O trabalho híbrido contínuo aumenta a produtividade, mas aumenta a pressão sobre os trabalhadores e os líderes, segundo as pesquisas do Adecco Group

O normal agora é híbrido, e essa maneira de trabalhar pode forçar um repensar fundamental em como avaliar e gerenciar o desempenho dos trabalhadores

ZURIQUE, 2 de setembro de 2021 /PRNewswire/ --

  • Globalmente, 53% dos trabalhadores querem um modelo de trabalho híbrido, no qual mais da metade do tempo gasto no trabalho seja de forma remota
  • A produtividade sobreviveu à mudança, com 82% considerando a mudança tão produtiva ou até mais do que antes
  • As longas horas aumentaram 14% no ano passado, com mais da metade dos jovens líderes relatando que sofreram esgotamento
  • Um número maior (73%) de trabalhadores e líderes desejam ser avaliados por resultados em vez de horas, enquanto apenas 36% dos gestores avaliam o desempenho com base nos resultados
  • A satisfação com a liderança é baixa e há uma crescente desconexão com os funcionários; apenas um terço dos não gestores acha que está recebendo o reconhecimento devido na empresa
  • A ansiedade sobre o retorno ao escritório é mais alta na Austrália (53%), seguida de perto pelo Reino Unido (52%) e pelo Canadá (51%).

A pandemia da COVID-19 continua a moldar nossas práticas de trabalho e atitude em relação ao trabalho, com trabalhadores e líderes revindicando mudanças contínuas e permanentes sobre as condições e locais de trabalho, além dos métodos de avaliação de desempenho, segundo as novas pesquisas.

O Adecco Group, a empresa líder mundial em soluções de RH, divulgou hoje os resultados de seu mais recente e abrangente estudo global, Resetting Normal: Definind the New Era of Work, que examina como as atitudes em relação ao trabalho mudaram ao longo de 12 meses e destaca as principais questões às quais as empresas devem conseguir se adaptar com sucesso neste período de transição. Um ano após a pandemia ter mudado a forma como trabalhamos para sempre, este relatório se baseia na pesquisa do grupo de 2020, com foco na perspectiva de 2021 e além, e expande a pesquisa para incluir 25 países e 15 mil entrevistados que trabalham em escritórios em todo o mundo.

O CEO do Adecco Group, Alain Dehaze, disse: "para aqueles que não estão obrigados a estar fisicamente presentes para realizar seu trabalho, é óbvio que nunca voltaremos ao escritório da mesma forma e que o futuro do trabalho é flexível. A pandemia acelerou as tendências existentes a ponto de não serem ignoradas, e o sucesso futuro depende de indivíduos e líderes se adaptarem a elas. 

Nossa pesquisa mostra claramente que "um tamanho só não serve para todos" quando se trata de atender às necessidades dos funcionários, e estamos cada vez mais vendo uma liderança em dificuldade para equilibrar o trabalho remoto e cuidar de suas equipes. Agora é a hora de começar a preencher essa lacuna, desenvolvendo e equipando líderes e trabalhadores com as habilidades e capacidades de que eles precisam para reacender a motivação e construir uma cultura corporativa coesa que mantenha e desenvolva uma força de trabalho bem-sucedida, resiliente e saudável. Não se trata mais de um "recomendável ter..."; é onde a batalha por talentos acontecerá. As empresas que estiverem aptas e dispostas a reconhecer e lidar com esses problemas irão prosperar, e as empresas que não estiverem dispostas podem ser deixadas para trás.

Graças aos insights da implementação de nossa própria estratégia Future@Work, juntamente com nosso escopo mundial, o Adecco Group está bem posicionado para desenvolver e implementar soluções para essas oportunidades e desafios dinâmicos."

Principais destaques da pesquisa: 

O trabalho híbrido está aqui para ficar, mas a flexibilidade é fundamental 

A pesquisa revela que uma grande proporção (53%) dos trabalhadores em todo o mundo quer um modelo de trabalho híbrido, no qual pelo menos metade de seu tempo gasto seja remoto, com uma grande proporção de trabalhadores (71%) agora tendo equipamentos em casa que permitam um trabalho remoto eficaz. Os últimos 18 meses comprovam que o trabalho remoto não vem com perda de produtividade, e que uma forma mais inclusiva e flexível de trabalhar é possível. Mais de três quartos dos trabalhadores querem manter a flexibilidade sobre seus próprios horários quando retornarem aos escritórios, mas em seus próprios termos. Isso é uma tendência maior para as pessoas de gerações mais novas e pais, que desejam passar mais tempo no escritório, nas quais aquelas que têm filhos querendo estar mais no escritório (51%) em relação às pessoas que não estão nessas condições (42%).

Produtividade e orientação a resultados 

Embora muitos tenham se beneficiado do trabalho híbrido, nem todos tiveram uma experiência positiva. Questões sobre a duração da semana de trabalho devem ser abordadas, uma vez que o futuro permanece flexível, com a menção de longas jornadas aumentando 14% no ano passado e mais da metade dos trabalhadores (57%) afirmando que poderiam fazer o mesmo trabalho em menos de 40 horas. Mais (73%) trabalhadores e líderes estão reivindicando para serem avaliados pelos resultados e desempenho em vez de pelas horas dedicadas ao trabalho, uma tendência que já era forte em 2020.

Saúde mental insatisfatória destacada como problema que está surgindo repentinamente 

O relatório também revela que estamos correndo o risco de perder uma nova geração de líderes - com mais da metade dos jovens líderes (54%) sofrendo de esgotamento e três em cada dez trabalhadores afirmando que sua saúde mental e física diminuiu nos últimos 12 meses. As empresas devem reavaliar como podem oferecer melhor suporte e recursos de bem-estar aos seus funcionários dentro do novo modelo de trabalho híbrido, com 67% dos não gestores afirmando que os líderes não atendem às suas expectativas em relação a verificar seu bem-estar mental.

O déficit de liderança 

De natureza semelhante, existe uma grande desconexão entre as visões da gestão sobre o seu próprio desempenho e a opinião de seus funcionários. A satisfação com a liderança é baixa, com apenas um terço dos não gestores sentindo que estão obtendo o devido reconhecimento dentro da empresa, e apenas metade de todos os trabalhadores disse que seus gerentes atenderam ou superaram as expectativas por incentivar uma boa cultura de trabalho (48%) ou ajudar a apoiar seu equilíbrio entre trabalho/vida pessoal (50%). Isso é particularmente forte na Europa Ocidental e no Japão, cuja satisfação com a liderança sênior é mais baixa.

Pedidos de demissão em massa? S inais de alerta para empresas à medida que os funcionários reavaliam suas carreiras

Por fim, os resultados destacaram que, com a motivação e o engajamento em baixa, menos da metade está satisfeita com as perspectivas de carreira em sua empresa, cerca de duas em cada cinco pessoas estão mudando ou considerando novas carreiras e 41% estão considerando mudar para empregos com opções de trabalho mais flexíveis. O "grande número de pedidos de demissão" ainda não é evidente, mas chegou a hora de as empresas se reconectarem com suas forças de trabalho. Além disso, dois terços dos trabalhadores estão confiantes de que as empresas começarão a contratar de forma significativa novamente, com segurança, disposição, cultura, bem-estar e desenvolvimento os aspectos mais importantes do trabalho para o futuro.

Para mais informações: 

  • Baixe o documento técnico Resetting Normal: Defining the New Era of Work aqui.
  • Siga-nos no LinkedIn e Twitter #ResettingNormal para obter mais novidades 

Sobre o Adecco Group

O Adecco Group é a empresa líder mundial em consultoria e soluções de talentos. Acreditamos em fazer o futuro funcionar para todos e possibilitamos mais de 3,5 milhões de carreiras todos os dias.

Capacitamos, desenvolvemos e contratamos talentos em 60 países, permitindo que as empresas abracem o futuro do trabalho. Como uma empresa listada na Fortune Global 500, lideramos pelo exemplo, criando valor compartilhado que alimenta as economias e desenvolve sociedades melhores.

Nossa cultura de inclusão, empreendedorismo e trabalho em equipe capacita nossos 30 mil funcionários. Estamos orgulhosos de ter sido consistentemente classificados como um dos "Melhores locais de trabalho do mundo" pela Great Place to Work®.

O Adecco Group AG está sediado em Zurique, Suíça (ISIN: CH0012138605) e está listado na SIX Swiss Exchange (ADEN). O grupo conta com três unidades de negócios globais: Adecco, Talent Solutions e Modis.

adeccogroup.com | Facebook: facebook.com/theadeccogroup | Twitter: @AdeccoGroup

 

 

FONTE The Adecco Group

O normal agora é híbrido, e essa maneira de trabalhar pode forçar um repensar fundamental em como avaliar e gerenciar o desempenho dos trabalhadores

ZURIQUE, 2 de setembro de 2021 /PRNewswire/ --

  • Globalmente, 53% dos trabalhadores querem um modelo de trabalho híbrido, no qual mais da metade do tempo gasto no trabalho seja de forma remota
  • A produtividade sobreviveu à mudança, com 82% considerando a mudança tão produtiva ou até mais do que antes
  • As longas horas aumentaram 14% no ano passado, com mais da metade dos jovens líderes relatando que sofreram esgotamento
  • Um número maior (73%) de trabalhadores e líderes desejam ser avaliados por resultados em vez de horas, enquanto apenas 36% dos gestores avaliam o desempenho com base nos resultados
  • A satisfação com a liderança é baixa e há uma crescente desconexão com os funcionários; apenas um terço dos não gestores acha que está recebendo o reconhecimento devido na empresa
  • A ansiedade sobre o retorno ao escritório é mais alta na Austrália (53%), seguida de perto pelo Reino Unido (52%) e pelo Canadá (51%).

A pandemia da COVID-19 continua a moldar nossas práticas de trabalho e atitude em relação ao trabalho, com trabalhadores e líderes revindicando mudanças contínuas e permanentes sobre as condições e locais de trabalho, além dos métodos de avaliação de desempenho, segundo as novas pesquisas.

O Adecco Group, a empresa líder mundial em soluções de RH, divulgou hoje os resultados de seu mais recente e abrangente estudo global, Resetting Normal: Definind the New Era of Work, que examina como as atitudes em relação ao trabalho mudaram ao longo de 12 meses e destaca as principais questões às quais as empresas devem conseguir se adaptar com sucesso neste período de transição. Um ano após a pandemia ter mudado a forma como trabalhamos para sempre, este relatório se baseia na pesquisa do grupo de 2020, com foco na perspectiva de 2021 e além, e expande a pesquisa para incluir 25 países e 15 mil entrevistados que trabalham em escritórios em todo o mundo.

O CEO do Adecco Group, Alain Dehaze, disse: "para aqueles que não estão obrigados a estar fisicamente presentes para realizar seu trabalho, é óbvio que nunca voltaremos ao escritório da mesma forma e que o futuro do trabalho é flexível. A pandemia acelerou as tendências existentes a ponto de não serem ignoradas, e o sucesso futuro depende de indivíduos e líderes se adaptarem a elas. 

Nossa pesquisa mostra claramente que "um tamanho só não serve para todos" quando se trata de atender às necessidades dos funcionários, e estamos cada vez mais vendo uma liderança em dificuldade para equilibrar o trabalho remoto e cuidar de suas equipes. Agora é a hora de começar a preencher essa lacuna, desenvolvendo e equipando líderes e trabalhadores com as habilidades e capacidades de que eles precisam para reacender a motivação e construir uma cultura corporativa coesa que mantenha e desenvolva uma força de trabalho bem-sucedida, resiliente e saudável. Não se trata mais de um "recomendável ter..."; é onde a batalha por talentos acontecerá. As empresas que estiverem aptas e dispostas a reconhecer e lidar com esses problemas irão prosperar, e as empresas que não estiverem dispostas podem ser deixadas para trás.

Graças aos insights da implementação de nossa própria estratégia Future@Work, juntamente com nosso escopo mundial, o Adecco Group está bem posicionado para desenvolver e implementar soluções para essas oportunidades e desafios dinâmicos."

Principais destaques da pesquisa: 

O trabalho híbrido está aqui para ficar, mas a flexibilidade é fundamental 

A pesquisa revela que uma grande proporção (53%) dos trabalhadores em todo o mundo quer um modelo de trabalho híbrido, no qual pelo menos metade de seu tempo gasto seja remoto, com uma grande proporção de trabalhadores (71%) agora tendo equipamentos em casa que permitam um trabalho remoto eficaz. Os últimos 18 meses comprovam que o trabalho remoto não vem com perda de produtividade, e que uma forma mais inclusiva e flexível de trabalhar é possível. Mais de três quartos dos trabalhadores querem manter a flexibilidade sobre seus próprios horários quando retornarem aos escritórios, mas em seus próprios termos. Isso é uma tendência maior para as pessoas de gerações mais novas e pais, que desejam passar mais tempo no escritório, nas quais aquelas que têm filhos querendo estar mais no escritório (51%) em relação às pessoas que não estão nessas condições (42%).

Produtividade e orientação a resultados 

Embora muitos tenham se beneficiado do trabalho híbrido, nem todos tiveram uma experiência positiva. Questões sobre a duração da semana de trabalho devem ser abordadas, uma vez que o futuro permanece flexível, com a menção de longas jornadas aumentando 14% no ano passado e mais da metade dos trabalhadores (57%) afirmando que poderiam fazer o mesmo trabalho em menos de 40 horas. Mais (73%) trabalhadores e líderes estão reivindicando para serem avaliados pelos resultados e desempenho em vez de pelas horas dedicadas ao trabalho, uma tendência que já era forte em 2020.

Saúde mental insatisfatória destacada como problema que está surgindo repentinamente 

O relatório também revela que estamos correndo o risco de perder uma nova geração de líderes - com mais da metade dos jovens líderes (54%) sofrendo de esgotamento e três em cada dez trabalhadores afirmando que sua saúde mental e física diminuiu nos últimos 12 meses. As empresas devem reavaliar como podem oferecer melhor suporte e recursos de bem-estar aos seus funcionários dentro do novo modelo de trabalho híbrido, com 67% dos não gestores afirmando que os líderes não atendem às suas expectativas em relação a verificar seu bem-estar mental.

O déficit de liderança 

De natureza semelhante, existe uma grande desconexão entre as visões da gestão sobre o seu próprio desempenho e a opinião de seus funcionários. A satisfação com a liderança é baixa, com apenas um terço dos não gestores sentindo que estão obtendo o devido reconhecimento dentro da empresa, e apenas metade de todos os trabalhadores disse que seus gerentes atenderam ou superaram as expectativas por incentivar uma boa cultura de trabalho (48%) ou ajudar a apoiar seu equilíbrio entre trabalho/vida pessoal (50%). Isso é particularmente forte na Europa Ocidental e no Japão, cuja satisfação com a liderança sênior é mais baixa.

Pedidos de demissão em massa? S inais de alerta para empresas à medida que os funcionários reavaliam suas carreiras

Por fim, os resultados destacaram que, com a motivação e o engajamento em baixa, menos da metade está satisfeita com as perspectivas de carreira em sua empresa, cerca de duas em cada cinco pessoas estão mudando ou considerando novas carreiras e 41% estão considerando mudar para empregos com opções de trabalho mais flexíveis. O "grande número de pedidos de demissão" ainda não é evidente, mas chegou a hora de as empresas se reconectarem com suas forças de trabalho. Além disso, dois terços dos trabalhadores estão confiantes de que as empresas começarão a contratar de forma significativa novamente, com segurança, disposição, cultura, bem-estar e desenvolvimento os aspectos mais importantes do trabalho para o futuro.

Para mais informações: 

  • Baixe o documento técnico Resetting Normal: Defining the New Era of Work aqui.
  • Siga-nos no LinkedIn e Twitter #ResettingNormal para obter mais novidades 

Sobre o Adecco Group

O Adecco Group é a empresa líder mundial em consultoria e soluções de talentos. Acreditamos em fazer o futuro funcionar para todos e possibilitamos mais de 3,5 milhões de carreiras todos os dias.

Capacitamos, desenvolvemos e contratamos talentos em 60 países, permitindo que as empresas abracem o futuro do trabalho. Como uma empresa listada na Fortune Global 500, lideramos pelo exemplo, criando valor compartilhado que alimenta as economias e desenvolve sociedades melhores.

Nossa cultura de inclusão, empreendedorismo e trabalho em equipe capacita nossos 30 mil funcionários. Estamos orgulhosos de ter sido consistentemente classificados como um dos "Melhores locais de trabalho do mundo" pela Great Place to Work®.

O Adecco Group AG está sediado em Zurique, Suíça (ISIN: CH0012138605) e está listado na SIX Swiss Exchange (ADEN). O grupo conta com três unidades de negócios globais: Adecco, Talent Solutions e Modis.

adeccogroup.com | Facebook: facebook.com/theadeccogroup | Twitter: @AdeccoGroup

 

 

FONTE The Adecco Group

Você acabou de ler:

O trabalho híbrido contínuo aumenta a produtividade, mas aumenta a pressão sobre os trabalhadores e os líderes, segundo as pesquisas do Adecco Group

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/o-trabalho-hibrido-continuo-aumenta-a-produtividade-mas-aumenta-a-pressao-sobre-os-trabalhadores-e-os-lideres-segundo-as-pesquisas-do-adecco-group/