O World Logistics Passport (Passaporte Logístico Mundial), WLP (PLM) recebe dez novos países na cúpula global inaugural

- Malásia, Quênia, Paraguai e Equador são os mais novos participantes do World Logistics Passport - Os novos associados seguem a Etiópia, Botsuana, Zimbábue, Moçambique, Burkina Faso e a Guiné, que aderiram no início de junho - Dez novos países elevam o número total representado na rede WLP para 23; o Aeroporto Internacional de Delhi, na Índia, e o SAAFF, na África do Sul, também se juntam como parceiros, fornecendo benefícios de traders de toda a rede WLP - Líderes de negócios globais e ministros da rede World Logistics Passport adotam uma declaração conjunta para acelerar o comércio global e a resiliência comercial, com o apoio do WLP

DUBAI, EAU, 9 de junho de 2021 /PRNewswire/ -- O World Logistics Passport (WLP), uma iniciativa global, liderada pelo setor privado e criada para agilizar o fluxo de comércio internacional e desbloquear acesso a mercados, hoje dá as boas-vindas a dez novos países em sua cúpula global inaugural.

Ocorrendo virtualmente às 16h GST, a cúpula receberá diretores executivos, autoridades governamentais e representantes dos principais órgãos de comércio internacional para promover a cooperação internacional, oferecendo às empresas as condições, informações e incentivos corretos para liberar todo o potencial do comércio global. Isso culminará na adesão de dez novos países ao programa e na declaração para adoção por todos os países membros do WLP participando.

Como o primeiro esquema de fidelidade de frete global do mundo, o WLP oferece aos membros acesso a três níveis de benefícios – prata, ouro e platina – fornecidos por uma gama de parceiros do WLP, incluindo autoridades aeroportuárias, operadores portuários, serviços alfandegários e outros, que ajudam a tornar as cadeias de suprimentos mais eficientes. Uma vez que o WLP esteja totalmente operacional em um país, membros do WLP, incluindo traders e agentes de carga, podem esperar por um aumento anual no comércio, em média, de 5 a 10%. O WLP é de acesso gratuito e está aberto a todos os países que atendam aos requisitos de entrada. 

O sultão Ahmed bin Sulayem, presidente do grupo e diretor executivo da DP World, disse: "A cúpula de hoje marca um ano excepcional para o World Logistics Passport, com o número de países neste clube de nações comerciais aumentando para 23 em apenas doze meses. O WLP está ajudando os países a expandir suas economias e criar empregos, facilitando o acesso a novos mercados e aumentando a resiliência da cadeia de suprimentos global no processo".

O WLP amplia seu alcance na África

A decisão da Kenyan International Freight and Warehousing Association (KIFWA) de se juntar ao WLP como o primeiro parceiro no Quênia estabelece as bases para o lançamento do país como um hub para a África Oriental. Com a melhoria das redes de infraestrutura e fortes laços comerciais na África Oriental e Central, o Quênia está bem posicionado para apoiar o envolvimento de empresas em toda a região, e o WLP continua a trabalhar com outros parceiros potenciais no Quênia, bem como associações de agentes de carga e câmaras de comércio em países vizinhos, para trazê-los à rede.

A South African Association of Freight Forwarders (SAAFF) também se juntou ao WLP como parceira. Isso ajudará a agilizar a operacionalização completa da África do Sul como um país-hub, através da capacidade da SAAFF de mobilizar os principais agentes de carga e empresas de logística do país para se juntarem como membros.

Esses dois eventos acompanham as notícias no início de junho, de que a Etiópia, Botsuana, Zimbábue, Moçambique, Burkina Faso e Guiné se juntaram ao WLP. Com os novos participantes do programa, os traders africanos e globais terão acesso mais fácil a rotas comerciais leste-oeste e também capitalizarão os principais centros comerciais em todo o sul e leste da África.

O WLP se expande na América Latina

Na América Latina, o Paraguai e o Equador agora poderão diversificar ainda mais suas exportações, acrescentando novos destinos internacionais para traders. O WLP abre novas rotas para as exportações do Paraguai, que atualmente vão principalmente para países vizinhos, ajudando o país a crescer como um importante fornecedor industrial para a região. Além de adicionar novos destinos para as commodities alimentícias do país, o WLP também ajudará o Paraguai a reduzir os custos de energia e mão de obra importadas. 

Fazer parte do WLP ajudará o Equador a atender ao potencial logístico do país, acelerar os programas de exportação em vigor, aumentar a presença global de seus principais produtos de exportação alimentícios, vegetais e derivados de peixe, e também aumentar as ligações comerciais com os principais hubs na região.

O porto de Johor, na Malásia, e o Aeroporto Internacional de Deli, na Índia, uniram-se ao WLP como novos parceiros estratégicos na Ásia

O WLP está fortalecendo sua presença na Ásia, ao adicionar novos parceiros na Índia e criar um hub WLP na Malásia.

O registro do Aeroporto Internacional de Deli, principal destino de frete aéreo da Índia, permitirá que os traders do país acelerem as exportações para várias partes do mundo. Nova Deli continua sendo uma cidade importante para as principais rotas de carga aérea entre a Ásia, com mais de um milhão de toneladas métricas de mercadorias transportadas para mais de 77 destinos internacionais.

A adição do porto de Johor como parceiro faz da Malásia um dos mais recentes hubs a se juntar ao WLP. O porto de Johor continua sendo uma parte essencial da infraestrutura de transporte pelo Estreito de Johor, e com distância de 45 quilômetros para o aeroporto de carga mais próximo, o porto tem o potencial de se tornar um hub para logística global.

A introdução desses dois novos parceiros ao WLP permitirá maior acesso a rotas comerciais na América Latina, África e Ásia, moldará fluxos comerciais resilientes e substanciais, ao mesmo tempo em que conduzirá a mudança para produtos manufaturados de alto valor e comércio multimodal contínuo.  

Os parceiros do WLP adotam uma declaração sobre o papel do WLP na construção de um ecossistema comercial resiliente e inclusivo, com o apoio de parceiros públicos e privados

A declaração, adotada por esses países e membros presentes na Cúpula Global do WLP, compromete-se a apoiar empresas globalmente por meio de esforços complementares aos já realizados por outras organizações internacionais. A declaração declara que as partes:

  • Concordam com a importância do comércio global para o crescimento econômico, resiliência e cooperação bilateral
  • Reconhecem os benefícios do WLP como uma iniciativa liderada pelo setor privado, ajudando as empresas a reduzir custos e tempo no comércio internacional
  • Proclamam que o WLP é inclusivo e aberto a todos os países e empresas que atendam aos requisitos mínimos
  • Reconhecem que o WLP é parte integrante da resposta econômica global para impulsionar o comércio internacional, diante da crise da COVID-19
  • Declaram que o WLP complementa iniciativas de outras organizações internacionais, como a OMA (Organização Mundial das Alfândegas (World Customs Organization, WCO)) e a Federação Internacional de Associações de Transitários (International Federation of Freight Forwarders Associations, FIATA)

Presidido por Sua Alteza Sheik Ahmed bin Saeed al Maktoum, presidente e diretor executivo do Emirates Group, a cúpula terá a participação de uma lista global de palestrantes e oradores, representando líderes dos setores público e privado, incluindo:

  • Amadou Hott, Ministro responsável pela Economia, Planejamento e Cooperação Internacional do Senegal
  • Marcelo Sampaio, Vice-ministro de Infraestrutura do Brasil
  • Bakhyt Sultanov, Ministro do Comércio e Integração do Cazaquistão
  • Dr. Thani Al Zeyoudi, Ministro de Estado do Comércio Exterior e Ministro encarregado da Atração e Retenção de Talentos no Ministério da Economia dos Emirados Árabes Unidos
  • Pranab Kumar Das, diretor de conformidade e facilitação da Organização Mundial das Alfândegas
  • Sanjiv Edward, diretor comercial do Aeroporto Internacional de Deli (Delhi International Airport, DIAL)
  • Elizabeth Getahun, diretor executivo da Panafric Global e presidente da Ethiopian Freight Forwarding and Shipping Agents Association
  • Bruno Guella, diretor administrativo do Aeroporto Livre de Montevidéu, Uruguai
  • Basil Pietersen, presidente, Federação Internacional de Associações de Transitários (FIATA)
  • O sultão Ahmed bin Sulayem, presidente do grupo e diretor executivo da DP World
  • Nabil Sultan, vice-presidente sênior de divisão da Emirates SkyCargo

Os líderes de discussão na cúpula também apresentarão dados novos e exclusivos do Índice global de resiliência de frete (Global Freight Resilience Index, GFRI). A análise, desenvolvida pela Whiteshield Partners, classifica os países com base em sua oportunidade de política e desempenho de frete.

Cingapura está no topo da classificação GFRI 2021, por cinco anos consecutivos, seguida pela Holanda e Dinamarca, em segundo e terceiro lugares, respectivamente. As dez principais posições na GFRI são novamente dominadas por países europeus, destacando a necessidade de programas como o WLP para atualizar capacidades e acelerar a resiliência de logística de longo prazo das nações e capacidades de negociação na América Latina, África e Ásia.

O Índice 2021 vem em um momento em que estamos aprendendo com a COVID-19, que testou sistemas de logística em 2020. Para responder às tendências e se preparar para interrupções, os formuladores de políticas podem aumentar a resiliência do frete investindo em inovação tecnológica, implementando políticas sustentáveis e promovendo o envolvimento de qualidade com o setor privado.

Para saber mais, acesse https://www.worldlogisticspassport.com/wlp-global-summit

Siga os canais sociais do WLP:

Twitter: @WLP_Logistics

LinkedIn: World Logistics Passport

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1527721/World_Logistics_Passport.jpg

FONTE World Logistics Passport

- Malásia, Quênia, Paraguai e Equador são os mais novos participantes do World Logistics Passport - Os novos associados seguem a Etiópia, Botsuana, Zimbábue, Moçambique, Burkina Faso e a Guiné, que aderiram no início de junho - Dez novos países elevam o número total representado na rede WLP para 23; o Aeroporto Internacional de Delhi, na Índia, e o SAAFF, na África do Sul, também se juntam como parceiros, fornecendo benefícios de traders de toda a rede WLP - Líderes de negócios globais e ministros da rede World Logistics Passport adotam uma declaração conjunta para acelerar o comércio global e a resiliência comercial, com o apoio do WLP

DUBAI, EAU, 9 de junho de 2021 /PRNewswire/ -- O World Logistics Passport (WLP), uma iniciativa global, liderada pelo setor privado e criada para agilizar o fluxo de comércio internacional e desbloquear acesso a mercados, hoje dá as boas-vindas a dez novos países em sua cúpula global inaugural.

Ocorrendo virtualmente às 16h GST, a cúpula receberá diretores executivos, autoridades governamentais e representantes dos principais órgãos de comércio internacional para promover a cooperação internacional, oferecendo às empresas as condições, informações e incentivos corretos para liberar todo o potencial do comércio global. Isso culminará na adesão de dez novos países ao programa e na declaração para adoção por todos os países membros do WLP participando.

Como o primeiro esquema de fidelidade de frete global do mundo, o WLP oferece aos membros acesso a três níveis de benefícios – prata, ouro e platina – fornecidos por uma gama de parceiros do WLP, incluindo autoridades aeroportuárias, operadores portuários, serviços alfandegários e outros, que ajudam a tornar as cadeias de suprimentos mais eficientes. Uma vez que o WLP esteja totalmente operacional em um país, membros do WLP, incluindo traders e agentes de carga, podem esperar por um aumento anual no comércio, em média, de 5 a 10%. O WLP é de acesso gratuito e está aberto a todos os países que atendam aos requisitos de entrada. 

O sultão Ahmed bin Sulayem, presidente do grupo e diretor executivo da DP World, disse: "A cúpula de hoje marca um ano excepcional para o World Logistics Passport, com o número de países neste clube de nações comerciais aumentando para 23 em apenas doze meses. O WLP está ajudando os países a expandir suas economias e criar empregos, facilitando o acesso a novos mercados e aumentando a resiliência da cadeia de suprimentos global no processo".

O WLP amplia seu alcance na África

A decisão da Kenyan International Freight and Warehousing Association (KIFWA) de se juntar ao WLP como o primeiro parceiro no Quênia estabelece as bases para o lançamento do país como um hub para a África Oriental. Com a melhoria das redes de infraestrutura e fortes laços comerciais na África Oriental e Central, o Quênia está bem posicionado para apoiar o envolvimento de empresas em toda a região, e o WLP continua a trabalhar com outros parceiros potenciais no Quênia, bem como associações de agentes de carga e câmaras de comércio em países vizinhos, para trazê-los à rede.

A South African Association of Freight Forwarders (SAAFF) também se juntou ao WLP como parceira. Isso ajudará a agilizar a operacionalização completa da África do Sul como um país-hub, através da capacidade da SAAFF de mobilizar os principais agentes de carga e empresas de logística do país para se juntarem como membros.

Esses dois eventos acompanham as notícias no início de junho, de que a Etiópia, Botsuana, Zimbábue, Moçambique, Burkina Faso e Guiné se juntaram ao WLP. Com os novos participantes do programa, os traders africanos e globais terão acesso mais fácil a rotas comerciais leste-oeste e também capitalizarão os principais centros comerciais em todo o sul e leste da África.

O WLP se expande na América Latina

Na América Latina, o Paraguai e o Equador agora poderão diversificar ainda mais suas exportações, acrescentando novos destinos internacionais para traders. O WLP abre novas rotas para as exportações do Paraguai, que atualmente vão principalmente para países vizinhos, ajudando o país a crescer como um importante fornecedor industrial para a região. Além de adicionar novos destinos para as commodities alimentícias do país, o WLP também ajudará o Paraguai a reduzir os custos de energia e mão de obra importadas. 

Fazer parte do WLP ajudará o Equador a atender ao potencial logístico do país, acelerar os programas de exportação em vigor, aumentar a presença global de seus principais produtos de exportação alimentícios, vegetais e derivados de peixe, e também aumentar as ligações comerciais com os principais hubs na região.

O porto de Johor, na Malásia, e o Aeroporto Internacional de Deli, na Índia, uniram-se ao WLP como novos parceiros estratégicos na Ásia

O WLP está fortalecendo sua presença na Ásia, ao adicionar novos parceiros na Índia e criar um hub WLP na Malásia.

O registro do Aeroporto Internacional de Deli, principal destino de frete aéreo da Índia, permitirá que os traders do país acelerem as exportações para várias partes do mundo. Nova Deli continua sendo uma cidade importante para as principais rotas de carga aérea entre a Ásia, com mais de um milhão de toneladas métricas de mercadorias transportadas para mais de 77 destinos internacionais.

A adição do porto de Johor como parceiro faz da Malásia um dos mais recentes hubs a se juntar ao WLP. O porto de Johor continua sendo uma parte essencial da infraestrutura de transporte pelo Estreito de Johor, e com distância de 45 quilômetros para o aeroporto de carga mais próximo, o porto tem o potencial de se tornar um hub para logística global.

A introdução desses dois novos parceiros ao WLP permitirá maior acesso a rotas comerciais na América Latina, África e Ásia, moldará fluxos comerciais resilientes e substanciais, ao mesmo tempo em que conduzirá a mudança para produtos manufaturados de alto valor e comércio multimodal contínuo.  

Os parceiros do WLP adotam uma declaração sobre o papel do WLP na construção de um ecossistema comercial resiliente e inclusivo, com o apoio de parceiros públicos e privados

A declaração, adotada por esses países e membros presentes na Cúpula Global do WLP, compromete-se a apoiar empresas globalmente por meio de esforços complementares aos já realizados por outras organizações internacionais. A declaração declara que as partes:

  • Concordam com a importância do comércio global para o crescimento econômico, resiliência e cooperação bilateral
  • Reconhecem os benefícios do WLP como uma iniciativa liderada pelo setor privado, ajudando as empresas a reduzir custos e tempo no comércio internacional
  • Proclamam que o WLP é inclusivo e aberto a todos os países e empresas que atendam aos requisitos mínimos
  • Reconhecem que o WLP é parte integrante da resposta econômica global para impulsionar o comércio internacional, diante da crise da COVID-19
  • Declaram que o WLP complementa iniciativas de outras organizações internacionais, como a OMA (Organização Mundial das Alfândegas (World Customs Organization, WCO)) e a Federação Internacional de Associações de Transitários (International Federation of Freight Forwarders Associations, FIATA)

Presidido por Sua Alteza Sheik Ahmed bin Saeed al Maktoum, presidente e diretor executivo do Emirates Group, a cúpula terá a participação de uma lista global de palestrantes e oradores, representando líderes dos setores público e privado, incluindo:

  • Amadou Hott, Ministro responsável pela Economia, Planejamento e Cooperação Internacional do Senegal
  • Marcelo Sampaio, Vice-ministro de Infraestrutura do Brasil
  • Bakhyt Sultanov, Ministro do Comércio e Integração do Cazaquistão
  • Dr. Thani Al Zeyoudi, Ministro de Estado do Comércio Exterior e Ministro encarregado da Atração e Retenção de Talentos no Ministério da Economia dos Emirados Árabes Unidos
  • Pranab Kumar Das, diretor de conformidade e facilitação da Organização Mundial das Alfândegas
  • Sanjiv Edward, diretor comercial do Aeroporto Internacional de Deli (Delhi International Airport, DIAL)
  • Elizabeth Getahun, diretor executivo da Panafric Global e presidente da Ethiopian Freight Forwarding and Shipping Agents Association
  • Bruno Guella, diretor administrativo do Aeroporto Livre de Montevidéu, Uruguai
  • Basil Pietersen, presidente, Federação Internacional de Associações de Transitários (FIATA)
  • O sultão Ahmed bin Sulayem, presidente do grupo e diretor executivo da DP World
  • Nabil Sultan, vice-presidente sênior de divisão da Emirates SkyCargo

Os líderes de discussão na cúpula também apresentarão dados novos e exclusivos do Índice global de resiliência de frete (Global Freight Resilience Index, GFRI). A análise, desenvolvida pela Whiteshield Partners, classifica os países com base em sua oportunidade de política e desempenho de frete.

Cingapura está no topo da classificação GFRI 2021, por cinco anos consecutivos, seguida pela Holanda e Dinamarca, em segundo e terceiro lugares, respectivamente. As dez principais posições na GFRI são novamente dominadas por países europeus, destacando a necessidade de programas como o WLP para atualizar capacidades e acelerar a resiliência de logística de longo prazo das nações e capacidades de negociação na América Latina, África e Ásia.

O Índice 2021 vem em um momento em que estamos aprendendo com a COVID-19, que testou sistemas de logística em 2020. Para responder às tendências e se preparar para interrupções, os formuladores de políticas podem aumentar a resiliência do frete investindo em inovação tecnológica, implementando políticas sustentáveis e promovendo o envolvimento de qualidade com o setor privado.

Para saber mais, acesse https://www.worldlogisticspassport.com/wlp-global-summit

Siga os canais sociais do WLP:

Twitter: @WLP_Logistics

LinkedIn: World Logistics Passport

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1527721/World_Logistics_Passport.jpg

FONTE World Logistics Passport

Você acabou de ler:

O World Logistics Passport (Passaporte Logístico Mundial), WLP (PLM) recebe dez novos países na cúpula global inaugural

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/o-world-logistics-passport-passaporte-logistico-mundial-wlp-plm-recebe-dez-novos-paises-na-cupula-global-inaugural/