Sequenciadores Oxford Nanopore deixaram o Reino Unido para a China, para apoiarem o sequenciamento perto das amostras do coronavírus para vigilância contra a epidemia

OXFORD, Inglaterra, 31 de janeiro de 2020 /PRNewswire/ -- Após extenso apoio e colaboração com os profissionais de saúde pública da China, a Oxford Nanopore enviou 200 sequenciadores MinION adicionais e produtos de consumo relacionados para a China. Esses serão usados para apoiar a vigilância em curso da epidemia de coronavírus, somando-se ao grande número de aparelhos já instalados no país.

A Oxford Nanopore já está trabalhando para apoiar mais de 100 laboratórios de saúde pública na China, bem como um número de laboratórios chineses de microbiologia e cientistas de saúde pública globais, com uma crescente comunidade de cientistas fazendo parte do processo de vigilância.

"Somos privilegiados por estarmos trabalhando com uma comunidade científica global para apoiar sua compreensão desta epidemia", disse o Dr. Gordon Sanghera, CEO da Oxford Nanopore. "Esperamos que a visão nanoporo que permite que qualquer pessoa acesse a informação biológica, em qualquer lugar, tenha um impacto positivo, e estamos imensamente gratos pelo apoio da comunidade enquanto trabalhamos para a rápida otimização para esta epidemia".

O sequenciador MinION foi projetado para ampla acessibilidade. Ele pesa menos de 100 g e funciona com um laptop ou acessório especial, o MinIT, para realizar a análise dos dados. Ele transmite os dados da sequência em tempo real, permitindo sequenciamento rápido. Ele é bem adequado para sequenciamento rápido em locais distribuídos. Anteriormente, o aparelho realizou sequenciamento em locais rurais ou remotos, por exemplo, no entendimento do Ebola, Zica ou TB.

"Conseguimos gerar resultados em menos de 24 horas após recebermos uma amostra positiva de Ebola, com o processo de sequenciamento levando apenas de 15 a 60 minutos. Mostramos que a vigilância genômica em tempo real é possível em locais com recursos limitados, e que pode ser estabelecida rapidamente para monitorar epidemias". Josh Quick, Universidade de Birmingham, Revista Nature, 2016 https://www.nature.com/articles/nature16996

O rápido sequenciamento do coronavírus tem sido uma ferramenta essencial para o entendimento da epidemia. A informação da sequência é tipicamente combinada com dados sobre o local e a hora para fornecer uma visão de como o vírus está se propagando e se está sofrendo mudanças.

A tecnologia de sequenciamento da Oxford Nanopore foi usada em muitos dos genomas de coronavírus anteriores da China, incluindo o primeiro genoma publicado no New England Journal of Medicine (NEJM) e o "grupo" de genomas que indicava transmissão de humano para humano os quais foram publicados na Revista Lancet e os primeiros genomas publicados dos Estados Unidos.

Os pesquisadores da comunidade científica desenvolveram protocolos para o sequenciamento de nanoporos do novo coronavírus (nCOV); a Oxford Nanopore está trabalhando com a comunidade científica para a otimização desses protocolos.

Caso haja interesse em seguir as atualizações sobre o uso de nanoporos nessa epidemia, siga esta postagem, e se quiser entrar em contato para apoio específico para o nCOV, utilize esse formulário.

 

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1084698/Oxford_Nanopore_Technologies_1.jpg

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1084699/Oxford_Nanopore_Technologies_2.jpg

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1084701/Oxford_Nanopore_Technologies_3.jpg

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/1084702/Oxford_Nanopore_Technologies_Logo.jpg

 

FONTE Oxford Nanopore Technologies

OXFORD, Inglaterra, 31 de janeiro de 2020 /PRNewswire/ -- Após extenso apoio e colaboração com os profissionais de saúde pública da China, a Oxford Nanopore enviou 200 sequenciadores MinION adicionais e produtos de consumo relacionados para a China. Esses serão usados para apoiar a vigilância em curso da epidemia de coronavírus, somando-se ao grande número de aparelhos já instalados no país.

A Oxford Nanopore já está trabalhando para apoiar mais de 100 laboratórios de saúde pública na China, bem como um número de laboratórios chineses de microbiologia e cientistas de saúde pública globais, com uma crescente comunidade de cientistas fazendo parte do processo de vigilância.

"Somos privilegiados por estarmos trabalhando com uma comunidade científica global para apoiar sua compreensão desta epidemia", disse o Dr. Gordon Sanghera, CEO da Oxford Nanopore. "Esperamos que a visão nanoporo que permite que qualquer pessoa acesse a informação biológica, em qualquer lugar, tenha um impacto positivo, e estamos imensamente gratos pelo apoio da comunidade enquanto trabalhamos para a rápida otimização para esta epidemia".

O sequenciador MinION foi projetado para ampla acessibilidade. Ele pesa menos de 100 g e funciona com um laptop ou acessório especial, o MinIT, para realizar a análise dos dados. Ele transmite os dados da sequência em tempo real, permitindo sequenciamento rápido. Ele é bem adequado para sequenciamento rápido em locais distribuídos. Anteriormente, o aparelho realizou sequenciamento em locais rurais ou remotos, por exemplo, no entendimento do Ebola, Zica ou TB.

"Conseguimos gerar resultados em menos de 24 horas após recebermos uma amostra positiva de Ebola, com o processo de sequenciamento levando apenas de 15 a 60 minutos. Mostramos que a vigilância genômica em tempo real é possível em locais com recursos limitados, e que pode ser estabelecida rapidamente para monitorar epidemias". Josh Quick, Universidade de Birmingham, Revista Nature, 2016 https://www.nature.com/articles/nature16996

O rápido sequenciamento do coronavírus tem sido uma ferramenta essencial para o entendimento da epidemia. A informação da sequência é tipicamente combinada com dados sobre o local e a hora para fornecer uma visão de como o vírus está se propagando e se está sofrendo mudanças.

A tecnologia de sequenciamento da Oxford Nanopore foi usada em muitos dos genomas de coronavírus anteriores da China, incluindo o primeiro genoma publicado no New England Journal of Medicine (NEJM) e o "grupo" de genomas que indicava transmissão de humano para humano os quais foram publicados na Revista Lancet e os primeiros genomas publicados dos Estados Unidos.

Os pesquisadores da comunidade científica desenvolveram protocolos para o sequenciamento de nanoporos do novo coronavírus (nCOV); a Oxford Nanopore está trabalhando com a comunidade científica para a otimização desses protocolos.

Caso haja interesse em seguir as atualizações sobre o uso de nanoporos nessa epidemia, siga esta postagem, e se quiser entrar em contato para apoio específico para o nCOV, utilize esse formulário.

 

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1084698/Oxford_Nanopore_Technologies_1.jpg

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1084699/Oxford_Nanopore_Technologies_2.jpg

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1084701/Oxford_Nanopore_Technologies_3.jpg

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/1084702/Oxford_Nanopore_Technologies_Logo.jpg

 

FONTE Oxford Nanopore Technologies

Você acabou de ler:

Sequenciadores Oxford Nanopore deixaram o Reino Unido para a China, para apoiarem o sequenciamento perto das amostras do coronavírus para vigilância contra a epidemia

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/sequenciadores-oxford-nanopore-deixaram-o-reino-unido-para-a-china-para-apoiarem-o-sequenciamento-perto-das-amostras-do-coronavirus-para-vigilancia-contra-a-epidemia/