Três vacinas chinesas contra a COVID-19 estão a caminho

PEQUIM, 16 abril de 2020 /PRNewswire/ -- De acordo com as últimas notícias do jornal chinês do Ministério da Ciência e Tecnologia, Science and Technology Daily (14 de abril) duas vacinas inativadas da COVID-19 acabaram de ser aprovadas para um estudo clínico combinado de fases I e II pela National Medical Products Administration (NMPA) da China, fazendo delas o primeiro lote nessa categoria. As duas vacinas foram desenvolvidas respectivamente pelo Wuhan Institute of Biological Products Co., Ltd da Sinopharm e pela Sinovac Research & Development Co., Ltd, com outros institutos de pesquisa.

Esta é outra boa notícia, uma vez que a equipe de Chen Wei, acadêmico da Academia de Engenharia da China e pesquisador da Academia de Ciências Médicas Militares, obteve aprovação de estudos clínicos para a vacina recombinante da COVID-19 que desenvolveram no dia 17 de março.

"Estamos liderando o desenvolvimento de vacinas da COVID-19 globalmente falando", disse com orgulho Wang Junzhi, acadêmico da Academia de Engenharia da China. Em seguida, ele propôs quatro fatores para essa conquista: início precoce, direção precisa, base científica e colaboração de todas as partes envolvidas.

A vacina não é apenas uma solução distante para a emergência atual, mas a arma mais poderosa para derrotar a COVID-19.

A China tomou a decisão de acelerar o ritmo com base em julgamento racional e organização, com a premissa da garantia de segurança. No dia 21 de janeiro, o Ministério da Ciência e Tecnologia (MOST) anunciou a criação de um grupo de especialistas de prevenção e controle de epidemias contra a COVID-19. O grupo foi liderado por Zhong Nanshan, acadêmico da Academia de Engenharia da China, formado por 14 especialistas. No dia 22, os primeiros oito programas de emergência de resposta científica à COVID-19 começaram rapidamente.

O grupo de especialistas havia decidido seguir cinco direções para o desenvolvimento da vacina: vacinas inativadas, vacinas de subunidades de engenharia genética, vacinas de vetores de adenovírus, vacinas de ácido nucleico e vacinas usando o vírus da influenza atenuado como vetor. As cinco direções deveriam ser seguidas ao mesmo tempo. Oito equipes em vantagem no desenvolvimento de vacinas foram escolhidas para colaborar nessa missão com um plano detalhado de trabalho atualizado.

Graças ao julgamento preciso de Chen Wei e ao conhecimento e experiência acumulados no desenvolvimento de vacinas, sua equipe foi a primeira a alcançar conquistas inovadoras. No início de fevereiro, ela sugeriu que a COVID-19 continua sendo um coronavírus, apesar de sua possível variação. Portanto, o antígeno-alvo mútuo, a patogênese e o receptor poderão ser identificados rapidamente com a ajuda da bioinformática e da mineração de big data assim que a variação aparecer. E o desenvolvimento da vacina poderá ser melhorado rapidamente de acordo com a variação.

Desde o início do programa, a equipe de Chen Wei conduziu pesquisas sobre a vacina recombinante da COVID-19 (vacina de vetor de adenovírus), com base na experiência bem-sucedida no desenvolvimento da vacina contra o ebola com grande velocidade. No dia 17 de março, a vacina recombinante da COVID-19 dessa equipe foi aprovada para estudo clínico, que aconteceu um mês antes do esperado. No dia 2 de abril, em Wuhan, os 108 sujeitos do estudo clínico de fase I receberam a vacina. No dia 9 da fase II do estudo clínico, que tem grande escala e introduz os grupos de controle de placebo, começou a recrutar voluntários.

Enquanto isso, todas as outras direções de pesquisa também fizeram progressos.

Lei Chaozi, diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Educação, apresentou as conquistas atuais: pesquisas sobre a segurança e validade de experimentos em animais para vacinas atenuadas de vetores de influenza estão em andamento e, até o final de abril, espera-se que haja pesquisas pré-clínicas de estudos de candidatas a vacinas e solicitação de estudos clínicos. Estão sendo realizados experimentos em animais, em camundongos e coelhos, da vacina protéica recombinante, e a tecnologia da produção em grande escala de vacinas de alta qualidade e pureza foi dominada. O desenvolvimento da vacina com ácido nucleico é uma nova tecnologia que está sendo explorada no mundo todo, mas ela ainda não entrou no mercado.

Ao mesmo tempo, Wang Junzhi enfatizou especificamente a questão de segurança da vacina: "Por um lado, os cientistas chineses procuram aproveitar ao máximo o tempo com grande esforço. Por outro, conduzem pesquisas sob leis científicas e garantem a segurança e a validade da vacina. Todas as atividades de pesquisa e desenvolvimento estão em conformidade com os regulamentos e requisitos tecnológicos correspondentes".

FONTE Science and Technology Daily

PEQUIM, 16 abril de 2020 /PRNewswire/ -- De acordo com as últimas notícias do jornal chinês do Ministério da Ciência e Tecnologia, Science and Technology Daily (14 de abril) duas vacinas inativadas da COVID-19 acabaram de ser aprovadas para um estudo clínico combinado de fases I e II pela National Medical Products Administration (NMPA) da China, fazendo delas o primeiro lote nessa categoria. As duas vacinas foram desenvolvidas respectivamente pelo Wuhan Institute of Biological Products Co., Ltd da Sinopharm e pela Sinovac Research & Development Co., Ltd, com outros institutos de pesquisa.

Esta é outra boa notícia, uma vez que a equipe de Chen Wei, acadêmico da Academia de Engenharia da China e pesquisador da Academia de Ciências Médicas Militares, obteve aprovação de estudos clínicos para a vacina recombinante da COVID-19 que desenvolveram no dia 17 de março.

"Estamos liderando o desenvolvimento de vacinas da COVID-19 globalmente falando", disse com orgulho Wang Junzhi, acadêmico da Academia de Engenharia da China. Em seguida, ele propôs quatro fatores para essa conquista: início precoce, direção precisa, base científica e colaboração de todas as partes envolvidas.

A vacina não é apenas uma solução distante para a emergência atual, mas a arma mais poderosa para derrotar a COVID-19.

A China tomou a decisão de acelerar o ritmo com base em julgamento racional e organização, com a premissa da garantia de segurança. No dia 21 de janeiro, o Ministério da Ciência e Tecnologia (MOST) anunciou a criação de um grupo de especialistas de prevenção e controle de epidemias contra a COVID-19. O grupo foi liderado por Zhong Nanshan, acadêmico da Academia de Engenharia da China, formado por 14 especialistas. No dia 22, os primeiros oito programas de emergência de resposta científica à COVID-19 começaram rapidamente.

O grupo de especialistas havia decidido seguir cinco direções para o desenvolvimento da vacina: vacinas inativadas, vacinas de subunidades de engenharia genética, vacinas de vetores de adenovírus, vacinas de ácido nucleico e vacinas usando o vírus da influenza atenuado como vetor. As cinco direções deveriam ser seguidas ao mesmo tempo. Oito equipes em vantagem no desenvolvimento de vacinas foram escolhidas para colaborar nessa missão com um plano detalhado de trabalho atualizado.

Graças ao julgamento preciso de Chen Wei e ao conhecimento e experiência acumulados no desenvolvimento de vacinas, sua equipe foi a primeira a alcançar conquistas inovadoras. No início de fevereiro, ela sugeriu que a COVID-19 continua sendo um coronavírus, apesar de sua possível variação. Portanto, o antígeno-alvo mútuo, a patogênese e o receptor poderão ser identificados rapidamente com a ajuda da bioinformática e da mineração de big data assim que a variação aparecer. E o desenvolvimento da vacina poderá ser melhorado rapidamente de acordo com a variação.

Desde o início do programa, a equipe de Chen Wei conduziu pesquisas sobre a vacina recombinante da COVID-19 (vacina de vetor de adenovírus), com base na experiência bem-sucedida no desenvolvimento da vacina contra o ebola com grande velocidade. No dia 17 de março, a vacina recombinante da COVID-19 dessa equipe foi aprovada para estudo clínico, que aconteceu um mês antes do esperado. No dia 2 de abril, em Wuhan, os 108 sujeitos do estudo clínico de fase I receberam a vacina. No dia 9 da fase II do estudo clínico, que tem grande escala e introduz os grupos de controle de placebo, começou a recrutar voluntários.

Enquanto isso, todas as outras direções de pesquisa também fizeram progressos.

Lei Chaozi, diretor do Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Educação, apresentou as conquistas atuais: pesquisas sobre a segurança e validade de experimentos em animais para vacinas atenuadas de vetores de influenza estão em andamento e, até o final de abril, espera-se que haja pesquisas pré-clínicas de estudos de candidatas a vacinas e solicitação de estudos clínicos. Estão sendo realizados experimentos em animais, em camundongos e coelhos, da vacina protéica recombinante, e a tecnologia da produção em grande escala de vacinas de alta qualidade e pureza foi dominada. O desenvolvimento da vacina com ácido nucleico é uma nova tecnologia que está sendo explorada no mundo todo, mas ela ainda não entrou no mercado.

Ao mesmo tempo, Wang Junzhi enfatizou especificamente a questão de segurança da vacina: "Por um lado, os cientistas chineses procuram aproveitar ao máximo o tempo com grande esforço. Por outro, conduzem pesquisas sob leis científicas e garantem a segurança e a validade da vacina. Todas as atividades de pesquisa e desenvolvimento estão em conformidade com os regulamentos e requisitos tecnológicos correspondentes".

FONTE Science and Technology Daily

Você acabou de ler:

Três vacinas chinesas contra a COVID-19 estão a caminho

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/tres-vacinas-chinesas-contra-a-covid-19-estao-a-caminho/