Por Rodrigo Balassiano, entenda o que são os fundos de investimento em Direitos Creditórios

SÃO PAULO, 1 de outubro de 2019 /PRNewswire/ -- O especialista em fundos de investimento Rodrigo Balassiano, da empresa ID Serviços financeiros, explicará de uma forma muito simples sobre Fidc.
O que é FIDC? FIDC é a sigla para Fundo de Investimento em Direitos Creditórios. De maneira bem simples, a FIDC funciona como uma união de diversos investidores que, com o mesmo objetivo, unem seus recursos em um investimento comum para todos. Para isso, é necessário que seja destinada uma parcela de, no mínimo, 50% do patrimônio líquido a aplicações em Direitos Creditórios. Já o Direitos Creditórios são créditos que empresas têm a receber, como, por exemplo, aluguéis, cheques, duplicatas ou valores que foram parcelados no cartão de crédito. Essas dívidas são convertidas em títulos e vendidas a terceiros. Podemos dizer que FIDC é um Fundo de Investimento que aplica em títulos de créditos formados por contas a receber de uma empresa. Agora ficou mais fácil de entender, não é mesmo? Um ponto importante a ressaltar é que o FIDC, também conhecido como Fundo de Recebíveis, é um investimento de Renda Fixa. Dessa forma, o valor investido é baseado em uma taxa previamente acordada, assim o investidor saberá exatamente quanto receberá no fim da aplicação. Mas não se preocupe, mesmo sendo um investimento bem conservador, o FIDC pode trazer ótima rentabilidade, principalmente pela aplicação mínima inicial exigida. Vamos falar mais sobre isso durante o conteúdo. Agora, para constituir um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios você tem duas possibilidades: Fundo aberto ou fechado.
  • Fundo aberto: caso opte por constituir o Fundo aberto, você poderá, a qualquer momento, resgatar suas cotas. Mas claro, sempre respeitando as regras do Fundo em que investiu.
  • Fundo fechado: nessa modalidade, você só poderá resgatar as cotas após o prazo estipulado previamente — normalmente costuma ser no momento da assinatura do contrato do FIDC.
Vantagens do FIDC Vamos aos pontos fortes desse tipo de investimento. Sem dúvidas, o que mais atrai em um FIDC é sua alta rentabilidade. Quando compara-se com outros fundos de renda fixa. Enquanto para os fundos de renda fixa quando conseguem 120% do CDI, dizemos que foi uma baita rentabilidade. Para os FIDCs, por outro lado, não é difícil encontrar rendimentos acima de 150% do CDI. Os FIDCs tem a característica de seguirem o ciclo da economia. O que quero dizer com isso é que quando a economia vai bem, os fundos dessa categoria tendem a ir bem também e vice-versa. Essa característica decorre do fato de que, como o fundo precisa receber o que tem direito, quando a economia vai bem as empresas têm menos dificuldades de honrar seus compromissos. Quando a economia vai mal, por outro lado, se prepare para não receber parte do dinheiro emprestado de volta. Além disso, em cenários de juros baixos (como o de agora) FIDCs também se mostram boas alternativas de investimentos. Desvantagens do FIDC A natureza de seus rendimentos elevados está relacionada ao risco da operação. É muito inerte o risco de inadimplência e existem poucas formas de se defender disso. A diversificação não é muito clara e muitas vezes não se tem conhecimento pleno da empresa devedora. Os tipos de perdas são diferentes de, digamos, um investimento em ações onde, por mais doloroso que seja, é possível limitar as perdas. Um direito creditório, caso a empresa devedora decida não pagar, muito provavelmente deixará de pagará integralmente, sem meio termo. É preciso, portanto, verificar antes da aplicação, se você está ciente de todos os riscos e o que eles implicam, como por exemplo, perda financeira. Foto: https://mma.prnewswire.com/media/1003773/Rodrigo_Balassiano.jpg
FONTE id participações ltda
SÃO PAULO, 1 de outubro de 2019 /PRNewswire/ -- O especialista em fundos de investimento Rodrigo Balassiano, da empresa ID Serviços financeiros, explicará de uma forma muito simples sobre Fidc.
O que é FIDC? FIDC é a sigla para Fundo de Investimento em Direitos Creditórios. De maneira bem simples, a FIDC funciona como uma união de diversos investidores que, com o mesmo objetivo, unem seus recursos em um investimento comum para todos. Para isso, é necessário que seja destinada uma parcela de, no mínimo, 50% do patrimônio líquido a aplicações em Direitos Creditórios. Já o Direitos Creditórios são créditos que empresas têm a receber, como, por exemplo, aluguéis, cheques, duplicatas ou valores que foram parcelados no cartão de crédito. Essas dívidas são convertidas em títulos e vendidas a terceiros. Podemos dizer que FIDC é um Fundo de Investimento que aplica em títulos de créditos formados por contas a receber de uma empresa. Agora ficou mais fácil de entender, não é mesmo? Um ponto importante a ressaltar é que o FIDC, também conhecido como Fundo de Recebíveis, é um investimento de Renda Fixa. Dessa forma, o valor investido é baseado em uma taxa previamente acordada, assim o investidor saberá exatamente quanto receberá no fim da aplicação. Mas não se preocupe, mesmo sendo um investimento bem conservador, o FIDC pode trazer ótima rentabilidade, principalmente pela aplicação mínima inicial exigida. Vamos falar mais sobre isso durante o conteúdo. Agora, para constituir um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios você tem duas possibilidades: Fundo aberto ou fechado.
  • Fundo aberto: caso opte por constituir o Fundo aberto, você poderá, a qualquer momento, resgatar suas cotas. Mas claro, sempre respeitando as regras do Fundo em que investiu.
  • Fundo fechado: nessa modalidade, você só poderá resgatar as cotas após o prazo estipulado previamente — normalmente costuma ser no momento da assinatura do contrato do FIDC.
Vantagens do FIDC Vamos aos pontos fortes desse tipo de investimento. Sem dúvidas, o que mais atrai em um FIDC é sua alta rentabilidade. Quando compara-se com outros fundos de renda fixa. Enquanto para os fundos de renda fixa quando conseguem 120% do CDI, dizemos que foi uma baita rentabilidade. Para os FIDCs, por outro lado, não é difícil encontrar rendimentos acima de 150% do CDI. Os FIDCs tem a característica de seguirem o ciclo da economia. O que quero dizer com isso é que quando a economia vai bem, os fundos dessa categoria tendem a ir bem também e vice-versa. Essa característica decorre do fato de que, como o fundo precisa receber o que tem direito, quando a economia vai bem as empresas têm menos dificuldades de honrar seus compromissos. Quando a economia vai mal, por outro lado, se prepare para não receber parte do dinheiro emprestado de volta. Além disso, em cenários de juros baixos (como o de agora) FIDCs também se mostram boas alternativas de investimentos. Desvantagens do FIDC A natureza de seus rendimentos elevados está relacionada ao risco da operação. É muito inerte o risco de inadimplência e existem poucas formas de se defender disso. A diversificação não é muito clara e muitas vezes não se tem conhecimento pleno da empresa devedora. Os tipos de perdas são diferentes de, digamos, um investimento em ações onde, por mais doloroso que seja, é possível limitar as perdas. Um direito creditório, caso a empresa devedora decida não pagar, muito provavelmente deixará de pagará integralmente, sem meio termo. É preciso, portanto, verificar antes da aplicação, se você está ciente de todos os riscos e o que eles implicam, como por exemplo, perda financeira. Foto: https://mma.prnewswire.com/media/1003773/Rodrigo_Balassiano.jpg
FONTE id participações ltda

Você acabou de ler:

Por Rodrigo Balassiano, entenda o que são os fundos de investimento em Direitos Creditórios

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/por-rodrigo-balassiano-entenda-o-que-sao-os-fundos-de-investimento-em-direitos-creditorios/