O número de mulheres que estudam na plataforma Platzi cresceu 156%, mas ainda há muito a ser feito para fechar a lacuna de gênero no setor de tecnologia

CIDADE DO MÉXICO, 9 de março de 2022 /PRNewswire/ -- Diminuir a lacuna de gênero digital é uma das formas de mais mulheres encontrarem melhores empregos e salários no setor de tecnologia. 

"Desde o início da pandemia, a porcentagem de participação das mulheres na educação on-line com foco no aprendizado de habilidades tecnológicas aumentou. Entretanto, comparando os dados do segundo ano da pandemia com os do ano anterior, ainda existe uma lacuna entre homens e mulheres que decidem aprender sobre tecnologia", disse Ingrid Zúñiga, diretora de comunicações da Platzi, a maior plataforma de educação profissional em língua espanhola. 

A comunidade de aprendizagem de tecnologia Platzi, que conta com mais de três milhões de alunos de língua espanhola, compartilhou dados sobre a participação das mulheres na aprendizagem de habilidades relacionadas com as carreiras do futuro.

  • A porcentagem de mulheres em relação aos homens que estudam tecnologia na Platzi aumentou 156% de janeiro de 2021 até hoje. 
  • Oitenta e três por cento das pessoas que estudam tecnologia são homens, e 17% são mulheres.

Alguns números impressionantes têm a ver com a baixa participação das mulheres em escolas relacionadas a empreendedorismo: na Escola de Startups, onde as pessoas aprendem a transformar uma ideia em um negócio escalável e é a primeira porta de entrada para o empreendedorismo relacionado à tecnologia, apenas 12% são mulheres. Isso explica o baixo número de mulheres fundadoras de startups na América Latina.

"O aumento das criptomoedas e as oportunidades de modelos de negócios no futuro próximo proporcionadas pela Web3 exigem uma maior participação das mulheres. São portas que se abrem para acelerar a presença das mulheres no setor financeiro", comentou Ingrid Zúñiga.

Entretanto, o número de mulheres que estudam liderança representa 15%, e as interessadas em aprender sobre criptomoedas e blockchain representam apenas 8,5%. "O desafio é como conseguir que mais mulheres aprendam sobre esta transformação financeira", acrescentou Zúñiga.

Outro fato relevante é que o curso com o maior percentual de mulheres é o Curso de Diversidade e Inclusão, que representa 27% do número total de alunos. Um curso que procura mostrar que é um dever construir com diferentes visões do mundo.



Apesar do fato de que há mais homens do que mulheres estudando tecnologia. Entre os dez cursos mais preferidos pelas mulheres, destacam-se os seguintes, e há uma forte predileção pelo aprendizado de habilidades comportamentais:

  • Curso de Programação e Desenvolvimento de Software.
  • Curso de Habilidades Comportamentais.
  • Curso de Desenvolvimento Web.
  • Curso de Marketing Digital.
  • Curso de Publicidade Digital.
  • Curso de Administração de Empresas.
  • Curso de Ciência de Dados e Inteligência Artificial.
  • Curso de Comércio Eletrônico e Negócios Digitais.
  • Curso de Design de Produtos.
  • Curso de JavaScript.
  • Mentoria para mulheres:

    Para continuar a transpor estas lacunas digitais, a Platzi tem diferentes atividades. O evento Yes, You Can condensará a experiência de mentoria Platzi Master em um dia. Será dirigido somente a mulheres que queiram crescer profissionalmente no setor de desenvolvimento de software.

    Três convidadas que vivenciaram a experiência como estudantes e hoje fazem parte da equipe Platzi, Mariangélica Useche, Diana Martinez e Nazly Santos, terão sessões de live coding com diferentes focos: Frontend, Backend e Data.

    Haverá espaço para o compartilhamento de experiências e desafios que nossos especialistas enfrentaram em suas carreiras e como eles os superaram. O evento acontecerá no dia 24 de março, com pré-inscrições disponíveis a partir de 7 de março neste formulário. O evento será 100% remoto.



    À medida que a economia digital cresce, o mundo corporativo se transforma. Este é um quadro de ação para que as mulheres tenham acesso a maiores oportunidades sociais e econômicas por meio da educação, principalmente com o impulso do setor de EdTech. Na Platzi, trabalhamos ativamente para diminuir a lacuna digital de gênero, um dos maiores desafios da América Latina.

    Sobre a Platzi

    A educação, principalmente a especialização, nos mercados emergentes requer um impulso, esforço e tempo que muito poucas pessoas possuem. Em 2011, Freddy Vega e Christian Van Der Henst lançaram uma plataforma de ensino on-line chamada Mejorando.la. Dois anos depois, e com o objetivo de que seus cursos atingissem um nível mundial, criaram a Platzi e levaram o negócio para o Vale do Silício. Em dezembro de 2014, a Platzi foi uma das 114 startups escolhidas, entre 5.600 candidatas, pela Y Combinator para um programa de três meses de consultoria e investimento. A empresa foi a primeira de origem latina a ser admitida na Y Combinator. Em 2018, a Platzi ganhou o prêmio Ernst & Young Entrepreneurs como "Melhor Startup Edtech" e, nesse mesmo ano, a Foundation Capital a escolheu para injetar um investimento de seis milhões de dólares, para que ela se expandisse para importantes mercados como Espanha e Brasil e também ampliasse seu portfólio de ensino, agregando 20 cursos novos à plataforma a cada mês.

    Contato: 

    Ursula Moya

    +52-5514840257

    ursula@eurekandco.com

    Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1762507/Mujeres_Platzi.jpg

     

    FONTE Platzi

    CIDADE DO MÉXICO, 9 de março de 2022 /PRNewswire/ -- Diminuir a lacuna de gênero digital é uma das formas de mais mulheres encontrarem melhores empregos e salários no setor de tecnologia. 

    "Desde o início da pandemia, a porcentagem de participação das mulheres na educação on-line com foco no aprendizado de habilidades tecnológicas aumentou. Entretanto, comparando os dados do segundo ano da pandemia com os do ano anterior, ainda existe uma lacuna entre homens e mulheres que decidem aprender sobre tecnologia", disse Ingrid Zúñiga, diretora de comunicações da Platzi, a maior plataforma de educação profissional em língua espanhola. 

    A comunidade de aprendizagem de tecnologia Platzi, que conta com mais de três milhões de alunos de língua espanhola, compartilhou dados sobre a participação das mulheres na aprendizagem de habilidades relacionadas com as carreiras do futuro.

    • A porcentagem de mulheres em relação aos homens que estudam tecnologia na Platzi aumentou 156% de janeiro de 2021 até hoje. 
    • Oitenta e três por cento das pessoas que estudam tecnologia são homens, e 17% são mulheres.

    Alguns números impressionantes têm a ver com a baixa participação das mulheres em escolas relacionadas a empreendedorismo: na Escola de Startups, onde as pessoas aprendem a transformar uma ideia em um negócio escalável e é a primeira porta de entrada para o empreendedorismo relacionado à tecnologia, apenas 12% são mulheres. Isso explica o baixo número de mulheres fundadoras de startups na América Latina.

    "O aumento das criptomoedas e as oportunidades de modelos de negócios no futuro próximo proporcionadas pela Web3 exigem uma maior participação das mulheres. São portas que se abrem para acelerar a presença das mulheres no setor financeiro", comentou Ingrid Zúñiga.

    Entretanto, o número de mulheres que estudam liderança representa 15%, e as interessadas em aprender sobre criptomoedas e blockchain representam apenas 8,5%. "O desafio é como conseguir que mais mulheres aprendam sobre esta transformação financeira", acrescentou Zúñiga.

    Outro fato relevante é que o curso com o maior percentual de mulheres é o Curso de Diversidade e Inclusão, que representa 27% do número total de alunos. Um curso que procura mostrar que é um dever construir com diferentes visões do mundo.



    Apesar do fato de que há mais homens do que mulheres estudando tecnologia. Entre os dez cursos mais preferidos pelas mulheres, destacam-se os seguintes, e há uma forte predileção pelo aprendizado de habilidades comportamentais:

  • Curso de Programação e Desenvolvimento de Software.
  • Curso de Habilidades Comportamentais.
  • Curso de Desenvolvimento Web.
  • Curso de Marketing Digital.
  • Curso de Publicidade Digital.
  • Curso de Administração de Empresas.
  • Curso de Ciência de Dados e Inteligência Artificial.
  • Curso de Comércio Eletrônico e Negócios Digitais.
  • Curso de Design de Produtos.
  • Curso de JavaScript.
  • Mentoria para mulheres:

    Para continuar a transpor estas lacunas digitais, a Platzi tem diferentes atividades. O evento Yes, You Can condensará a experiência de mentoria Platzi Master em um dia. Será dirigido somente a mulheres que queiram crescer profissionalmente no setor de desenvolvimento de software.

    Três convidadas que vivenciaram a experiência como estudantes e hoje fazem parte da equipe Platzi, Mariangélica Useche, Diana Martinez e Nazly Santos, terão sessões de live coding com diferentes focos: Frontend, Backend e Data.

    Haverá espaço para o compartilhamento de experiências e desafios que nossos especialistas enfrentaram em suas carreiras e como eles os superaram. O evento acontecerá no dia 24 de março, com pré-inscrições disponíveis a partir de 7 de março neste formulário. O evento será 100% remoto.



    À medida que a economia digital cresce, o mundo corporativo se transforma. Este é um quadro de ação para que as mulheres tenham acesso a maiores oportunidades sociais e econômicas por meio da educação, principalmente com o impulso do setor de EdTech. Na Platzi, trabalhamos ativamente para diminuir a lacuna digital de gênero, um dos maiores desafios da América Latina.

    Sobre a Platzi

    A educação, principalmente a especialização, nos mercados emergentes requer um impulso, esforço e tempo que muito poucas pessoas possuem. Em 2011, Freddy Vega e Christian Van Der Henst lançaram uma plataforma de ensino on-line chamada Mejorando.la. Dois anos depois, e com o objetivo de que seus cursos atingissem um nível mundial, criaram a Platzi e levaram o negócio para o Vale do Silício. Em dezembro de 2014, a Platzi foi uma das 114 startups escolhidas, entre 5.600 candidatas, pela Y Combinator para um programa de três meses de consultoria e investimento. A empresa foi a primeira de origem latina a ser admitida na Y Combinator. Em 2018, a Platzi ganhou o prêmio Ernst & Young Entrepreneurs como "Melhor Startup Edtech" e, nesse mesmo ano, a Foundation Capital a escolheu para injetar um investimento de seis milhões de dólares, para que ela se expandisse para importantes mercados como Espanha e Brasil e também ampliasse seu portfólio de ensino, agregando 20 cursos novos à plataforma a cada mês.

    Contato: 

    Ursula Moya

    +52-5514840257

    ursula@eurekandco.com

    Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1762507/Mujeres_Platzi.jpg

     

    FONTE Platzi

    Você acabou de ler:

    O número de mulheres que estudam na plataforma Platzi cresceu 156%, mas ainda há muito a ser feito para fechar a lacuna de gênero no setor de tecnologia

    Compartilhe

    https://prnewswire.com.br/releases/o-numero-de-mulheres-que-estudam-na-plataforma-platzi-cresceu-156-mas-ainda-ha-muito-a-ser-feito-para-fechar-a-lacuna-de-genero-no-setor-de-tecnologia/