Pesquisa internacional revela expectativas e medos em torno da tecnologia na educação

DOHA, Catar, 8 de dezembro de 2021 /PRNewswire/ -- Uma nova pesquisa publicada hoje pela Economist Impact e encomendada pela Qatar Foundation revelou que a maioria dos líderes educacionais estão priorizando o aprendizado personalizado em suas escolas, e que a COVID-19 acelerou a adoção. No entanto, para garantir que o aprendizado personalizado possa atingir todo o seu potencial, é necessário que haja mais trabalho para desenvolver novas formas de métricas de desempenho, melhorar a colaboração entre as salas de aula e as empresas de ed-tech e garantir a aceitação de alunos e pais.

O relatório e a pesquisa internacional com centenas de educadores e executivos de EdTech, lançados na cúpula WISE de 2021 em Doha, no Catar, explora como a Covid-19 impactou as atitudes em relação ao aprendizado personalizado no Reino Unido e nos Estados Unidos. O relatório examina como a tecnologia pode apoiar a educação personalizada, o significado que a sua adoção pode ter para os professores e se ele pode levar a melhores resultados de aprendizagem para os alunos.

Seus resultados também mostram que, embora os educadores sintam que um aumento na ed-tech seja inevitável, o financiamento pode afetar a qualidade e a eficácia das soluções que as escolas e as universidades podem usar, enquanto que as preocupações também cercam a privacidade dos alunos, o uso de dados e as considerações éticas.

"Os lockdowns vividos durante a pandemia da COVID-19 criaram uma dependência sem precedentes da tecnologia educacional", disse Abeer Al-Khalifa, presidente da Educação Pré-Universitária da Qatar Foundation, que supervisiona 13 escolas regulares e especializadas.

"Esta nova pesquisa encomendada pela Qatar Foundation confirma o que tem sido uma expectativa quase universal – de que o uso de tecnologia nos sistemas educacionais aumentará, mas que as preocupações com o financiamento permanecem. Também demonstra a necessidade de garantir que a tecnologia seja projetada em torno do ensino e da aprendizagem, e não o contrário, para evitar a adoção de ferramentas de baixo custo, mas que não nos aproximam de atingir o objetivo final: melhorar a experiência de aprendizagem dos alunos.

"Esperamos que este relatório seja apenas o início de uma conversa sobre como podemos garantir que as ferramentas EdTech que são usadas em última análise sejam desenvolvidas para tornar o aprendizado mais personalizado, em vez de uma tentativa de usar o software como forma de aumentar a produtividade."

O relatório conclui que 92% dos entrevistados estão priorizando o fornecimento de experiência de aprendizagem personalizada em suas escolas, com quase todos sentindo que o COVID-19 acelerou a adoção da EdTech e uma crença generalizada de que os orçamentos das escolas para aprendizagem personalizada irão aumentar.

A maioria dos participantes da pesquisa também sente que o aprendizado personalizado beneficiará os alunos de baixo desempenho mais do que seus colegas de alto desempenho, e aqueles com deficiências mais do que aqueles sem, enquanto que 95% estão confiantes de que as tecnologias de aprendizagem personalizadas ajudarão a garantir que os métodos de ensino sejam feitos sob medida para as necessidades de estudantes mais marginalizados.

No entanto, alunos e pais apoiam menos a aprendizagem personalizada do que professores e administradores escolares, e um quarto dos participantes disse que a resistência dos alunos tem sido o principal obstáculo para a introdução da aprendizagem personalizada por EdTech. Enquanto isso, 98% sentem que a mudança repentina para o aprendizado remoto durante a pandemia criou um foco muito grande no aspecto da tecnologia da educação personalizada, com quase metade dos educadores preocupados com o fato de os alunos dependerem excessivamente da tecnologia; e 61% temendo que um aumento da aprendizagem personalizada pode reduzir a interação aluno-professor e prejudicar o desenvolvimento social.

O relatório completo está disponível gratuitamente para download em https://www.qf.org.qa/the-economist-intelligence-unit-report/pre-university-education

A Qatar Foundation é uma organização sem fins lucrativos fundada em 1995 que apoia o desenvolvimento sustentável do Qatar por meio de programas e iniciativas em educação, pesquisa e inovação e desenvolvimento comunitário.

 

 

FONTE Qatar Foundation

DOHA, Catar, 8 de dezembro de 2021 /PRNewswire/ -- Uma nova pesquisa publicada hoje pela Economist Impact e encomendada pela Qatar Foundation revelou que a maioria dos líderes educacionais estão priorizando o aprendizado personalizado em suas escolas, e que a COVID-19 acelerou a adoção. No entanto, para garantir que o aprendizado personalizado possa atingir todo o seu potencial, é necessário que haja mais trabalho para desenvolver novas formas de métricas de desempenho, melhorar a colaboração entre as salas de aula e as empresas de ed-tech e garantir a aceitação de alunos e pais.

O relatório e a pesquisa internacional com centenas de educadores e executivos de EdTech, lançados na cúpula WISE de 2021 em Doha, no Catar, explora como a Covid-19 impactou as atitudes em relação ao aprendizado personalizado no Reino Unido e nos Estados Unidos. O relatório examina como a tecnologia pode apoiar a educação personalizada, o significado que a sua adoção pode ter para os professores e se ele pode levar a melhores resultados de aprendizagem para os alunos.

Seus resultados também mostram que, embora os educadores sintam que um aumento na ed-tech seja inevitável, o financiamento pode afetar a qualidade e a eficácia das soluções que as escolas e as universidades podem usar, enquanto que as preocupações também cercam a privacidade dos alunos, o uso de dados e as considerações éticas.

"Os lockdowns vividos durante a pandemia da COVID-19 criaram uma dependência sem precedentes da tecnologia educacional", disse Abeer Al-Khalifa, presidente da Educação Pré-Universitária da Qatar Foundation, que supervisiona 13 escolas regulares e especializadas.

"Esta nova pesquisa encomendada pela Qatar Foundation confirma o que tem sido uma expectativa quase universal – de que o uso de tecnologia nos sistemas educacionais aumentará, mas que as preocupações com o financiamento permanecem. Também demonstra a necessidade de garantir que a tecnologia seja projetada em torno do ensino e da aprendizagem, e não o contrário, para evitar a adoção de ferramentas de baixo custo, mas que não nos aproximam de atingir o objetivo final: melhorar a experiência de aprendizagem dos alunos.

"Esperamos que este relatório seja apenas o início de uma conversa sobre como podemos garantir que as ferramentas EdTech que são usadas em última análise sejam desenvolvidas para tornar o aprendizado mais personalizado, em vez de uma tentativa de usar o software como forma de aumentar a produtividade."

O relatório conclui que 92% dos entrevistados estão priorizando o fornecimento de experiência de aprendizagem personalizada em suas escolas, com quase todos sentindo que o COVID-19 acelerou a adoção da EdTech e uma crença generalizada de que os orçamentos das escolas para aprendizagem personalizada irão aumentar.

A maioria dos participantes da pesquisa também sente que o aprendizado personalizado beneficiará os alunos de baixo desempenho mais do que seus colegas de alto desempenho, e aqueles com deficiências mais do que aqueles sem, enquanto que 95% estão confiantes de que as tecnologias de aprendizagem personalizadas ajudarão a garantir que os métodos de ensino sejam feitos sob medida para as necessidades de estudantes mais marginalizados.

No entanto, alunos e pais apoiam menos a aprendizagem personalizada do que professores e administradores escolares, e um quarto dos participantes disse que a resistência dos alunos tem sido o principal obstáculo para a introdução da aprendizagem personalizada por EdTech. Enquanto isso, 98% sentem que a mudança repentina para o aprendizado remoto durante a pandemia criou um foco muito grande no aspecto da tecnologia da educação personalizada, com quase metade dos educadores preocupados com o fato de os alunos dependerem excessivamente da tecnologia; e 61% temendo que um aumento da aprendizagem personalizada pode reduzir a interação aluno-professor e prejudicar o desenvolvimento social.

O relatório completo está disponível gratuitamente para download em https://www.qf.org.qa/the-economist-intelligence-unit-report/pre-university-education

A Qatar Foundation é uma organização sem fins lucrativos fundada em 1995 que apoia o desenvolvimento sustentável do Qatar por meio de programas e iniciativas em educação, pesquisa e inovação e desenvolvimento comunitário.

 

 

FONTE Qatar Foundation

Você acabou de ler:

Pesquisa internacional revela expectativas e medos em torno da tecnologia na educação

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/pesquisa-internacional-revela-expectativas-e-medos-em-torno-da-tecnologia-na-educacao/