Saiba como funcionam as provas do turfe, por Renato Muoio - apaixonado por cavalos e investidor do esporte

SÃO PAULO, 21 de fevereiro de 2020 /PRNewswire/ -- Todos, provavelmente, já ouviram falar de corridas de cavalos, mas poucos sabem que esse é o turfe, um esporte de origem inglesa e que chegou no Brasil através dos próprios ingleses. Por volta do século XIX, alguns ingleses chegaram ao nosso País acompanhando a Corte Portuguesa (1808). Logo, o esporte já comum na Europa na época, passou a ser praticado também no Rio de Janeiro.

Renato Muoio jovem empresário do turfe nos conta como são as provas no mundo das corridas de cavalo. "Sou um amante de cavalos desde criança, por influencia do meu avô; e investidor do esporte desde 2011, quando criei o Stud Nova Glória, que fica no Jockey Club de São Paulo. Sei que existem curiosidades bem peculiares sobre turfe, já que não se trata de um esporte tão popular. Pelo mundo existem vários hipódromos em que o turfe é praticado. Inclusive as provas mais tradicionais e famosas do mundo acontecem na Europa, Dubai, Hong Kong, Japão, Austrália e Estados Unidos, e recentemente os países das América do Sul, vem se fortalecendo cada vez mais no esporte, assim como Brasil, Uruguai e Argentina " fala o investidor.

"Cada corrida de cavalos recebe o nome de páreo e acontece em um hipódromo, como o Jockey Club. Em um dia de corridas, são realizados em média dez páreos, os quais possuem um número de participantes previamente determinado. Os cavalos mais comuns no turfe são os de raça Puro Sangue Inglês; e podem ser machos ou fêmeas. A pista em que ocorre a corrida pode ser de areia ou de grama, variando de 1 a 3 km. Esses cavalos são normalmente especializados em um tipo de pista e em um determinado percurso. Assim, os proprietários, juntamente a equipe, decidem qual o melhor animal para disputar uma determinada prova.", conta o jovem.

O empresário segue contando. "Esse é um esporte para verdadeiros apaixonados por animais. Não existe espaço para quem realmente não ame cavalos. As provas são sérias e contam com regulamento bem rígido e específico. Para mais, com o objetivo de que não haja nenhuma irregularidade, existe toda uma comissão muita seria por trás de cada reunião turfística.", detalha Muoio. 

Para acompanhar o trabalho de Renato, basta segui-lo no Instagram @renatobmuoio.

Contato:

Assessoria Trilha Cultural | Conteúdo e Cultura

WhatsApp: +1 940-390-9095

FONTE Renato Muoio

SÃO PAULO, 21 de fevereiro de 2020 /PRNewswire/ -- Todos, provavelmente, já ouviram falar de corridas de cavalos, mas poucos sabem que esse é o turfe, um esporte de origem inglesa e que chegou no Brasil através dos próprios ingleses. Por volta do século XIX, alguns ingleses chegaram ao nosso País acompanhando a Corte Portuguesa (1808). Logo, o esporte já comum na Europa na época, passou a ser praticado também no Rio de Janeiro.

Renato Muoio jovem empresário do turfe nos conta como são as provas no mundo das corridas de cavalo. "Sou um amante de cavalos desde criança, por influencia do meu avô; e investidor do esporte desde 2011, quando criei o Stud Nova Glória, que fica no Jockey Club de São Paulo. Sei que existem curiosidades bem peculiares sobre turfe, já que não se trata de um esporte tão popular. Pelo mundo existem vários hipódromos em que o turfe é praticado. Inclusive as provas mais tradicionais e famosas do mundo acontecem na Europa, Dubai, Hong Kong, Japão, Austrália e Estados Unidos, e recentemente os países das América do Sul, vem se fortalecendo cada vez mais no esporte, assim como Brasil, Uruguai e Argentina " fala o investidor.

"Cada corrida de cavalos recebe o nome de páreo e acontece em um hipódromo, como o Jockey Club. Em um dia de corridas, são realizados em média dez páreos, os quais possuem um número de participantes previamente determinado. Os cavalos mais comuns no turfe são os de raça Puro Sangue Inglês; e podem ser machos ou fêmeas. A pista em que ocorre a corrida pode ser de areia ou de grama, variando de 1 a 3 km. Esses cavalos são normalmente especializados em um tipo de pista e em um determinado percurso. Assim, os proprietários, juntamente a equipe, decidem qual o melhor animal para disputar uma determinada prova.", conta o jovem.

O empresário segue contando. "Esse é um esporte para verdadeiros apaixonados por animais. Não existe espaço para quem realmente não ame cavalos. As provas são sérias e contam com regulamento bem rígido e específico. Para mais, com o objetivo de que não haja nenhuma irregularidade, existe toda uma comissão muita seria por trás de cada reunião turfística.", detalha Muoio. 

Para acompanhar o trabalho de Renato, basta segui-lo no Instagram @renatobmuoio.

Contato:

Assessoria Trilha Cultural | Conteúdo e Cultura

WhatsApp: +1 940-390-9095

FONTE Renato Muoio