Rodada de negócios do Futurecom gera R$ 16 milhões em duas horas de reuniões

SÃO PAULO, 31 de outubro de 2019 /PRNewswire/ -- Os visitantes da 21ª edição do Futurecom, maior evento de Transformação Digital, Tecnologia e Telecomunicações da América Latina, puderam acompanhar uma programação completa que discute pontos importantes envolvendo tecnologias disruptivas e digitalização no Brasil e no mundo. No segundo dia de evento, a Rodada de Negócios reuniu 16 expositores e 36 compradores. Em duas horas, foram realizadas 96 reuniões, o que totalizou R$ 16 milhões em negócios fechados.

Em um dos principais encontros deste segundo dia, representantes das operadoras debateram "As oportunidades da Era Digital e seus impactos sobre as Estratégias e Modelos de Negócios". O painel reuniu Sun Baocheng, presidente da Huawei; Luiz Tonisi, head da Unidade de Marketing Brasil da Nokia; Leonardo Capdeville, CTIO da TIM; Marcelo Medeiros, vice-presidente da Dell Technologies; Ricardo Hobbs, vice-presidente de Estratégia e Novos Negócios da Vivo; Angelo Guerra, vice-presidente da NEC Brasil; Jefferson Wang, Global 5G Offering Co-Lead da Accenture; e Marcos Scheffer, vice-presidente de Redes para Cone Sul da América Latina da Ericsson.

Especialistas de empresas privadas e representantes do governo brasileiro, argentino e peruano discutiram o papel das políticas públicas no fomento ao desenvolvimento da conectividade na América Latina. 

O debate foi coordenado por Jorge Fernando Negrete, presidente da Digital Policy Law, e contou com a participação de Vitor Elisio Góes de Oliveira Menezes, secretário de telecomunicações do MCTIC; Hector Huici, secretário de tecnologia da informação e comunicações do Ministério de Modernización da Argentina; Virginia Nakagawa Morales, vice-ministra de Comunicações do Ministério de Transportes y Comunicaciones do Peru; e Jose Juan Haro, director Latam Public Policy and Wholesale Business da Telefónica.

Plataformas de vídeo

A Telecom Advisory Services divulgou um estudo independente realizado por Raul Katz, PhD pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e renomado diretor de pesquisas de estratégia de negócios do Columbia Institute for Tele-Information.

O estudo mostra que a banda larga fixa no Brasil chega a quase 32 milhões de residências, o que representa 51,7% da população total. Além disso, serviços over-the-top (OTT) como Netflix, Amazon Prime Video, Globoplay, Apple TV, Google TV, Hulu e outras totalizam hoje aproximadamente 24 milhões de assinaturas. 

A pesquisa ainda ressalta que as tendências de verticalização do setor e a proliferação de plataformas de vídeo OTT beneficiam os consumidores, a concorrência e o conteúdo local, mas leis como a do SeAC, no Brasil, agem como barreiras ao desenvolvimento do setor.

Tecnologia e saúde

Os participantes do Futurecom 2019 também entraram em contato com soluções tecnológicas que devem melhorar a vida de muitas pessoas ao longo dos próximos anos. Com a utilização do 5G, Inteligência Artificial, Impressora 3D, Realidade Virtual e outras tecnologias, a saúde se tornará mais acessível e com tratamentos cada vez mais eficientes. 

Uma das soluções apresentadas na feira pela Ericsson foi um atendimento médico baseado em imagem com luva tátil controlada remotamente, permitindo realizar um exame completo por um especialista à distância. Já a NEC demonstrou como os aplicativos podem fazer o monitoramento de cilindros de oxigênio. 

O IEEE, maior organização técnica-profissional do mundo dedicada ao avanço da tecnologia em benefício da humanidade, apresentou no Futurecom 2019 a pesquisa "Geração IA 2019: Terceiro estudo anual sobre pais da geração do milênio e crianças da Geração Alfa". A mostra do estudo inclui 2.000 pais, de 23 a 38 anos, com pelo menos uma criança de nove anos ou menos, nos Estados Unidos, Reino Unido, Índia, China e Brasil. Os resultados mostram a confiança no uso das tecnologias emergentes para a saúde e o bem-estar dos seus filhos.



Segundo o estudo, a maioria dos pais brasileiros (75%) concorda que um coração impresso em 3D, devidamente testado e totalmente funcional, seja implantado em seus filhos no futuro, se necessário. Além disso, 90% dos pais da geração do milênio pesquisados preferem que seu pediatra recomende terapia com RV (Realidade Virtual) em vez de medicação para aliviar a dor dos filhos.

Infraestrutura e Interconexão

A Equinix apresentou no Futurecom seu estudo de mercado anual, que prevê a conectividade privada na edge aumentará a uma taxa composta de crescimento anual de 51%, com uma Velocidade de Interconexão total de mais de 13.300 Tbps. Com essa velocidade, por exemplo, todos os habitantes da Terra poderiam baixar ao mesmo tempo uma temporada inteira de Game of Thrones em Ultra High Definition em menos de um dia. 

Na era da hiperconexão, é preciso de uma infraestrutura robusta que garanta o funcionamento das tecnologias sem interrupção. "Em um mundo cada vez mais conectado, as instalações de Telecom precisam garantir a operação de seus serviços sem interrupções. Nossos produtos são competitivos e práticos no uso para proteger servidores, datacenters, POPs de internet pública e privada, entre outros", explica Pedro Al Shara, CEO da TS Shara.

FONTE Futurecom 2019

SÃO PAULO, 31 de outubro de 2019 /PRNewswire/ -- Os visitantes da 21ª edição do Futurecom, maior evento de Transformação Digital, Tecnologia e Telecomunicações da América Latina, puderam acompanhar uma programação completa que discute pontos importantes envolvendo tecnologias disruptivas e digitalização no Brasil e no mundo. No segundo dia de evento, a Rodada de Negócios reuniu 16 expositores e 36 compradores. Em duas horas, foram realizadas 96 reuniões, o que totalizou R$ 16 milhões em negócios fechados.

Em um dos principais encontros deste segundo dia, representantes das operadoras debateram "As oportunidades da Era Digital e seus impactos sobre as Estratégias e Modelos de Negócios". O painel reuniu Sun Baocheng, presidente da Huawei; Luiz Tonisi, head da Unidade de Marketing Brasil da Nokia; Leonardo Capdeville, CTIO da TIM; Marcelo Medeiros, vice-presidente da Dell Technologies; Ricardo Hobbs, vice-presidente de Estratégia e Novos Negócios da Vivo; Angelo Guerra, vice-presidente da NEC Brasil; Jefferson Wang, Global 5G Offering Co-Lead da Accenture; e Marcos Scheffer, vice-presidente de Redes para Cone Sul da América Latina da Ericsson.

Especialistas de empresas privadas e representantes do governo brasileiro, argentino e peruano discutiram o papel das políticas públicas no fomento ao desenvolvimento da conectividade na América Latina. 

O debate foi coordenado por Jorge Fernando Negrete, presidente da Digital Policy Law, e contou com a participação de Vitor Elisio Góes de Oliveira Menezes, secretário de telecomunicações do MCTIC; Hector Huici, secretário de tecnologia da informação e comunicações do Ministério de Modernización da Argentina; Virginia Nakagawa Morales, vice-ministra de Comunicações do Ministério de Transportes y Comunicaciones do Peru; e Jose Juan Haro, director Latam Public Policy and Wholesale Business da Telefónica.

Plataformas de vídeo

A Telecom Advisory Services divulgou um estudo independente realizado por Raul Katz, PhD pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e renomado diretor de pesquisas de estratégia de negócios do Columbia Institute for Tele-Information.

O estudo mostra que a banda larga fixa no Brasil chega a quase 32 milhões de residências, o que representa 51,7% da população total. Além disso, serviços over-the-top (OTT) como Netflix, Amazon Prime Video, Globoplay, Apple TV, Google TV, Hulu e outras totalizam hoje aproximadamente 24 milhões de assinaturas. 

A pesquisa ainda ressalta que as tendências de verticalização do setor e a proliferação de plataformas de vídeo OTT beneficiam os consumidores, a concorrência e o conteúdo local, mas leis como a do SeAC, no Brasil, agem como barreiras ao desenvolvimento do setor.

Tecnologia e saúde

Os participantes do Futurecom 2019 também entraram em contato com soluções tecnológicas que devem melhorar a vida de muitas pessoas ao longo dos próximos anos. Com a utilização do 5G, Inteligência Artificial, Impressora 3D, Realidade Virtual e outras tecnologias, a saúde se tornará mais acessível e com tratamentos cada vez mais eficientes. 

Uma das soluções apresentadas na feira pela Ericsson foi um atendimento médico baseado em imagem com luva tátil controlada remotamente, permitindo realizar um exame completo por um especialista à distância. Já a NEC demonstrou como os aplicativos podem fazer o monitoramento de cilindros de oxigênio. 

O IEEE, maior organização técnica-profissional do mundo dedicada ao avanço da tecnologia em benefício da humanidade, apresentou no Futurecom 2019 a pesquisa "Geração IA 2019: Terceiro estudo anual sobre pais da geração do milênio e crianças da Geração Alfa". A mostra do estudo inclui 2.000 pais, de 23 a 38 anos, com pelo menos uma criança de nove anos ou menos, nos Estados Unidos, Reino Unido, Índia, China e Brasil. Os resultados mostram a confiança no uso das tecnologias emergentes para a saúde e o bem-estar dos seus filhos.



Segundo o estudo, a maioria dos pais brasileiros (75%) concorda que um coração impresso em 3D, devidamente testado e totalmente funcional, seja implantado em seus filhos no futuro, se necessário. Além disso, 90% dos pais da geração do milênio pesquisados preferem que seu pediatra recomende terapia com RV (Realidade Virtual) em vez de medicação para aliviar a dor dos filhos.

Infraestrutura e Interconexão

A Equinix apresentou no Futurecom seu estudo de mercado anual, que prevê a conectividade privada na edge aumentará a uma taxa composta de crescimento anual de 51%, com uma Velocidade de Interconexão total de mais de 13.300 Tbps. Com essa velocidade, por exemplo, todos os habitantes da Terra poderiam baixar ao mesmo tempo uma temporada inteira de Game of Thrones em Ultra High Definition em menos de um dia. 

Na era da hiperconexão, é preciso de uma infraestrutura robusta que garanta o funcionamento das tecnologias sem interrupção. "Em um mundo cada vez mais conectado, as instalações de Telecom precisam garantir a operação de seus serviços sem interrupções. Nossos produtos são competitivos e práticos no uso para proteger servidores, datacenters, POPs de internet pública e privada, entre outros", explica Pedro Al Shara, CEO da TS Shara.

FONTE Futurecom 2019