Por que a China não esqueceu a guerra contra a agressão japonesa

PEQUIM, 4 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- A Guerra de Resistência do Povo Chinês contra a Agressão Japonesa, que se estendeu de 1931 a 1945, mudou para sempre a China e as relações entre China e Japão.

A China ainda se recorda, 75 anos depois do fim da guerra.

No início da quinta-feira (3 de setembro), o presidente chinês, Xi Jinping, também secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e presidente da Comissão Militar Central, foi a um museu em um subúrbio de Pequim para marcar o aniversário.

Após um minuto de silêncio lamentando os heróis vitimados, Xi, juntamente com outros líderes do Comitê Central do Partido Comunista Chinês, depositou coroas para os mártires.

Mais tarde, discursando em um simpósio na presença de veteranos que sobreviveram à guerra, Xi saudou o grande espírito da nação chinesa, enfatizando o patriotismo e o heroísmo no esforço para alcançar o rejuvenescimento nacional da China.

Ele disse que a nação chinesa como um todo lutou e venceu a guerra com grande espírito de patriotismo e heroísmo, o que é inestimável atualmente e pode motivar o povo chinês a superar todas as dificuldades e obstáculos e a se esforçar para alcançar o rejuvenescimento nacional.

A pandemia da Covid-19 levou as já tensas relações entre China e EUA a uma rápida espiral descendente.

Apesar do controle rápido e eficaz da epidemia na China, os EUA têm constantemente atacado o país devido ao manuseio do coronavírus. Nos últimos meses, o governo dos EUA também aumentou os ataques ao Partido Comunista Chinês, classificando-o de "ameaça global e inimigo".

Xi destacou no simpósio que, sob a liderança do Partido Comunista Chinês, o povo chinês não só venceu a guerra contra o fascismo japonês, como também realizou conquistas notáveis no desenvolvimento econômico e social desde então.

A reforma e a abertura da China transformaram completamente a economia, urbanizaram a sociedade e melhoraram o nível de vida. Hoje, a China é a segunda maior economia mundial, depois dos EUA. Além disso, antes do final de 2020, terá acabado com a pobreza entre a sua população.

Para alcançar o rejuvenescimento nacional da China, Xi disse que o país deve manter a liderança do Partido Comunista Chinês, o caminho do socialismo com características chinesas e a abordagem centrada no povo, bem como o desenvolvimento pacífico.

"O povo chinês nunca concordará com qualquer pessoa ou força que tente distorcer a história do Partido Comunista Chinês e estigmatizar a natureza do Partido Comunista Chinês", disse Xi.

"O povo chinês nunca concordará com qualquer pessoa ou com qualquer força que tente distorcer e desviar o caminho do socialismo com características chinesas e que tente negar e estigmatizar as grandes realizações alcançadas neste caminho. O povo chinês nunca concordará com qualquer pessoa ou com qualquer força que tente dividir o Partido Comunista Chinês e o povo chinês."

Ele também rejeitou as tentativas de intimidar e impor vontades de outros países sobre a China, bem como de dificultar a comunicação do povo chinês com pessoas de outros países.

Fatos pouco conhecidos sobre as proporções da guerra na China

É importante lembrar o sofrimento e as perdas da Segunda Guerra Mundial, mas não podemos esquecer a extensão, as consequências e o legado da guerra na China.

Pessoas de todo o país se viram envolvidas na Guerra de Resistência do Povo Chinês contra a Agressão Japonesa (1931-1945).

A China foi o principal campo de batalha contra o fascismo japonês. Antes da Guerra do Pacífico (1941-1943), o Japão destacara cerca de 80% a 94% das suas tropas na China; após 1941, o Japão ainda mantinha mais de 50% dos seus soldados na China.

Quando o Japão se rendeu, as tropas japonesas destacadas na China somavam 1,86 milhão de soldados, representando quase 52% do número total de combatentes enviados ao exterior.

Durante a guerra, mais de 1,5 milhão de soldados japoneses morreram na China, enquanto mais de 35 milhões de militares e civis chineses morreram durante a guerra, representando quase 8% da população total da China em 1928.

A China afirma ter sofrido prejuízos diretos de mais de US$ 100 bilhões e prejuízos indiretos de US$ 500 bilhões (em valores de 1937).

Oportunidade de reflexão

Nas últimas décadas, as relações da China com o Japão têm tido altos e baixos.

Durante a reunião de Osaka em junho passado, os líderes de ambos os países chegaram a um consenso de 10 pontos para promover em conjunto um desenvolvimento saudável das relações bilaterais. Xi também concordou, em princípio, em fazer uma visita de estado ao Japão, a qual foi interrompida pela Covid-19, virando uma nova página com relação aos laços entre os dois países. 

"China e Japão são vizinhos próximos, e uma relação pacífica de longo prazo beneficia o povo de ambos os países, assim como a estabilidade da Ásia e do mundo", disse Xi ao refletir sobre a guerra.

"Refletir adequadamente sobre o fascismo japonês e sobre a agressão e invasão à China é uma base política importante para o estabelecimento e o crescimento das relações entre China e Japão", disse Xi.

"Devemos aproveitar a oportunidade para lembrar e refletir sobre a história, ao mesmo tempo em que prezamos a paz e a amizade entre os dois países", afirmou.

Artigo original:

https://news.cgtn.com/news/2020-09-03/Xi-delivers-speech-at-symposium-to-mark-WWII-victory-anniversary-Tud3lrn8Y0/index.html

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=e48L1K4Kgf0

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=GEAO3ONZLJY

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1249012/infographic_one.jpg

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1249013/infographic_two.jpg

FONTE CGTN

PEQUIM, 4 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- A Guerra de Resistência do Povo Chinês contra a Agressão Japonesa, que se estendeu de 1931 a 1945, mudou para sempre a China e as relações entre China e Japão.

A China ainda se recorda, 75 anos depois do fim da guerra.

No início da quinta-feira (3 de setembro), o presidente chinês, Xi Jinping, também secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China e presidente da Comissão Militar Central, foi a um museu em um subúrbio de Pequim para marcar o aniversário.

Após um minuto de silêncio lamentando os heróis vitimados, Xi, juntamente com outros líderes do Comitê Central do Partido Comunista Chinês, depositou coroas para os mártires.

Mais tarde, discursando em um simpósio na presença de veteranos que sobreviveram à guerra, Xi saudou o grande espírito da nação chinesa, enfatizando o patriotismo e o heroísmo no esforço para alcançar o rejuvenescimento nacional da China.

Ele disse que a nação chinesa como um todo lutou e venceu a guerra com grande espírito de patriotismo e heroísmo, o que é inestimável atualmente e pode motivar o povo chinês a superar todas as dificuldades e obstáculos e a se esforçar para alcançar o rejuvenescimento nacional.

A pandemia da Covid-19 levou as já tensas relações entre China e EUA a uma rápida espiral descendente.

Apesar do controle rápido e eficaz da epidemia na China, os EUA têm constantemente atacado o país devido ao manuseio do coronavírus. Nos últimos meses, o governo dos EUA também aumentou os ataques ao Partido Comunista Chinês, classificando-o de "ameaça global e inimigo".

Xi destacou no simpósio que, sob a liderança do Partido Comunista Chinês, o povo chinês não só venceu a guerra contra o fascismo japonês, como também realizou conquistas notáveis no desenvolvimento econômico e social desde então.

A reforma e a abertura da China transformaram completamente a economia, urbanizaram a sociedade e melhoraram o nível de vida. Hoje, a China é a segunda maior economia mundial, depois dos EUA. Além disso, antes do final de 2020, terá acabado com a pobreza entre a sua população.

Para alcançar o rejuvenescimento nacional da China, Xi disse que o país deve manter a liderança do Partido Comunista Chinês, o caminho do socialismo com características chinesas e a abordagem centrada no povo, bem como o desenvolvimento pacífico.

"O povo chinês nunca concordará com qualquer pessoa ou força que tente distorcer a história do Partido Comunista Chinês e estigmatizar a natureza do Partido Comunista Chinês", disse Xi.

"O povo chinês nunca concordará com qualquer pessoa ou com qualquer força que tente distorcer e desviar o caminho do socialismo com características chinesas e que tente negar e estigmatizar as grandes realizações alcançadas neste caminho. O povo chinês nunca concordará com qualquer pessoa ou com qualquer força que tente dividir o Partido Comunista Chinês e o povo chinês."

Ele também rejeitou as tentativas de intimidar e impor vontades de outros países sobre a China, bem como de dificultar a comunicação do povo chinês com pessoas de outros países.

Fatos pouco conhecidos sobre as proporções da guerra na China

É importante lembrar o sofrimento e as perdas da Segunda Guerra Mundial, mas não podemos esquecer a extensão, as consequências e o legado da guerra na China.

Pessoas de todo o país se viram envolvidas na Guerra de Resistência do Povo Chinês contra a Agressão Japonesa (1931-1945).

A China foi o principal campo de batalha contra o fascismo japonês. Antes da Guerra do Pacífico (1941-1943), o Japão destacara cerca de 80% a 94% das suas tropas na China; após 1941, o Japão ainda mantinha mais de 50% dos seus soldados na China.

Quando o Japão se rendeu, as tropas japonesas destacadas na China somavam 1,86 milhão de soldados, representando quase 52% do número total de combatentes enviados ao exterior.

Durante a guerra, mais de 1,5 milhão de soldados japoneses morreram na China, enquanto mais de 35 milhões de militares e civis chineses morreram durante a guerra, representando quase 8% da população total da China em 1928.

A China afirma ter sofrido prejuízos diretos de mais de US$ 100 bilhões e prejuízos indiretos de US$ 500 bilhões (em valores de 1937).

Oportunidade de reflexão

Nas últimas décadas, as relações da China com o Japão têm tido altos e baixos.

Durante a reunião de Osaka em junho passado, os líderes de ambos os países chegaram a um consenso de 10 pontos para promover em conjunto um desenvolvimento saudável das relações bilaterais. Xi também concordou, em princípio, em fazer uma visita de estado ao Japão, a qual foi interrompida pela Covid-19, virando uma nova página com relação aos laços entre os dois países. 

"China e Japão são vizinhos próximos, e uma relação pacífica de longo prazo beneficia o povo de ambos os países, assim como a estabilidade da Ásia e do mundo", disse Xi ao refletir sobre a guerra.

"Refletir adequadamente sobre o fascismo japonês e sobre a agressão e invasão à China é uma base política importante para o estabelecimento e o crescimento das relações entre China e Japão", disse Xi.

"Devemos aproveitar a oportunidade para lembrar e refletir sobre a história, ao mesmo tempo em que prezamos a paz e a amizade entre os dois países", afirmou.

Artigo original:

https://news.cgtn.com/news/2020-09-03/Xi-delivers-speech-at-symposium-to-mark-WWII-victory-anniversary-Tud3lrn8Y0/index.html

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=e48L1K4Kgf0

Vídeo - https://www.youtube.com/watch?v=GEAO3ONZLJY

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1249012/infographic_one.jpg

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1249013/infographic_two.jpg

FONTE CGTN

Você acabou de ler:

Por que a China não esqueceu a guerra contra a agressão japonesa

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/por-que-a-china-nao-esqueceu-a-guerra-contra-a-agressao-japonesa/