''Temos oportunidades na agenda anticorrupção e é preciso retomá-la para fortalecer a democracia'', afirma Sergio Moro

Jurista e ex-ministro da Justiça, Moro também defendeu reformas estruturantes e o desenvolvimento de mecanismos para barrar as notícias falsas

SÃO PAULO, 16 de julho de 2020 /PRNewswire/ -- O jurista Sergio Moro (Ministro da Justiça e da Segurança Pública 2019 -2020) foi o expositor do LIDE LIVE, promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, nesta quinta-feira (16). No evento on-line, o ex-juiz falou sobre a "Cenário e perspectivas de iniciativas anticorrupção no Brasil" e respondeu a perguntas de empresários de diversos setores da economia.

O evento remoto e interativo ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de autoridades brasileiras. O LIDE LIVE teve a mediação do jornalista Willian Waack; do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan; e do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto.

"As dificuldades podem trazer oportunidades e sairíamos melhor se usássemos esse obstáculo para fazer reformas necessárias, como a administrativa, a tributária, e pontuais sobre produtividade e, principalmente, anticorrupção. Isso depende da capacidade institucional, dos agentes políticos e da população, que tem o papel de cobrá-los", afirmou Moro.

Durante a live, o jurista defendeu ações contra atos ilícitos no poder público. "Temos oportunidades à frente na agenda anticorrupção e é preciso retomá-la para fortalecer a democracia e minimizar alguns atos autoritários que surgiram e para retomar a economia, a produtividade e evitar desvios e distorções dos agentes econômicos", considerou.

O ex-juiz também elogiou a atuação do Supremo Tribunal Federal no sentido de manter a segurança jurídica na luta contra a corrupção. "Tivemos pelo menos três grandes decisões no STF importantes, como a execução de condenação em segunda instância; a proibição de doação corporativa para campanhas eleitorais; e a restrição do foro privilegiado".

Sergio Moro também se mostrou preocupado com a disseminação de falsas notícias. "Distribuição de fake news, ofensas e ameaças em massa não constituem uma atividade da liberdade de expressão. Esse tipo de mensagem deve ser banida das redes sociais e temos de proteger uma esfera, mas sem permitir manipulação e distorção deste debate. Então é necessário termos mecanismos de proteção".

O ex-ministro da Justiça também falou sobre a possibilidade de se candidatar à presidência. "Sabemos que 2022 está longe, e ainda não é claro como o país estará até lá. Existem vários bons possíveis candidatos e o mais importante que o personagem, é a causa e a agenda defendida. Precisamos de uma conversa mais robusta das agendas para o projeto de país a partir de 2022".

O LIDE LIVE teve como fornecedor oficial a RCE.

Informações à imprensa

Alan Cruz - alancruz@grupodoria.com.br

Claudio Pimentel - claudiopimentel@grupodoria.com.br

FONTE LIDE

Jurista e ex-ministro da Justiça, Moro também defendeu reformas estruturantes e o desenvolvimento de mecanismos para barrar as notícias falsas

SÃO PAULO, 16 de julho de 2020 /PRNewswire/ -- O jurista Sergio Moro (Ministro da Justiça e da Segurança Pública 2019 -2020) foi o expositor do LIDE LIVE, promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, nesta quinta-feira (16). No evento on-line, o ex-juiz falou sobre a "Cenário e perspectivas de iniciativas anticorrupção no Brasil" e respondeu a perguntas de empresários de diversos setores da economia.

O evento remoto e interativo ocorreu em virtude da pandemia da Covid-19, o novo coronavírus, em medida alinhada às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de autoridades brasileiras. O LIDE LIVE teve a mediação do jornalista Willian Waack; do chairman do LIDE, Luiz Fernando Furlan; e do diretor-executivo do Grupo Doria, João Doria Neto.

"As dificuldades podem trazer oportunidades e sairíamos melhor se usássemos esse obstáculo para fazer reformas necessárias, como a administrativa, a tributária, e pontuais sobre produtividade e, principalmente, anticorrupção. Isso depende da capacidade institucional, dos agentes políticos e da população, que tem o papel de cobrá-los", afirmou Moro.

Durante a live, o jurista defendeu ações contra atos ilícitos no poder público. "Temos oportunidades à frente na agenda anticorrupção e é preciso retomá-la para fortalecer a democracia e minimizar alguns atos autoritários que surgiram e para retomar a economia, a produtividade e evitar desvios e distorções dos agentes econômicos", considerou.

O ex-juiz também elogiou a atuação do Supremo Tribunal Federal no sentido de manter a segurança jurídica na luta contra a corrupção. "Tivemos pelo menos três grandes decisões no STF importantes, como a execução de condenação em segunda instância; a proibição de doação corporativa para campanhas eleitorais; e a restrição do foro privilegiado".

Sergio Moro também se mostrou preocupado com a disseminação de falsas notícias. "Distribuição de fake news, ofensas e ameaças em massa não constituem uma atividade da liberdade de expressão. Esse tipo de mensagem deve ser banida das redes sociais e temos de proteger uma esfera, mas sem permitir manipulação e distorção deste debate. Então é necessário termos mecanismos de proteção".

O ex-ministro da Justiça também falou sobre a possibilidade de se candidatar à presidência. "Sabemos que 2022 está longe, e ainda não é claro como o país estará até lá. Existem vários bons possíveis candidatos e o mais importante que o personagem, é a causa e a agenda defendida. Precisamos de uma conversa mais robusta das agendas para o projeto de país a partir de 2022".

O LIDE LIVE teve como fornecedor oficial a RCE.

Informações à imprensa

Alan Cruz - alancruz@grupodoria.com.br

Claudio Pimentel - claudiopimentel@grupodoria.com.br

FONTE LIDE