NOVOS DADOS DA GSMA SÃO UM ALERTA PARA O ABISMO DIGITAL DE GÊNERO

Novo relatório mostra uma desaceleração preocupante na inclusão digital das mulheres em países de baixa e média renda.

LONDRES, 16 de junho de 2022 /PRNewswire/ -- A expansão do acesso à Internet móvel em países de baixa e média renda (PBRMs) continua em ritmo acelerado, mas corre o risco de deixar as mulheres mais para trás, de acordo com nova análise publicada hoje pela GSMA.

O Mobile Gender Gap Report 2022 da GMSA mostra que, após anos de progresso em relação à igualdade de inclusão digital das mulheres em todos os PBRMs, apenas 59 milhões de mulheres adicionais começaram a usar a internet móvel em 2021 nesses países em comparação com 110 milhões em 2020.

Essa recente desaceleração na taxa de crescimento na qual as mulheres estão adotando a internet móvel nos PBRMs contrasta com as altas taxas de crescimento contínuas para os homens. É a primeira vez que os dados da GSMA registraram uma tendência tão negativa.

Nos PBRMs, o relatório mostra que a lacuna de gênero da Internet móvel reduziu a cada ano desde 2017 a 2020 de 25% para 15%. Entretanto, os dados da GSMA de 2021 sugerem que este impulso perdeu força. As mulheres são agora 16% menos propensas que os homens a usar a Internet móvel, o que equivale a 264 milhões a menos de mulheres do que homens usando a Internet móvel.

No sul da Ásia, tradicionalmente a região com a maior disparidade de gênero em dispositivos móveis, esse ressalto tem sido ainda mais acentuado. A lacuna de gênero da Internet móvel foi reduzido significativamente de 67% em 2017 para 36% em 2020, mas agora aumentou para 41%.

O diretor geral do GSMA, Mats Granryd, disse: "Por décadas, a Internet móvel vem transformando a vida de mulheres em todo o mundo, especialmente em países de baixa e média renda. Porém, as estatísticas preocupantes em nosso Mobile Gender Gap Report 2022 mostram que muito mais precisa ser feito para evitar que as mulheres sejam deixadas para trás na economia digital. Instituições, corporações e governos em todo o mundo precisam se concentrar na importância da inclusão e buscar combater tais desigualdades ativamente. A GSMA está empenhada em trabalhar com operadoras móveis e partes interessadas governamentais para abordar essa tendência negativa e garantir que as mulheres não percam o poder transformador da tecnologia móvel, onde quer que vivam no mundo."

Esses resultados são particularmente significativos, uma vez que o celular continua sendo a principal maneira que as mulheres acessam a internet nos PBRMs e os benefícios da conectividade à Internet podem ser transformadores. Em particular, a pandemia da COVID-19 demonstrou a importância dos celulares como uma ferramenta valiosa para ajudar as mulheres a acessar informações sobre saúde, permanecer ligadas às suas famílias durante as quarentenas, continuar a gerar oportunidades de renda e acessar o apoio governamental.

Ação do setor 

A GSMA apresentou a iniciativa Connected Women Commitment em 2016 para catalisar ações para eliminar a lacuna de gênero meio digital móvel. Ao longo desse período, mais de 40 operadoras móveis na África, Ásia e América Latina assumiram compromissos formais para acelerar a inclusão digital e financeira das mulheres. Essas operadoras já alcançaram mais de 55 milhões de mulheres com Internet móvel ou serviços de dinheiro móvel.

No entanto, as operadoras de telefonia móvel não podem trabalhar isoladamente. A lacuna de gênero na Internet móvel é um problema global significativo que exige a atenção de todas as partes interessadas para garantir que as mulheres e suas famílias possam usufruir de todos os benefícios da conectividade. No total, atualmente apenas 60% das mulheres dos PBRMs utilizam a Internet móvel em comparação com 71% dos homens.

O relatório anual Mobile Gender Gap da GMSA é financiado pelo Foreign, Commonwealth and Development Office (FCDO) do Reino Unido e pela Swedish International Development Cooperation Agency (Sida) por meio da GSMA Mobile for Development Foundation. Ele desempenha um papel importante no dimensionamento da lacuna de gênero móvel e na geração de dados regionais e nacionais para chamar a atenção para essa questão, além de fornecer evidências importantes para fundamentar as ações das partes interessadas.

Os resultados desse ano demonstram a importância de continuar a coletar dados para entender o problema e abordar as principais barreiras que impedem que as mulheres acessem e se beneficiem da Internet móvel, incluindo acessibilidade, habilidades digitais e normas sociais que limitam o acesso e o uso de tecnologias móveis pelas mulheres.

E somente com a ação conjunta e a colaboração de diferentes partes interessadas que podemos realmente acelerar o progresso nessa questão e garantir que as desigualdades de gênero não fiquem mais exacerbadas.

O relatório Mobile Gender Gap Report 2022 da GSMA está disponível em: https://www.gsma.com/r/gender-gap/

Mais informações sobre a Connected Women Commitment Initiative podem ser encontradas em: https://www.gsma.com/mobilefordevelopment/connected-women/the-commitment/

Sobre a GSMA 

A GSMA é uma organização global que unifica o ecossistema móvel para descobrir, desenvolver e fornecer inovação fundamental para ambientes de negócios positivos e mudanças sociais. Nossa visão é liberar todo o poder da conectividade para que as pessoas, o setor e a sociedade prosperem. Ao representar operadoras e organizações móveis em todo o ecossistema móvel e setores adjacentes, a GSMA oferece aos seus membros três grandes pilares: Conectividade para o Bem, Serviços e Soluções do Setor e Alcance. Essa atividade inclui o avanço da política, o enfrentamento dos maiores desafios sociais de hoje, a sustentação da tecnologia e da interoperabilidade que fazem o sistema móvel funcionar e fornecer a maior plataforma do mundo para reunir o ecossistema móvel nas séries de eventos MWC e M360.

Convidamos você a conhecer mais em gsma.com

Sobre o Connected Women da GMSA 

O programa Connected Women da GSMA trabalha com operadoras de telefonia móvel e seus parceiros para abordar as barreiras para que as mulheres acessem e utilizem a internet móvel e os serviços de dinheiro móvel. O Connected Women tem como objetivo reduzir a lacuna de gênero na Internet móvel e nos serviços de dinheiro móvel e desbloquear oportunidades comerciais significativas para o setor móvel e benefícios socioeconômicos para as mulheres.

Esse relatório é o resultado de um projeto da GSMA Mobile for Development Foundation financiado pelo Foreign, Commonwealth and Development Office (FCDO) do Reino Unido e pela Swedish International Development Cooperation Agency (Sida). As opiniões expressas não são necessariamente as de nenhuma das organizações.

Para mais informações, acesse:www.gsma.com/connectedwomen

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1839800/GSMA.jpg

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1385555/GSMA_Logo.jpg

FONTE GSMA

Novo relatório mostra uma desaceleração preocupante na inclusão digital das mulheres em países de baixa e média renda.

LONDRES, 16 de junho de 2022 /PRNewswire/ -- A expansão do acesso à Internet móvel em países de baixa e média renda (PBRMs) continua em ritmo acelerado, mas corre o risco de deixar as mulheres mais para trás, de acordo com nova análise publicada hoje pela GSMA.

O Mobile Gender Gap Report 2022 da GMSA mostra que, após anos de progresso em relação à igualdade de inclusão digital das mulheres em todos os PBRMs, apenas 59 milhões de mulheres adicionais começaram a usar a internet móvel em 2021 nesses países em comparação com 110 milhões em 2020.

Essa recente desaceleração na taxa de crescimento na qual as mulheres estão adotando a internet móvel nos PBRMs contrasta com as altas taxas de crescimento contínuas para os homens. É a primeira vez que os dados da GSMA registraram uma tendência tão negativa.

Nos PBRMs, o relatório mostra que a lacuna de gênero da Internet móvel reduziu a cada ano desde 2017 a 2020 de 25% para 15%. Entretanto, os dados da GSMA de 2021 sugerem que este impulso perdeu força. As mulheres são agora 16% menos propensas que os homens a usar a Internet móvel, o que equivale a 264 milhões a menos de mulheres do que homens usando a Internet móvel.

No sul da Ásia, tradicionalmente a região com a maior disparidade de gênero em dispositivos móveis, esse ressalto tem sido ainda mais acentuado. A lacuna de gênero da Internet móvel foi reduzido significativamente de 67% em 2017 para 36% em 2020, mas agora aumentou para 41%.

O diretor geral do GSMA, Mats Granryd, disse: "Por décadas, a Internet móvel vem transformando a vida de mulheres em todo o mundo, especialmente em países de baixa e média renda. Porém, as estatísticas preocupantes em nosso Mobile Gender Gap Report 2022 mostram que muito mais precisa ser feito para evitar que as mulheres sejam deixadas para trás na economia digital. Instituições, corporações e governos em todo o mundo precisam se concentrar na importância da inclusão e buscar combater tais desigualdades ativamente. A GSMA está empenhada em trabalhar com operadoras móveis e partes interessadas governamentais para abordar essa tendência negativa e garantir que as mulheres não percam o poder transformador da tecnologia móvel, onde quer que vivam no mundo."

Esses resultados são particularmente significativos, uma vez que o celular continua sendo a principal maneira que as mulheres acessam a internet nos PBRMs e os benefícios da conectividade à Internet podem ser transformadores. Em particular, a pandemia da COVID-19 demonstrou a importância dos celulares como uma ferramenta valiosa para ajudar as mulheres a acessar informações sobre saúde, permanecer ligadas às suas famílias durante as quarentenas, continuar a gerar oportunidades de renda e acessar o apoio governamental.

Ação do setor 

A GSMA apresentou a iniciativa Connected Women Commitment em 2016 para catalisar ações para eliminar a lacuna de gênero meio digital móvel. Ao longo desse período, mais de 40 operadoras móveis na África, Ásia e América Latina assumiram compromissos formais para acelerar a inclusão digital e financeira das mulheres. Essas operadoras já alcançaram mais de 55 milhões de mulheres com Internet móvel ou serviços de dinheiro móvel.

No entanto, as operadoras de telefonia móvel não podem trabalhar isoladamente. A lacuna de gênero na Internet móvel é um problema global significativo que exige a atenção de todas as partes interessadas para garantir que as mulheres e suas famílias possam usufruir de todos os benefícios da conectividade. No total, atualmente apenas 60% das mulheres dos PBRMs utilizam a Internet móvel em comparação com 71% dos homens.

O relatório anual Mobile Gender Gap da GMSA é financiado pelo Foreign, Commonwealth and Development Office (FCDO) do Reino Unido e pela Swedish International Development Cooperation Agency (Sida) por meio da GSMA Mobile for Development Foundation. Ele desempenha um papel importante no dimensionamento da lacuna de gênero móvel e na geração de dados regionais e nacionais para chamar a atenção para essa questão, além de fornecer evidências importantes para fundamentar as ações das partes interessadas.

Os resultados desse ano demonstram a importância de continuar a coletar dados para entender o problema e abordar as principais barreiras que impedem que as mulheres acessem e se beneficiem da Internet móvel, incluindo acessibilidade, habilidades digitais e normas sociais que limitam o acesso e o uso de tecnologias móveis pelas mulheres.

E somente com a ação conjunta e a colaboração de diferentes partes interessadas que podemos realmente acelerar o progresso nessa questão e garantir que as desigualdades de gênero não fiquem mais exacerbadas.

O relatório Mobile Gender Gap Report 2022 da GSMA está disponível em: https://www.gsma.com/r/gender-gap/

Mais informações sobre a Connected Women Commitment Initiative podem ser encontradas em: https://www.gsma.com/mobilefordevelopment/connected-women/the-commitment/

Sobre a GSMA 

A GSMA é uma organização global que unifica o ecossistema móvel para descobrir, desenvolver e fornecer inovação fundamental para ambientes de negócios positivos e mudanças sociais. Nossa visão é liberar todo o poder da conectividade para que as pessoas, o setor e a sociedade prosperem. Ao representar operadoras e organizações móveis em todo o ecossistema móvel e setores adjacentes, a GSMA oferece aos seus membros três grandes pilares: Conectividade para o Bem, Serviços e Soluções do Setor e Alcance. Essa atividade inclui o avanço da política, o enfrentamento dos maiores desafios sociais de hoje, a sustentação da tecnologia e da interoperabilidade que fazem o sistema móvel funcionar e fornecer a maior plataforma do mundo para reunir o ecossistema móvel nas séries de eventos MWC e M360.

Convidamos você a conhecer mais em gsma.com

Sobre o Connected Women da GMSA 

O programa Connected Women da GSMA trabalha com operadoras de telefonia móvel e seus parceiros para abordar as barreiras para que as mulheres acessem e utilizem a internet móvel e os serviços de dinheiro móvel. O Connected Women tem como objetivo reduzir a lacuna de gênero na Internet móvel e nos serviços de dinheiro móvel e desbloquear oportunidades comerciais significativas para o setor móvel e benefícios socioeconômicos para as mulheres.

Esse relatório é o resultado de um projeto da GSMA Mobile for Development Foundation financiado pelo Foreign, Commonwealth and Development Office (FCDO) do Reino Unido e pela Swedish International Development Cooperation Agency (Sida). As opiniões expressas não são necessariamente as de nenhuma das organizações.

Para mais informações, acesse:www.gsma.com/connectedwomen

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1839800/GSMA.jpg

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1385555/GSMA_Logo.jpg

FONTE GSMA

Você acabou de ler:

NOVOS DADOS DA GSMA SÃO UM ALERTA PARA O ABISMO DIGITAL DE GÊNERO

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/novos-dados-da-gsma-sao-um-alerta-para-o-abismo-digital-de-genero/