Syntach AB recebeu um subsídio da UE de 2,5 milhões de euros

LUND, Suécia, 20 de dezembro de 2021 /PRNewswire/ -- Em Lund, na Suécia, a Syntach AB recebeu 2,5 milhões de euros como subsídio e parte de financiamento combinado de até 17,5 milhões de euros do European Innovation Council (EIC) para apoiar o desenvolvimento de seu exclusivo sistema de suporte cardíaco minimamente invasivo.

Mais de 60 milhões de pessoas sofrem de insuficiência cardíaca, sendo está uma das causas mais comuns de mortes em todo o mundo. Um sistema de suporte cardíaco pode prolongar e salvar muitas vidas. A Syntach AB está desenvolvendo um sistema de assistência ventricular esquerda minimamente invasivo que, ao contrário dos sistemas atuais, não exige cirurgia de coração aberto para ser implantado. Adicionalmente, ele é alimentado por uma bateria implantada, o que evita uma linha de acionamento através da pele e muitos dos efeitos colaterais negativos associados aos dispositivos de assistência ventricular esquerda convencionais.

Em vez de substituir a função cardíaca, o sistema Syntach apoia e aprimora o movimento natural do plano da válvula mitral no coração, tornando cada batimento cardíaco mais eficaz. A minimização da exposição do sangue a materiais estranhos permite uma interação biocompatível e fisiológica que reduz ainda mais os efeitos colaterais negativos.

O EIC foi criado dentro do programa Horizon Europe da UE. O objetivo é identificar e apoiar novas tecnologias e inovações pioneiras, desde a pesquisa inicial até o lançamento no mercado e a expansão internacional. O financiamento concedido pelo EIC permitirá que a Syntach acelere o desenvolvimento de seu sistema de suporte cardíaco implantável e minimamente invasivo.

"Estamos orgulhosos e felizes por termos recebido este reconhecimento e apoio a um novo tratamento potencialmente revolucionário que pode ajudar centenas de milhares de pacientes, adicionando anos de vida de qualidade", declarou o Prof. Jan Solem, CEO e fundador da Syntach AB.

Tor Peters, presidente do Conselho diz: "Nosso objetivo é revolucionar a forma como os pacientes com insuficiência cardíaca são tratados e, ao mesmo tempo, criar uma empresa com a capacidade de oferecer esse tratamento em escala global. Ainda há muito trabalho a ser feito, entretanto, temos uma equipe fantástica e, aliados ao grande apoio dos pacientes, bem como das comunidades globais de cardiologia intervencionista e cirurgia cardíaca, estamos muito otimistas quanto ao nosso futuro."

A Syntach AB está sediada em Lund, Suécia, e desenvolve sistemas inovadores de suporte cardíaco, bem como sistemas de intervenção de válvula mitral em cooperação com vários centros de pesquisa acadêmica. A Syntach trabalha com o Cardiac MR Group no Departamento de Ciências Clínicas e Fisiologia Clínica da Universidade de Lund. A equipe acadêmica da Universidade Lund foi pioneira na pesquisa sobre o funcionamento do coração. 

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1712747/Syntach_Logo.jpg

FONTE Syntach AB

LUND, Suécia, 20 de dezembro de 2021 /PRNewswire/ -- Em Lund, na Suécia, a Syntach AB recebeu 2,5 milhões de euros como subsídio e parte de financiamento combinado de até 17,5 milhões de euros do European Innovation Council (EIC) para apoiar o desenvolvimento de seu exclusivo sistema de suporte cardíaco minimamente invasivo.

Mais de 60 milhões de pessoas sofrem de insuficiência cardíaca, sendo está uma das causas mais comuns de mortes em todo o mundo. Um sistema de suporte cardíaco pode prolongar e salvar muitas vidas. A Syntach AB está desenvolvendo um sistema de assistência ventricular esquerda minimamente invasivo que, ao contrário dos sistemas atuais, não exige cirurgia de coração aberto para ser implantado. Adicionalmente, ele é alimentado por uma bateria implantada, o que evita uma linha de acionamento através da pele e muitos dos efeitos colaterais negativos associados aos dispositivos de assistência ventricular esquerda convencionais.

Em vez de substituir a função cardíaca, o sistema Syntach apoia e aprimora o movimento natural do plano da válvula mitral no coração, tornando cada batimento cardíaco mais eficaz. A minimização da exposição do sangue a materiais estranhos permite uma interação biocompatível e fisiológica que reduz ainda mais os efeitos colaterais negativos.

O EIC foi criado dentro do programa Horizon Europe da UE. O objetivo é identificar e apoiar novas tecnologias e inovações pioneiras, desde a pesquisa inicial até o lançamento no mercado e a expansão internacional. O financiamento concedido pelo EIC permitirá que a Syntach acelere o desenvolvimento de seu sistema de suporte cardíaco implantável e minimamente invasivo.

"Estamos orgulhosos e felizes por termos recebido este reconhecimento e apoio a um novo tratamento potencialmente revolucionário que pode ajudar centenas de milhares de pacientes, adicionando anos de vida de qualidade", declarou o Prof. Jan Solem, CEO e fundador da Syntach AB.

Tor Peters, presidente do Conselho diz: "Nosso objetivo é revolucionar a forma como os pacientes com insuficiência cardíaca são tratados e, ao mesmo tempo, criar uma empresa com a capacidade de oferecer esse tratamento em escala global. Ainda há muito trabalho a ser feito, entretanto, temos uma equipe fantástica e, aliados ao grande apoio dos pacientes, bem como das comunidades globais de cardiologia intervencionista e cirurgia cardíaca, estamos muito otimistas quanto ao nosso futuro."

A Syntach AB está sediada em Lund, Suécia, e desenvolve sistemas inovadores de suporte cardíaco, bem como sistemas de intervenção de válvula mitral em cooperação com vários centros de pesquisa acadêmica. A Syntach trabalha com o Cardiac MR Group no Departamento de Ciências Clínicas e Fisiologia Clínica da Universidade de Lund. A equipe acadêmica da Universidade Lund foi pioneira na pesquisa sobre o funcionamento do coração. 

Logotipo - https://mma.prnewswire.com/media/1712747/Syntach_Logo.jpg

FONTE Syntach AB

Você acabou de ler:

Syntach AB recebeu um subsídio da UE de 2,5 milhões de euros

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/syntach-ab-recebeu-um-subsidio-da-ue-de-25-milhoes-de-euros/