XVII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana tem público recorde

EVENTO VIRTUAL DISCUTIU QUESTÕES RELACIONADAS A FRONTEIRAS. ORGANIZADORES CONFIRMARAM EDIÇÃO 2021

RIO DE JANEIRO, 30 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- A Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana concluiu sua 17ª edição – a primeira em formato virtual e em dois dias, 24 e 25 de setembro – com público recorde de mais de três mil inscritos. O tema "Novas Fronteiras e Soberania Frente aos Desafios Globais" norteou debates sobre fronteiras tradicionais, econômicas e digitais.

A Fundação Konrad Adenauer e o CEBRI, organizadores do evento com apoio da Delegação da União Europeia no Brasil, reuniram especialistas e autoridades como Fernando Azevedo e Silva, Ministro da Defesa do Brasil, e David McAllister, presidente da Comissão de Assuntos Externos do Parlamento Europeu, que protagonizaram o painel de abertura, na quinta-feira, 24, moderado pelo embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez.

Em seguida, o painel "Fronteiras Tradicionais: Questões Sobre Soberania e Segurança", mediado pelo professor Antonio Jorge Ramalho da Rocha (UNB), discutiu imigrações, nacionalismo e meio-ambiente. Participaram os especialistas Henning Speck, conselheiro de Segurança Nacional do Grupo Parlamentar CDU/CSU da Alemanha; Elena Lazarou, analista de política no Serviço de Estudos do Parlamento Europeu; e o major-brigadeiro Ary Soares Mesquita, Secretário de Defesa e Segurança Nacional no GSI, Brasil.

O painel "Fronteiras Econômicas: A Indústria de Defesa no Mundo Globalizado", mediado pelo presidente e CEO da Siemens Brasil, André Clark, abriu o segundo dia debatendo as parcerias entre América Latina e Europa, transferências de tecnologia e impactos da COVID-19. Os participantes foram: Carlo Masala, professor da Universidade Bundeswehr; Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa e Segurança; Anne Fort, da Direção-Geral da Indústria de Defesa e Espaço da Comissão Europeia.

O último painel, "Novas Fronteiras na Era Geopolítica Digital", trouxe a temática do ciberespaço, incluindo o uso de dados e tecnologia 5G. Eduardo Magrani, da Fundação Konrad Adenauer; Juan Battaleme, Secretário Acadêmico do CARI, Argentina; e Wiktor Staniecki, chefe do setor cibernético na Divisão de Política de Segurança e Defesa do Serviço Europeu de Ação Externa debateram sob a moderação da professora Sabrina Medeiros, da Escola de Guerra Naval.

Por fim, a diretora da KAS no Brasil, Anja Czymmeck, agradeceu a participação de todos: "O diálogo entre América Latina e Europa é importante e crucial para nossos continentes", concluiu. Ela confirmou a edição 2021 da Conferência e afirmou que os legados do formato virtual serão considerados.

FONTE XVII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana

EVENTO VIRTUAL DISCUTIU QUESTÕES RELACIONADAS A FRONTEIRAS. ORGANIZADORES CONFIRMARAM EDIÇÃO 2021

RIO DE JANEIRO, 30 de setembro de 2020 /PRNewswire/ -- A Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana concluiu sua 17ª edição – a primeira em formato virtual e em dois dias, 24 e 25 de setembro – com público recorde de mais de três mil inscritos. O tema "Novas Fronteiras e Soberania Frente aos Desafios Globais" norteou debates sobre fronteiras tradicionais, econômicas e digitais.

A Fundação Konrad Adenauer e o CEBRI, organizadores do evento com apoio da Delegação da União Europeia no Brasil, reuniram especialistas e autoridades como Fernando Azevedo e Silva, Ministro da Defesa do Brasil, e David McAllister, presidente da Comissão de Assuntos Externos do Parlamento Europeu, que protagonizaram o painel de abertura, na quinta-feira, 24, moderado pelo embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez.

Em seguida, o painel "Fronteiras Tradicionais: Questões Sobre Soberania e Segurança", mediado pelo professor Antonio Jorge Ramalho da Rocha (UNB), discutiu imigrações, nacionalismo e meio-ambiente. Participaram os especialistas Henning Speck, conselheiro de Segurança Nacional do Grupo Parlamentar CDU/CSU da Alemanha; Elena Lazarou, analista de política no Serviço de Estudos do Parlamento Europeu; e o major-brigadeiro Ary Soares Mesquita, Secretário de Defesa e Segurança Nacional no GSI, Brasil.

O painel "Fronteiras Econômicas: A Indústria de Defesa no Mundo Globalizado", mediado pelo presidente e CEO da Siemens Brasil, André Clark, abriu o segundo dia debatendo as parcerias entre América Latina e Europa, transferências de tecnologia e impactos da COVID-19. Os participantes foram: Carlo Masala, professor da Universidade Bundeswehr; Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa e Segurança; Anne Fort, da Direção-Geral da Indústria de Defesa e Espaço da Comissão Europeia.

O último painel, "Novas Fronteiras na Era Geopolítica Digital", trouxe a temática do ciberespaço, incluindo o uso de dados e tecnologia 5G. Eduardo Magrani, da Fundação Konrad Adenauer; Juan Battaleme, Secretário Acadêmico do CARI, Argentina; e Wiktor Staniecki, chefe do setor cibernético na Divisão de Política de Segurança e Defesa do Serviço Europeu de Ação Externa debateram sob a moderação da professora Sabrina Medeiros, da Escola de Guerra Naval.

Por fim, a diretora da KAS no Brasil, Anja Czymmeck, agradeceu a participação de todos: "O diálogo entre América Latina e Europa é importante e crucial para nossos continentes", concluiu. Ela confirmou a edição 2021 da Conferência e afirmou que os legados do formato virtual serão considerados.

FONTE XVII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana

Você acabou de ler:

XVII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana tem público recorde

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/xvii-conferencia-de-seguranca-internacional-do-forte-de-copacabana-tem-publico-recorde/