Rodrigo Balassiano, investimentos em FIP Capital Semente pode ser uma boa alternativa

O especialista em fundos de investimento Rodrigo Balassiano da empresa ID Serviços financeiros, explicará de uma forma muito simples essa modalidade de fundos

SÃO PAULO, 11 de dezembro de 2019 /PRNewswire/ -- Um fundo de investimento em participações (FIP) é a chance de investir em empresas promissoras antes mesmo de elas abrirem capital na bolsa de valores.

O FIP é um investimento em renda variável e é constituído em forma de condomínio fechado e os participantes reúnem forças a fim de aplicar em companhias abertas, fechadas ou até mesmo em sociedades limitadas.

Ao investir em um, compramos cotas oferecidas pelo administrador que constituiu o fundo e que está captando os recursos junto aos investidores.

Obviamente, um fundo de investimento em participações oferece riscos e vantagens que precisamos conhecer.

O primeiro passo talvez seja o mais difícil.

Ser um investidor qualificado (com mais de R$ 1 milhão) ou profissional (com mais de R$ 10 milhões, para o caso dos FIP Multiestratégia).

O fundo de investimento em participações, obviamente, não é para todo o mundo. A restrição a investidores com pelo menos R$ 1 milhão limita a entrada neste tipo de aplicação. Porém, faz sentido, uma vez que existe um alto risco envolvido. Embora cada fundo possa diversificar suas aplicações, estamos falando de empresas que estão no início de um processo de abertura de seu capital, no seu nascimento ou mesmo em uma recuperação.

Talvez você ainda não esteja apto a investir por intermédio de um fundo de investimento em participações, mas, por outro lado, claro que é algo que é válido de conhecer.

Afinal a possibilidade multiplicadora de seu capital pode ser gigantesca.

E, dependendo do caso, quando chegar o momento, pode ser um risco que vale a pena correr, ainda mais considerando a possibilidade de interferir mais diretamente nas decisões das companhias, algo que, como acionistas minoritários, não poderíamos.

Mas afinal, o que é e como funciona o capital semente?

O capital semente é um tipo de financiamento em longo prazo concebido por fundos de investimento. Eles estão em uma camada acima do investimento anjo e podem aplicar até R$ 5 milhões em negócios que estão em fase de desenvolvimento.

A finalidade desse investimento é cobrir despesas iniciais, como o desenvolvimento do produto ou serviço, realização de pesquisas de mercado, captação de recursos humanos e a finalização do plano de negócio. Além disso, os recursos também são usados para garantir a estabilidade da empresa até que ela se torne sustentável.

O capital semente também pode ser aplicado em empreendimentos que já possuem uma oferta definida e têm uma pequena cartela de clientes. Nesse caso, o investimento é feito para expandir a estrutura, a produção e o consumo, bem como estabelecer essas startups no mercado e atraírem o interesse de fundos com maior poder de investimento.

Para diminuírem os riscos de prejuízos, os investidores de capital semente geralmente formam fundos que captam recursos de outros investidores e distribuem esses recursos em várias empresas iniciantes.

É importante mencionar, que os FIPs possuem administradores (pessoas jurídicas autorizadas pela CVM), cuja atividade compreende o conjunto de serviços relacionados direta ou indiretamente ao funcionamento e à manutenção do fundo, que podem ser prestados pelo próprio administrador ou por terceiros por ele contratados.

Por fim, vale destacar que os fundos devem observar rigorosamente as regras da CVM e as demonstrações contábeis anuais dos mesmos devem ser auditadas por auditor independente registrado na CVM, observadas as normas que disciplinam o exercício dessa atividade.

Foto: https://mma.prnewswire.com/media/1043101/Rodrigo_Balassiano.jpg?p=original

FONTE ID Serviços Financeiros

O especialista em fundos de investimento Rodrigo Balassiano da empresa ID Serviços financeiros, explicará de uma forma muito simples essa modalidade de fundos

SÃO PAULO, 11 de dezembro de 2019 /PRNewswire/ -- Um fundo de investimento em participações (FIP) é a chance de investir em empresas promissoras antes mesmo de elas abrirem capital na bolsa de valores.

O FIP é um investimento em renda variável e é constituído em forma de condomínio fechado e os participantes reúnem forças a fim de aplicar em companhias abertas, fechadas ou até mesmo em sociedades limitadas.

Ao investir em um, compramos cotas oferecidas pelo administrador que constituiu o fundo e que está captando os recursos junto aos investidores.

Obviamente, um fundo de investimento em participações oferece riscos e vantagens que precisamos conhecer.

O primeiro passo talvez seja o mais difícil.

Ser um investidor qualificado (com mais de R$ 1 milhão) ou profissional (com mais de R$ 10 milhões, para o caso dos FIP Multiestratégia).

O fundo de investimento em participações, obviamente, não é para todo o mundo. A restrição a investidores com pelo menos R$ 1 milhão limita a entrada neste tipo de aplicação. Porém, faz sentido, uma vez que existe um alto risco envolvido. Embora cada fundo possa diversificar suas aplicações, estamos falando de empresas que estão no início de um processo de abertura de seu capital, no seu nascimento ou mesmo em uma recuperação.

Talvez você ainda não esteja apto a investir por intermédio de um fundo de investimento em participações, mas, por outro lado, claro que é algo que é válido de conhecer.

Afinal a possibilidade multiplicadora de seu capital pode ser gigantesca.

E, dependendo do caso, quando chegar o momento, pode ser um risco que vale a pena correr, ainda mais considerando a possibilidade de interferir mais diretamente nas decisões das companhias, algo que, como acionistas minoritários, não poderíamos.

Mas afinal, o que é e como funciona o capital semente?

O capital semente é um tipo de financiamento em longo prazo concebido por fundos de investimento. Eles estão em uma camada acima do investimento anjo e podem aplicar até R$ 5 milhões em negócios que estão em fase de desenvolvimento.

A finalidade desse investimento é cobrir despesas iniciais, como o desenvolvimento do produto ou serviço, realização de pesquisas de mercado, captação de recursos humanos e a finalização do plano de negócio. Além disso, os recursos também são usados para garantir a estabilidade da empresa até que ela se torne sustentável.

O capital semente também pode ser aplicado em empreendimentos que já possuem uma oferta definida e têm uma pequena cartela de clientes. Nesse caso, o investimento é feito para expandir a estrutura, a produção e o consumo, bem como estabelecer essas startups no mercado e atraírem o interesse de fundos com maior poder de investimento.

Para diminuírem os riscos de prejuízos, os investidores de capital semente geralmente formam fundos que captam recursos de outros investidores e distribuem esses recursos em várias empresas iniciantes.

É importante mencionar, que os FIPs possuem administradores (pessoas jurídicas autorizadas pela CVM), cuja atividade compreende o conjunto de serviços relacionados direta ou indiretamente ao funcionamento e à manutenção do fundo, que podem ser prestados pelo próprio administrador ou por terceiros por ele contratados.

Por fim, vale destacar que os fundos devem observar rigorosamente as regras da CVM e as demonstrações contábeis anuais dos mesmos devem ser auditadas por auditor independente registrado na CVM, observadas as normas que disciplinam o exercício dessa atividade.

Foto: https://mma.prnewswire.com/media/1043101/Rodrigo_Balassiano.jpg?p=original

FONTE ID Serviços Financeiros

Você acabou de ler:

Rodrigo Balassiano, investimentos em FIP Capital Semente pode ser uma boa alternativa

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/rodrigo-balassiano-investimentos-em-fip-capital-semente-pode-ser-uma-boa-alternativa/