Oil Insurance Limited (OIL) declara dividendo de US$ 250 milhões e modifica dois componentes do seu plano de classificação e prêmio

HAMILTON, Bermudas, 28 de março de 2019 /PRNewswire/ -- A OIL realizou sua Assembleia Geral Anual (AGM – Annual General Meeting) de Acionistas de 2019 na quinta-feira, 21 de março, no Hamilton Princess, nas Bermudas. Durante a assembleia, as demonstrações financeiras de 2018 foram revisadas e aprovadas, e diretores forem eleitos.

Em 2018, a OIL registrou uma perda de underwriting de US$ 404,6 milhões. Após as perdas líquidas de investimentos e despesas administrativas, o prejuízo líquido da OIL para o ano foi de US$ 675,6 milhões. Para obter mais informações sobre os resultados financeiros da OIL em 2018, visite www.oil.bm e confira nossas declarações financeiras auditadas. Após a revisão das demonstrações financeiras no encerramento do exercício, os acionistas aprovaram as demonstrações financeiras e a permanência da KPMG como firma de auditoria para o ano fiscal de 2019.

Durante a assembleia geral anual, a empresa informou também que o conselho de administração pagará um dividendo total de US$ 250 milhões a todos os acionistas registrados até 1o de janeiro de 2019, pagáveis até 30 de agosto de 2019.

Theodore Guidry II, presidente do conselho, explicou: "O conselho decidiu aprovar o dividendo de US$ 250 milhões depois de analisar cuidadosamente o plano plurianual de gestão de capital da empresa. Apesar dos resultados financeiros de 2018, o plano demonstra claramente que há capital disponível para pagar o dividendo sem prejudicar o capital nem a solidez da empresa. A nossa política continua sendo reembolsar o capital disponível aos acionistas, quando apropriado".

Por último, os acionistas aprovaram duas modificações ao acordo dos acionistas. A primeira decisão protege a empresa de futuras perdas potenciais de crédito. A partir de 2019, todos os acionistas deverão ter uma classificação de grau de investimento se desejarem escolher ou continuar escolhendo o Plano de Prêmio Retrospectivo que lhes permite adquirir retroativamente até 40% do limite de US$ 400 milhões no período subsequente de cinco anos, com base em uma estrita perda por dólar de prêmio. A segunda decisão elimina a necessidade de os acionistas declararem ativos localizados na região offshore do Golfo do México para determinar as porcentagens de participação no offshore designado por "Windstorm Pool". Essa decisão foi justificada com base na igualdade, considerando-se que a OIL havia excluído a cobertura para o offshore designado por "Windstorm Pool" a partir de 2018.

Bertil C. Olsson, presidente e CEO, comentou: "Embora 2018 tenha sido um desafio em termos financeiros, a OIL está concentrada em gerar valor a longo prazo, e ainda podemos contar com o forte compromisso e confiança de nossa base de acionistas. A OIL cobrou aos seus acionistas US$ 2,1 bilhões em prêmios durante os últimos cinco anos, inclusive 2018, e reembolsou US$ 1,8 bilhão em dividendos no mesmo período. Embora os prêmios tenham aumentado em 2019, o dividendo recentemente anunciado compensará uma parcela significativa desse aumento para nossos associados. A OIL continua atuando com uma postura de solidez e continuará fornecendo valor a longo prazo para as principais empresas de energia do mundo".

George Hutchings, vice-presidente sênior e diretor de operações, declarou: "As principais realizações de 2018 foram operacionais. Várias iniciativas estratégicas foram implementadas, inclusive a nossa promessa de fornecer aos nossos acionistas uma análise detalhada dos dados na assembleia geral anual, melhoras adicionais nas nossas ofertas para o setor de energia renovável, e também uma qualificação superior da OIL pela Standard & Poors, que passou para "A" Estável em setembro de 2018. Continuamos também registrando um forte interesse de empresas de energia de todo o mundo e temos a satisfação de anunciar que a Braskem S.A. é a nossa primeira associada da América do Sul desde dezembro de 2018".

O conselho de administração se reuniu depois da assembleia geral anual e elegeu Theodore Guidry II como seu presidente e Fabrizio Mastrantonio como vice-presidente para 2019.

Para obter mais informações sobre a cobertura de seguro da OIL e valores relacionados, visite www.oil.bm.

A Oil Insurance Limited (OIL) fornece cobertura de seguros para mais de US$ 3 trilhões em ativos globais no setor de energia para mais de 50 membros com limites de ativos de até US$ 400 milhões, totalizando mais de US$ 19 bilhões em capacidade total de ativos de classe A-. Os membros são empresas de energia de capital aberto e privadas de médio e grande porte com um mínimo de US$ 1 bilhão em ativos físicos e classificação de grau de investimento ou equivalente. Os produtos e coberturas oferecidos incluem ativos (danos materiais), tempestades (excluindo a offshore Golfo do México), poluição não gradual, controle de poços de petróleo, remoção de destroços, terrorismo, cibernética, construção e carga. Os setores protegidos pela OIL incluem exploração e produção offshore e onshore, refino e comercialização, petroquímica, mineração, oleodutos, serviços públicos de eletricidade, energia renovável e outros setores relacionados a energia.

FONTE Oil Insurance Limited

HAMILTON, Bermudas, 28 de março de 2019 /PRNewswire/ -- A OIL realizou sua Assembleia Geral Anual (AGM – Annual General Meeting) de Acionistas de 2019 na quinta-feira, 21 de março, no Hamilton Princess, nas Bermudas. Durante a assembleia, as demonstrações financeiras de 2018 foram revisadas e aprovadas, e diretores forem eleitos.

Em 2018, a OIL registrou uma perda de underwriting de US$ 404,6 milhões. Após as perdas líquidas de investimentos e despesas administrativas, o prejuízo líquido da OIL para o ano foi de US$ 675,6 milhões. Para obter mais informações sobre os resultados financeiros da OIL em 2018, visite www.oil.bm e confira nossas declarações financeiras auditadas. Após a revisão das demonstrações financeiras no encerramento do exercício, os acionistas aprovaram as demonstrações financeiras e a permanência da KPMG como firma de auditoria para o ano fiscal de 2019.

Durante a assembleia geral anual, a empresa informou também que o conselho de administração pagará um dividendo total de US$ 250 milhões a todos os acionistas registrados até 1o de janeiro de 2019, pagáveis até 30 de agosto de 2019.

Theodore Guidry II, presidente do conselho, explicou: "O conselho decidiu aprovar o dividendo de US$ 250 milhões depois de analisar cuidadosamente o plano plurianual de gestão de capital da empresa. Apesar dos resultados financeiros de 2018, o plano demonstra claramente que há capital disponível para pagar o dividendo sem prejudicar o capital nem a solidez da empresa. A nossa política continua sendo reembolsar o capital disponível aos acionistas, quando apropriado".

Por último, os acionistas aprovaram duas modificações ao acordo dos acionistas. A primeira decisão protege a empresa de futuras perdas potenciais de crédito. A partir de 2019, todos os acionistas deverão ter uma classificação de grau de investimento se desejarem escolher ou continuar escolhendo o Plano de Prêmio Retrospectivo que lhes permite adquirir retroativamente até 40% do limite de US$ 400 milhões no período subsequente de cinco anos, com base em uma estrita perda por dólar de prêmio. A segunda decisão elimina a necessidade de os acionistas declararem ativos localizados na região offshore do Golfo do México para determinar as porcentagens de participação no offshore designado por "Windstorm Pool". Essa decisão foi justificada com base na igualdade, considerando-se que a OIL havia excluído a cobertura para o offshore designado por "Windstorm Pool" a partir de 2018.

Bertil C. Olsson, presidente e CEO, comentou: "Embora 2018 tenha sido um desafio em termos financeiros, a OIL está concentrada em gerar valor a longo prazo, e ainda podemos contar com o forte compromisso e confiança de nossa base de acionistas. A OIL cobrou aos seus acionistas US$ 2,1 bilhões em prêmios durante os últimos cinco anos, inclusive 2018, e reembolsou US$ 1,8 bilhão em dividendos no mesmo período. Embora os prêmios tenham aumentado em 2019, o dividendo recentemente anunciado compensará uma parcela significativa desse aumento para nossos associados. A OIL continua atuando com uma postura de solidez e continuará fornecendo valor a longo prazo para as principais empresas de energia do mundo".

George Hutchings, vice-presidente sênior e diretor de operações, declarou: "As principais realizações de 2018 foram operacionais. Várias iniciativas estratégicas foram implementadas, inclusive a nossa promessa de fornecer aos nossos acionistas uma análise detalhada dos dados na assembleia geral anual, melhoras adicionais nas nossas ofertas para o setor de energia renovável, e também uma qualificação superior da OIL pela Standard & Poors, que passou para "A" Estável em setembro de 2018. Continuamos também registrando um forte interesse de empresas de energia de todo o mundo e temos a satisfação de anunciar que a Braskem S.A. é a nossa primeira associada da América do Sul desde dezembro de 2018".

O conselho de administração se reuniu depois da assembleia geral anual e elegeu Theodore Guidry II como seu presidente e Fabrizio Mastrantonio como vice-presidente para 2019.

Para obter mais informações sobre a cobertura de seguro da OIL e valores relacionados, visite www.oil.bm.

A Oil Insurance Limited (OIL) fornece cobertura de seguros para mais de US$ 3 trilhões em ativos globais no setor de energia para mais de 50 membros com limites de ativos de até US$ 400 milhões, totalizando mais de US$ 19 bilhões em capacidade total de ativos de classe A-. Os membros são empresas de energia de capital aberto e privadas de médio e grande porte com um mínimo de US$ 1 bilhão em ativos físicos e classificação de grau de investimento ou equivalente. Os produtos e coberturas oferecidos incluem ativos (danos materiais), tempestades (excluindo a offshore Golfo do México), poluição não gradual, controle de poços de petróleo, remoção de destroços, terrorismo, cibernética, construção e carga. Os setores protegidos pela OIL incluem exploração e produção offshore e onshore, refino e comercialização, petroquímica, mineração, oleodutos, serviços públicos de eletricidade, energia renovável e outros setores relacionados a energia.

FONTE Oil Insurance Limited

Você acabou de ler:

Oil Insurance Limited (OIL) declara dividendo de US$ 250 milhões e modifica dois componentes do seu plano de classificação e prêmio

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/oil-insurance-limited-oil-declara-dividendo-de-us-250-milhoes-e-modifica-dois-componentes-do-seu-plano-de-classificacao-e-premio/