'Prioridade agora é salvar vidas', diz Rodrigo Maia em LIDE Live

Para presidente da Câmara dos Deputados, é preciso atender às necessidades da população, em especial as camadas mais vulneráveis e impactadas pelo Covid-19

SÃO PAULO, 27 de março de 2020 /PRNewswire/ -- O LIDE – Grupo de Líderes Empresariais promoveu, pela primeira vez, o LIDE Live, evento on-line com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Em uma hora, Maia palestrou sobre "Os impactos da atual crise no avanço das reformas e cenário político-econômico do país" e respondeu aos questionamentos de dez grandes empresários e lideranças de diversos setores da economia, como saúde, finanças e varejo, entre outros. O evento remoto ocorreu em virtude da pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Sobre as reformas necessárias, como a tributária e administrativa, Maia foi enfático ao dizer que a prioridade agora é combater o coronavírus e salvar vidas humanas, atendendo às necessidades da população, em especial as camadas mais vulneráveis e impactadas. "Somos cobrados, mas o governo até agora não mandou nenhuma das duas ao Congresso. Com reforma ou sem reforma, o Brasil teria de colocar do mesmo modo recursos para enfrentar a pandemia. Não é momento de gestos simbólicos, mas de gestos concretos", afirmou.

Segundo Maia, os investimentos esperados para o segundo semestre devem se traduzir em empregos para os brasileiros. "Em tempo de guerra, não há linha econômica. Outros países adotaram políticas compensatórias setoriais, como a aviação. Se não nos organizarmos para os próximos dois meses, cada semana poderá ser pior que a outra, com custos enormes para o Brasil", defendeu. O deputado também preconiza medidas efetivas para mitigar os efeitos da pandemia na vida dos cidadãos, como uma renda mínima e até mesmo a prorrogação do período de envio da declaração de Imposto de Renda.

"Defendo que temos de ter previsibilidade nos próximos dois meses. Liberar a população do isolamento social neste momento será uma tragédia, colapsando o sistema de saúde. Conflitos agora não ajudam a resolver nada", afirmou. Por isso, afirma Maia, são necessárias ações integradas entre os poderes: "Temos de reabrir o diálogo em torno do que nos une, e não no que nos divide". Segundo o deputado, o governo Bolsonaro não tem maioria na Câmara e nem se esforça para isso.

O LIDE Live teve patrocínio de AGRONELLI, ATHIÉ WOHNRATH, CARREFOUR, FS, IGUATEMI, MULTIPLAN, NELSON WILIANS & ADVOGADOS ASSOCIADOS e XP INVESTIMENTOS.

FONTE LIDE

Para presidente da Câmara dos Deputados, é preciso atender às necessidades da população, em especial as camadas mais vulneráveis e impactadas pelo Covid-19

SÃO PAULO, 27 de março de 2020 /PRNewswire/ -- O LIDE – Grupo de Líderes Empresariais promoveu, pela primeira vez, o LIDE Live, evento on-line com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Em uma hora, Maia palestrou sobre "Os impactos da atual crise no avanço das reformas e cenário político-econômico do país" e respondeu aos questionamentos de dez grandes empresários e lideranças de diversos setores da economia, como saúde, finanças e varejo, entre outros. O evento remoto ocorreu em virtude da pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Sobre as reformas necessárias, como a tributária e administrativa, Maia foi enfático ao dizer que a prioridade agora é combater o coronavírus e salvar vidas humanas, atendendo às necessidades da população, em especial as camadas mais vulneráveis e impactadas. "Somos cobrados, mas o governo até agora não mandou nenhuma das duas ao Congresso. Com reforma ou sem reforma, o Brasil teria de colocar do mesmo modo recursos para enfrentar a pandemia. Não é momento de gestos simbólicos, mas de gestos concretos", afirmou.

Segundo Maia, os investimentos esperados para o segundo semestre devem se traduzir em empregos para os brasileiros. "Em tempo de guerra, não há linha econômica. Outros países adotaram políticas compensatórias setoriais, como a aviação. Se não nos organizarmos para os próximos dois meses, cada semana poderá ser pior que a outra, com custos enormes para o Brasil", defendeu. O deputado também preconiza medidas efetivas para mitigar os efeitos da pandemia na vida dos cidadãos, como uma renda mínima e até mesmo a prorrogação do período de envio da declaração de Imposto de Renda.

"Defendo que temos de ter previsibilidade nos próximos dois meses. Liberar a população do isolamento social neste momento será uma tragédia, colapsando o sistema de saúde. Conflitos agora não ajudam a resolver nada", afirmou. Por isso, afirma Maia, são necessárias ações integradas entre os poderes: "Temos de reabrir o diálogo em torno do que nos une, e não no que nos divide". Segundo o deputado, o governo Bolsonaro não tem maioria na Câmara e nem se esforça para isso.

O LIDE Live teve patrocínio de AGRONELLI, ATHIÉ WOHNRATH, CARREFOUR, FS, IGUATEMI, MULTIPLAN, NELSON WILIANS & ADVOGADOS ASSOCIADOS e XP INVESTIMENTOS.

FONTE LIDE