Rio South Texas: no centro da cadeia de suprimentos norte-americana

MISSION, Texas, 16 de junho de 2022 /PRNewswire/ -- A América do Norte representa cerca de 25% do mercado consumidor global, e o corredor da Interstate 69, que corta os Estados Unidos de norte a sul e conecta o país com o Canadá e o México, é uma das principais artérias da cadeia de suprimentos. Muitos dos maiores centros industriais da América do Norte estão localizados ao longo dessa rota e as principais travessias internacionais abastecem esta artéria da cadeia de suprimentos norte-americana. A COSTEP analisou recentemente as contagens de travessias de caminhões de 2019, 2020 e 2021 nas fronteiras dos EUA com o Canadá e dos EUA com o México. Os pontos de entrada da fronteira dos EUA com o Canadá do corredor I-69 incluem Detroit e Port Huron, no estado de Michigan, e Buffalo e as Cataratas do Niágara, em Nova York. Os pontos de entrada da fronteira dos EUA com o México do corredor I-69 foram Laredo, Hidalgo/Pharr, Brownsville, Progreso, Rio Grande City e Roma, todos localizados na região de Rio South Texas.

Em 2019, a região de Michigan/estado de Nova York registrou 3.254.623 travessias de entrada de caminhões, enquanto a região do Rio South Texas registrou 3.412.118, tornando as duas regiões de comércio internacional as mais movimentadas de suas respectivas fronteiras. A diferença foi pequena, de apenas 157.485 caminhões, ou 4,8%. O surto da pandemia impactou negativamente o comércio em 2020, mas de forma variada. Na fronteira estado de Michigan/Nova York, as travessias de caminhão de 2020 tiveram uma queda significativa, passando para 2.917.738. O total de travessias de caminhões na região do Rio South Texas em 2020 foi de 3.387.816, o que significa que o declínio foi muito menos severo, e a diferença entre as duas regiões cresceu para 470.078 caminhões, ou 16,1%, em favor do Rio South Texas. À medida que a economia norte-americana se recuperou em 2021, ambas as regiões tiveram um renascimento das atividades, com a fronteira de Michigan/estado de Nova York registrando 3.147.251 travessias de caminhões e Rio South Texas chegando a um total de 3.739.519. No entanto, esses números também refletem uma lacuna em expansão de 592.268 caminhões, ou 18,8%, a favor da região de Rio South Texas.

A comparação direta dos números de 2021 com 2019 mostra que, em 2021, Michigan/estado de Nova York ainda registrava 107.372 caminhões a menos, ou -3,3%, em comparação com 2019. Por outro lado, em 2021, a região de Rio South Texas registrou 327.401 caminhões a mais, ou 9,6%, acima dos números de 2019, colocando diretamente a região do Rio South Texas no centro da cadeia de suprimentos norte-americana.

Se você deseja fabricar na América do Norte para a América do Norte, veja o que a Rio South Texas tem a oferecer. Nossa equipe da COSTEP gostaria de ajudá-lo, então, acesse www.costep.org ou siga-nos em @COSTEP para saber mais.

Contato: Matt Ruszczak, info@costep.org

 

FONTE Council for South Texas Economic Progress

MISSION, Texas, 16 de junho de 2022 /PRNewswire/ -- A América do Norte representa cerca de 25% do mercado consumidor global, e o corredor da Interstate 69, que corta os Estados Unidos de norte a sul e conecta o país com o Canadá e o México, é uma das principais artérias da cadeia de suprimentos. Muitos dos maiores centros industriais da América do Norte estão localizados ao longo dessa rota e as principais travessias internacionais abastecem esta artéria da cadeia de suprimentos norte-americana. A COSTEP analisou recentemente as contagens de travessias de caminhões de 2019, 2020 e 2021 nas fronteiras dos EUA com o Canadá e dos EUA com o México. Os pontos de entrada da fronteira dos EUA com o Canadá do corredor I-69 incluem Detroit e Port Huron, no estado de Michigan, e Buffalo e as Cataratas do Niágara, em Nova York. Os pontos de entrada da fronteira dos EUA com o México do corredor I-69 foram Laredo, Hidalgo/Pharr, Brownsville, Progreso, Rio Grande City e Roma, todos localizados na região de Rio South Texas.

Em 2019, a região de Michigan/estado de Nova York registrou 3.254.623 travessias de entrada de caminhões, enquanto a região do Rio South Texas registrou 3.412.118, tornando as duas regiões de comércio internacional as mais movimentadas de suas respectivas fronteiras. A diferença foi pequena, de apenas 157.485 caminhões, ou 4,8%. O surto da pandemia impactou negativamente o comércio em 2020, mas de forma variada. Na fronteira estado de Michigan/Nova York, as travessias de caminhão de 2020 tiveram uma queda significativa, passando para 2.917.738. O total de travessias de caminhões na região do Rio South Texas em 2020 foi de 3.387.816, o que significa que o declínio foi muito menos severo, e a diferença entre as duas regiões cresceu para 470.078 caminhões, ou 16,1%, em favor do Rio South Texas. À medida que a economia norte-americana se recuperou em 2021, ambas as regiões tiveram um renascimento das atividades, com a fronteira de Michigan/estado de Nova York registrando 3.147.251 travessias de caminhões e Rio South Texas chegando a um total de 3.739.519. No entanto, esses números também refletem uma lacuna em expansão de 592.268 caminhões, ou 18,8%, a favor da região de Rio South Texas.

A comparação direta dos números de 2021 com 2019 mostra que, em 2021, Michigan/estado de Nova York ainda registrava 107.372 caminhões a menos, ou -3,3%, em comparação com 2019. Por outro lado, em 2021, a região de Rio South Texas registrou 327.401 caminhões a mais, ou 9,6%, acima dos números de 2019, colocando diretamente a região do Rio South Texas no centro da cadeia de suprimentos norte-americana.

Se você deseja fabricar na América do Norte para a América do Norte, veja o que a Rio South Texas tem a oferecer. Nossa equipe da COSTEP gostaria de ajudá-lo, então, acesse www.costep.org ou siga-nos em @COSTEP para saber mais.

Contato: Matt Ruszczak, info@costep.org

 

FONTE Council for South Texas Economic Progress

Você acabou de ler:

Rio South Texas: no centro da cadeia de suprimentos norte-americana

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/rio-south-texas-no-centro-da-cadeia-de-suprimentos-norte-americana/