Último dia do 17º Congresso Internacional de Shopping Centers debate política, economia, inovação e futuro do setor

Último dia do evento foi marcado por mais uma série de importantes debates sobre o setor e presença de importantes nomes do varejo, comunicação e pesquisadores

SÃO PAULO, 24 de junho de 2022 /PRNewswire/ -- O último dia do 17º Congresso Internacional de Shopping Centers, realizado nesta sexta-feira (24/6), foi marcado por debates sobre a economia, política brasileira, inovação e consumo e um balanço com alguns dos principais players do setor que falaram sobre o futuro do varejo nos centros comerciais. O evento da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) recebeu cerca de 2.400 pessoas durante os três dias de palestras e debates. Ele ocorre junto à Exposhopping 2022 que teve mais de 12 mil visitantes gerando negócios e networking.

Em um dos momentos mais aguardados dos três dias de evento, Marcelo Carvalho, co-presidente da Ancar Ivanhoe; Renato Rique, presidente executivo do Conselho de Administração da Aliansce Sonae e Carlos Jereissati Filho, ex-presidente do Grupo Iguatemi, fizeram um diagnóstico de quais os principais desafios dos próximos anos e como superá-los, em um bate-papo mediado pelo presidente da Abrasce, Glauco Humai.

Direto ao ponto, Rique lembrou que os shoppings criaram um ecossistema econômico capaz de gerar toda um resiliência a crises econômicas, políticas e enfrentar desafios e ainda revelou a potência do setor: o público, que gosta de estar neles nos empreendimentos. "A gente vê que o que nós oferecemos nos shoppings tem um diferencial muito grande, pelo fato de as pessoas estarem ali participando pessoalmente da jornada da sua compra", afirmou.

Referendando as afirmações sobre como o varejo físico nos shoppings tem potencial e expertise para enfrentar e se aproveitar das principais mudanças sociais e tecnológicas e está cada vez mais presente nesta vanguarda, o co-presidente da Ancar Inanhoe afirmou que a tecnologia não deve ser encarada como uma simples competidora, mas como ferramenta. "É um meio de você melhorar um processo, pois no centro da nossa estratégia estão as pessoas; sejam elas consumidores ou lojistas. A gente está indo em uma direção de fortalecer a nossa relação dos nossos lojistas com a tecnologia", destacou.

As duas décadas em que esteve no Grupo Iguatemi credenciaram Carlos Jereissatti a falar sobre o assunto. Com toda a expertise acumulada, ele aproveitou o espaço para revelar os métodos que levaram o conglomerado a se tornar referência neste sentido. E de como o setor diferencia-se do varejo por ter características únicas e investir em experiências cada vez mais consistentes aos consumidores.

Jereissatti aproveitou para elogiar o Congresso e a Exposhopping ao relatar que os eventos demonstram a força e vitalidade do setor. "Passamos por um momento desafiador que mostrou o quanto o varejo físico é relevante para a sociedade. No Brasil, os shoppings são um modelo de negócio vivo e visto como uma grande referência por outros países", afirmou.

Inovação e Tecnologia - Ainda no terceiro dia de congresso, André Miceli, CEO e editor chefe da MIT; Carla Tieppo, neurocientista e professora da Singularity University e Rodrigo Chamorro debateram inovação, tecnologia e futurismo, discorreram sobre como alguns gatilhos tecnológicos alinhados à emoção podem criar oportunidades únicas para o varejo.

Carla defendeu a importância de que as marcas estejam cada vez mais presentes no cotidiano dos consumidores, mesmo quando eles não estão por perto. "Vivemos em um mundo com muitas interferências, por isso você precisa fazer o cliente sentir. É o emocional, a experiência que vai fazer esse cliente voltar para casa", afirmou.

Política e Economia - Mais cedo na programação do evento, as jornalistas Ana Flor, da Globo News; Juliana Rosa, da Band News e a advogada e comunicóloga Gabriela Prioli, da CNN Brasil, realizaram um intenso debate sobre democracia, economia e política.

No encerramento do evento, Humai fez um balanço positivo das atividades no congresso e garantiu que a Abrasce empenhada em obter resultados cada vez mais positivos e deixou aberto o convite para a próxima edição. "Espero que em 2024 a gente possa corresponder ainda mais as expectativas do setor", finalizou.

FONTE Abrasce

Último dia do evento foi marcado por mais uma série de importantes debates sobre o setor e presença de importantes nomes do varejo, comunicação e pesquisadores

SÃO PAULO, 24 de junho de 2022 /PRNewswire/ -- O último dia do 17º Congresso Internacional de Shopping Centers, realizado nesta sexta-feira (24/6), foi marcado por debates sobre a economia, política brasileira, inovação e consumo e um balanço com alguns dos principais players do setor que falaram sobre o futuro do varejo nos centros comerciais. O evento da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) recebeu cerca de 2.400 pessoas durante os três dias de palestras e debates. Ele ocorre junto à Exposhopping 2022 que teve mais de 12 mil visitantes gerando negócios e networking.

Em um dos momentos mais aguardados dos três dias de evento, Marcelo Carvalho, co-presidente da Ancar Ivanhoe; Renato Rique, presidente executivo do Conselho de Administração da Aliansce Sonae e Carlos Jereissati Filho, ex-presidente do Grupo Iguatemi, fizeram um diagnóstico de quais os principais desafios dos próximos anos e como superá-los, em um bate-papo mediado pelo presidente da Abrasce, Glauco Humai.

Direto ao ponto, Rique lembrou que os shoppings criaram um ecossistema econômico capaz de gerar toda um resiliência a crises econômicas, políticas e enfrentar desafios e ainda revelou a potência do setor: o público, que gosta de estar neles nos empreendimentos. "A gente vê que o que nós oferecemos nos shoppings tem um diferencial muito grande, pelo fato de as pessoas estarem ali participando pessoalmente da jornada da sua compra", afirmou.

Referendando as afirmações sobre como o varejo físico nos shoppings tem potencial e expertise para enfrentar e se aproveitar das principais mudanças sociais e tecnológicas e está cada vez mais presente nesta vanguarda, o co-presidente da Ancar Inanhoe afirmou que a tecnologia não deve ser encarada como uma simples competidora, mas como ferramenta. "É um meio de você melhorar um processo, pois no centro da nossa estratégia estão as pessoas; sejam elas consumidores ou lojistas. A gente está indo em uma direção de fortalecer a nossa relação dos nossos lojistas com a tecnologia", destacou.

As duas décadas em que esteve no Grupo Iguatemi credenciaram Carlos Jereissatti a falar sobre o assunto. Com toda a expertise acumulada, ele aproveitou o espaço para revelar os métodos que levaram o conglomerado a se tornar referência neste sentido. E de como o setor diferencia-se do varejo por ter características únicas e investir em experiências cada vez mais consistentes aos consumidores.

Jereissatti aproveitou para elogiar o Congresso e a Exposhopping ao relatar que os eventos demonstram a força e vitalidade do setor. "Passamos por um momento desafiador que mostrou o quanto o varejo físico é relevante para a sociedade. No Brasil, os shoppings são um modelo de negócio vivo e visto como uma grande referência por outros países", afirmou.

Inovação e Tecnologia - Ainda no terceiro dia de congresso, André Miceli, CEO e editor chefe da MIT; Carla Tieppo, neurocientista e professora da Singularity University e Rodrigo Chamorro debateram inovação, tecnologia e futurismo, discorreram sobre como alguns gatilhos tecnológicos alinhados à emoção podem criar oportunidades únicas para o varejo.

Carla defendeu a importância de que as marcas estejam cada vez mais presentes no cotidiano dos consumidores, mesmo quando eles não estão por perto. "Vivemos em um mundo com muitas interferências, por isso você precisa fazer o cliente sentir. É o emocional, a experiência que vai fazer esse cliente voltar para casa", afirmou.

Política e Economia - Mais cedo na programação do evento, as jornalistas Ana Flor, da Globo News; Juliana Rosa, da Band News e a advogada e comunicóloga Gabriela Prioli, da CNN Brasil, realizaram um intenso debate sobre democracia, economia e política.

No encerramento do evento, Humai fez um balanço positivo das atividades no congresso e garantiu que a Abrasce empenhada em obter resultados cada vez mais positivos e deixou aberto o convite para a próxima edição. "Espero que em 2024 a gente possa corresponder ainda mais as expectativas do setor", finalizou.

FONTE Abrasce

Você acabou de ler:

Último dia do 17º Congresso Internacional de Shopping Centers debate política, economia, inovação e futuro do setor

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/ultimo-dia-do-17o-congresso-internacional-de-shopping-centers-debate-politica-economia-inovacao-e-futuro-do-setor/