XVIII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana foi acompanhada em 42 países

MINISTROS DA ALEMANHA E DO URUGUAI, ALÉM DE ESPECIALISTAS DA AMÉRICA LATINA E DA EUROPA, DEBATERAM EM PAINEIS VIRTUAIS

RIO DE JANEIRO, 21 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Com audiência de 42 países, a XVIII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana, maior fórum sobre segurança internacional da América Latina, foi concluída  com êxito na última sexta, 17. O evento foi realizado online, nos dias 16 e 17 de setembro, pela Fundação Konrad Adenauer, CEBRI e Delegação da União Europeia no Brasil. O tema de 2021 foi "Ausência de guerras significa paz? Estratégias de segurança internacional em uma nova ordem geopolítica mundial", e os participantes refletiram sobre os diversos tipos de ameaças à paz e à segurança da população global.

Nesta edição, a Conferência do Forte inovou ao criar um estúdio em Copacabana, de onde a jornalista Julia Dias Carneiro apresentou o evento, enquanto especialistas da América Latina e da Europa debateram a partir de suas casas e gabinetes, espalhados por diversos países.

O primeiro painel teve a presença de Annegret Kramp-Karrenbauer, ministra da Defesa da Alemanha; Javier García Duchini, ministro da Defesa do Uruguai; Stefano Sannino, secretário-geral do Serviço Europeu para a Ação Externa; e do contra-almirante Guilherme Mattos Abreu, representando o Ministério da Defesa do Brasil. O moderador foi Henning Speck, assessor de Política Externa e Segurança do CDU/CSU.

Durante os dois dias, foram realizadas outras três mesas: "O nexo civil-militar: gestão global de risco e o papel das Forças Armadas", sobre temas como as relações entre civis e militares e os desafios do setor de defesa; "Superando a insegurança: multilateralismo e o papel de alianças transnacionais de segurança", sobre cooperação internacional; e "Mudando o jogo: respostas cibernéticas a situações de crise" focado em cibersegurança. Tais assuntos também foram explorados nos policy papers da Conferência, escritos por pesquisadores criteriosamente selecionados. A publicação contém 14 artigos e está disponível gratuitamente no site da KAS-Brasil.

Finalizando a Conferência, o Embaixador Ignácio Ybàñez concluiu em seu discurso que a ausência de guerras não significa paz, um consenso entre os participantes. A diretora da KAS-Brasil, Anja Czymmeck, e o presidente do conselho curador do CEBRI, José Pio Borges, agradeceram a participação de todos. Anja anunciou o início dos preparativos para 2022 e adiantou que o evento deverá ter formato híbrido, reunindo conferencistas e público presencialmente no Rio de Janeiro, enquanto transmite os debates para a grande plateia virtual formada nas duas últimas edições.

FONTE XVIII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana

MINISTROS DA ALEMANHA E DO URUGUAI, ALÉM DE ESPECIALISTAS DA AMÉRICA LATINA E DA EUROPA, DEBATERAM EM PAINEIS VIRTUAIS

RIO DE JANEIRO, 21 de setembro de 2021 /PRNewswire/ -- Com audiência de 42 países, a XVIII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana, maior fórum sobre segurança internacional da América Latina, foi concluída  com êxito na última sexta, 17. O evento foi realizado online, nos dias 16 e 17 de setembro, pela Fundação Konrad Adenauer, CEBRI e Delegação da União Europeia no Brasil. O tema de 2021 foi "Ausência de guerras significa paz? Estratégias de segurança internacional em uma nova ordem geopolítica mundial", e os participantes refletiram sobre os diversos tipos de ameaças à paz e à segurança da população global.

Nesta edição, a Conferência do Forte inovou ao criar um estúdio em Copacabana, de onde a jornalista Julia Dias Carneiro apresentou o evento, enquanto especialistas da América Latina e da Europa debateram a partir de suas casas e gabinetes, espalhados por diversos países.

O primeiro painel teve a presença de Annegret Kramp-Karrenbauer, ministra da Defesa da Alemanha; Javier García Duchini, ministro da Defesa do Uruguai; Stefano Sannino, secretário-geral do Serviço Europeu para a Ação Externa; e do contra-almirante Guilherme Mattos Abreu, representando o Ministério da Defesa do Brasil. O moderador foi Henning Speck, assessor de Política Externa e Segurança do CDU/CSU.

Durante os dois dias, foram realizadas outras três mesas: "O nexo civil-militar: gestão global de risco e o papel das Forças Armadas", sobre temas como as relações entre civis e militares e os desafios do setor de defesa; "Superando a insegurança: multilateralismo e o papel de alianças transnacionais de segurança", sobre cooperação internacional; e "Mudando o jogo: respostas cibernéticas a situações de crise" focado em cibersegurança. Tais assuntos também foram explorados nos policy papers da Conferência, escritos por pesquisadores criteriosamente selecionados. A publicação contém 14 artigos e está disponível gratuitamente no site da KAS-Brasil.

Finalizando a Conferência, o Embaixador Ignácio Ybàñez concluiu em seu discurso que a ausência de guerras não significa paz, um consenso entre os participantes. A diretora da KAS-Brasil, Anja Czymmeck, e o presidente do conselho curador do CEBRI, José Pio Borges, agradeceram a participação de todos. Anja anunciou o início dos preparativos para 2022 e adiantou que o evento deverá ter formato híbrido, reunindo conferencistas e público presencialmente no Rio de Janeiro, enquanto transmite os debates para a grande plateia virtual formada nas duas últimas edições.

FONTE XVIII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana

Você acabou de ler:

XVIII Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana foi acompanhada em 42 países

Compartilhe

https://prnewswire.com.br/releases/xviii-conferencia-de-seguranca-internacional-do-forte-de-copacabana-foi-acompanhada-em-42-paises/