SARS-CoV-2 e Influenza A são inativados por tecido de náilon impregnado com zinco

Um artigo publicado na ACS Applied Materials Interfaces detalha a eficácia e descreve o protocolo para testes futuros

HOUSTON, 17 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Uma equipe internacional de cientistas e engenheiros da Universidade de Cambridge, da Icahn School of Medicine do Mount Sinai, da ResInnova Labs e da Ascend Performance Materials constatou que um tecido de náilon impregnado com íons de zinco inativou com sucesso 99% dos vírus que causam a COVID-19 e a gripe comum.

Máscaras faciais, roupas de proteção e filtros são utilizados para barrar a disseminação de vírus. Mas máscaras de baixa qualidade podem abrigar vírus ativos transmitidos por usuários infectados, o que representa um risco de transmissão.

"Um grande desafio é a absorção e a inativação", disse Vikram Gopal, PhD, coautor sênior e diretor de tecnologia da Ascend Performance Materials. "Doenças virais respiratórias, como a COVID-19 e a gripe, são transmitidas por meio de gotículas e pulverização. O polipropileno, material comumente utilizado em máscaras descartáveis, é um plástico hidrofóbico e não absorve umidade. Porém, os vírus podem pousar na superfície da máscara, representando um risco de transmissão quando a máscara é manuseada."

O algodão também apresenta problemas, de acordo com o Dr. Gopal. "O algodão absorve umidade com eficácia, mas não inativa o vírus, representando novamente um risco de transmissão", disse ele.

No artigo publicado na ACS Applied Materials Interfaces, os pesquisadores descreveram como um tecido feito de náilon 6.6 impregnado com íons de zinco ativos absorveu as gotículas de umidade contendo vírus e inativaram as partículas com eficácia. O tecido produziu uma redução de dois registros, ou 99%, das partículas do vírus em uma hora.

A equipe de pesquisa também conseguiu demonstrar que o náilon com íons de zinco ativos permanece estável com o tempo, mantendo suas propriedades inativadoras de vírus após 50 lavagens. 

"O estudo mostra como o tecido têxtil de náilon com zinco supera o desempenho dos materiais de algodão e polipropileno amplamente usados na absorção e inativação de vírus", disse o Dr. Gopal.

Os resultados têm implicações significativas para o desenvolvimento futuro de EPIs, de acordo com o Dr. Gopal.

"EPIs livres de patógenos fazem mais do que apenas reduzir o risco de transmissão de vírus", disse o Dr. Gopal. "Ao tornar o EPI lavável e reutilizável, reduz-se a necessidade de produtos de uso único, mantendo centenas de milhões de máscaras longe dos aterros sanitários."

Contato: Nicki Britton, +1 832-205-4854, nbritt@ascendmaterials.com  

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1629181/Acteev_crystalline_structure_with_zinc_ions.jpg

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1326397/ASCEND_Logo.jpg

 

FONTE Ascend Performance Materials

Um artigo publicado na ACS Applied Materials Interfaces detalha a eficácia e descreve o protocolo para testes futuros

HOUSTON, 17 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Uma equipe internacional de cientistas e engenheiros da Universidade de Cambridge, da Icahn School of Medicine do Mount Sinai, da ResInnova Labs e da Ascend Performance Materials constatou que um tecido de náilon impregnado com íons de zinco inativou com sucesso 99% dos vírus que causam a COVID-19 e a gripe comum.

Máscaras faciais, roupas de proteção e filtros são utilizados para barrar a disseminação de vírus. Mas máscaras de baixa qualidade podem abrigar vírus ativos transmitidos por usuários infectados, o que representa um risco de transmissão.

"Um grande desafio é a absorção e a inativação", disse Vikram Gopal, PhD, coautor sênior e diretor de tecnologia da Ascend Performance Materials. "Doenças virais respiratórias, como a COVID-19 e a gripe, são transmitidas por meio de gotículas e pulverização. O polipropileno, material comumente utilizado em máscaras descartáveis, é um plástico hidrofóbico e não absorve umidade. Porém, os vírus podem pousar na superfície da máscara, representando um risco de transmissão quando a máscara é manuseada."

O algodão também apresenta problemas, de acordo com o Dr. Gopal. "O algodão absorve umidade com eficácia, mas não inativa o vírus, representando novamente um risco de transmissão", disse ele.

No artigo publicado na ACS Applied Materials Interfaces, os pesquisadores descreveram como um tecido feito de náilon 6.6 impregnado com íons de zinco ativos absorveu as gotículas de umidade contendo vírus e inativaram as partículas com eficácia. O tecido produziu uma redução de dois registros, ou 99%, das partículas do vírus em uma hora.

A equipe de pesquisa também conseguiu demonstrar que o náilon com íons de zinco ativos permanece estável com o tempo, mantendo suas propriedades inativadoras de vírus após 50 lavagens. 

"O estudo mostra como o tecido têxtil de náilon com zinco supera o desempenho dos materiais de algodão e polipropileno amplamente usados na absorção e inativação de vírus", disse o Dr. Gopal.

Os resultados têm implicações significativas para o desenvolvimento futuro de EPIs, de acordo com o Dr. Gopal.

"EPIs livres de patógenos fazem mais do que apenas reduzir o risco de transmissão de vírus", disse o Dr. Gopal. "Ao tornar o EPI lavável e reutilizável, reduz-se a necessidade de produtos de uso único, mantendo centenas de milhões de máscaras longe dos aterros sanitários."

Contato: Nicki Britton, +1 832-205-4854, nbritt@ascendmaterials.com  

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1629181/Acteev_crystalline_structure_with_zinc_ions.jpg

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1326397/ASCEND_Logo.jpg

 

FONTE Ascend Performance Materials

Você acabou de ler:

SARS-CoV-2 e Influenza A são inativados por tecido de náilon impregnado com zinco

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/sars-cov-2-e-influenza-a-sao-inativados-por-tecido-de-nailon-impregnado-com-zinco/