que ninguém deve planejar a longo prazo sem considerar o fator de mudança climática. "Os países e cidades mais resilientes atrairão talentos e investidores globais em busca de "paraísos climáticos" que se prepararam para o que está por vir. Chegou a hora de construir ativamente portfólios resilientes ao clima prontos para o futuro se você quiser reduzir seu risco ao impacto inevitável dos desastres climáticos."

Leia o comunicado de imprensa completo

FONTE Henley & Partners

Você acabou de ler:

Nova pesquisa revela as melhores opções de migração de investimentos para melhorar a resiliência climática

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/nova-pesquisa-revela-as-melhores-opcoes-de-migracao-de-investimentos-para-melhorar-a-resiliencia-climatica/